terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Ainda Sobre o (Futuro?) Parque de Estacionamento no Rossio - A Palavra a Maria Moita


Ainda Sobre o (Futuro?) Parque de Estacionamento no Rossio - A Palavra a Maria Moita

Muito orgulho! A Maria Moita também foi minha aluna um dia. Que gosto ler as suas palavras!

É, espatifem tudo! Nivelem Amarante por baixo. E, já agora, liquidem mesmo a galinha dos ovos de ouro.


Maria Moita E pensar que já me orgulhei um dia de dizer por esse país fora que em Amarante sabemos (soubemos) não ter em conta os populismos sem visão (que tudo o que querem é festa o ano todo, parques de estacionamento e shoppings, já agora) em prol de uma cidade que sabia preservar natureza, cultura e património—uma cidade distinta dos municípios que a envolvem. Não vivêssemos nós numa cidade que em dois passos se faz a pé e onde o estacionamento só nos falha em dias de festa (que se resolvia, como em outras localidades do país, com tolerância e compreensão pelo dia excepcional por parte da população e das autoridades).
Cimente-se tudo e arranquem-se todas as árvores, encham-se os centros históricos de carros (numa época em que as cidades procuram cada vez mais caminhar para a sustentabilidade e diminuição de pegada ecológica), caminhemos para a total não distinção dos outros municípios e pode ser que consigamos mesmo que do Porto até ao Minho e Trás-os-Montes, ninguém nos distinga dos demais.

Currículo Oculto - Educação para Uma Cidadania Responsável ou a Importância da Opinião Contrária

Fotografia de Joaquim Teixeira Pinto

Currículo Oculto - Educação para Uma Cidadania Responsável ou a Importância da Opinião Contrária

É verdade que a Escola falha todos os dias. Falha relativamente a alunos que vão ficando para trás, que se perdem no percurso, que não valorizam a escola nem nunca valorizarão, que não desenvolvem por completo todas as suas capacidades onde se inclui a capacidade de análise, o espírito crítico, a capacidade argumentativa, a capacidade de relacionar assuntos, o pensamento autónomo que se afirma a descoberto do rebanho, a criatividade... a capacidade e a coragem de dizer não, um não que se quer pensado, amadurecido, fundamentado.
Um dia escrevi neste blogue sobre a importância das vozes não concordantes para o nosso crescimento interior enquanto seres humanos com obrigação de fazerem hoje melhor do que o que fizeram ontem, para o crescimento saudável das próprias instituições.
(...) A crítica construtiva é fundamental à evolução, porque nos abre novas perspectivas, nos leva a novas reflexões e descobertas, só possíveis se rodeados por gente que nos diz sim ou não dependendo daquilo que pensa.
Se a aspiração das chefias for o estarem rodeadas por gente que só abana a cabeça e diz amém, como pode haver evolução motivada pela interacção entre gente que usa os seus neurónios produtivamente?
Não gosto de listas únicas. Nunca gostei. Não gosto de pensamento único. Nunca gostei.
Gosto de opções, de escolhas que se fazem conscientemente. (...)
É por isso que hoje não posso deixar de sentir um orgulho descomunal sempre que vejo alunos que foram meus um dia, que foram nossos um dia, que frequentaram esta Escola Pública que eu amo, com capacidade e coragem para dizerem e escreverem um Não informado, sustentado, construído, sólido.
E não posso deixar de pensar que, se é verdade que a Escola vai falhando aqui e ali, a verdade é que também acerta muitas vezes ao conseguir trabalhar um currículo que está oculto e que é tão ou mais importante que o currículo previsto para cada disciplina.
Assim, obrigada João Taveira! Obrigada, Maria Moita! Pelos exemplos. E tudo isto a propósito da transformação de um imenso terreno ribeirinho, o melhor do centro histórico, num gigantesco parque de estacionamento.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Novas (Más) de Amarante - A Palavra a João Taveira Sobre a Aquisição do Terreno do Rossio

A fotografia foi retirada daqui

Novas (Más) de Amarante - A Palavra a João Taveira Sobre a Aquisição do Terreno do Rossio

A história conta-se em duas penadas. A Câmara Municipal de Amarante conseguiu aprovar, precisou da abstenção do ps, obrigada ps! a compra de um enorme terreno ribeirinho, terreno com uma localização do mais nobre que pode existir em Amarante, mesmo mesmo sobranceiro ao Tâmega, e, pasme-se!, pretende fazer dele um imenso parque de estacionamento para acomodar cerca de 300 veículos ligeiros e 10 autocarros. A ideia é peregrina, para não lhe chamar outra coisa e não lembra nem ao diabo. Num tempo em que as cidades lutam para retirar os carros dos centros, aqui em Amarante reservam-se terrenos de primeiríssima água para quê? Pois para fazer um parque de estacionamento, pois então! Num tempo em que outras cidades requalificam frentes ribeirinhas libertando-as da tralha dos automóveis, aqui em Amarante reservam-se férteis e magníficos terrenos de aluvião para quê? Pois, para as manchas de óleo que cairão dos veículos de quatro rodas e afins conspurcando as terras em leito de cheia.
De notar, e para quem não conhece Amarante, que a cidade é uma cidade a bem dizer  "forçada" pois é tão pequena tão pequena que devia ser, ainda hoje, uma vila e assim estaria a condizer a bota com a perdigota, ou seja, a dimensão com o estatuto. Mas voltemos ao assunto de hoje.
A cidade percorre-se toda a pé de uma ponta à outra em... vá lá... a lançar olhares para as montras... em 20 minutos. Bem sei que é necessário arranjar estacionamento para quem nos visita, que no momento é recebido debaixo da ponte, sim, leu bem, Amarante está a receber muitos dos turistas que nos visitam literalmente debaixo da ponte, mas não seria mais adequado construir pequenos parques estrategicamente espalhados nas entradas da cidade ou mesmo no seu miolo do que fazer um parque de estacionamento gigantesco para a escala da cidade?
Pessoalmente gostaria de ver esta zona da cidade devolvida plenamente à Natureza, gostaria que estes terrenos fossem restituídos a Amarante e aos seus cidadãos para fruição destes em total harmonia com o arvoredo, o rio que passa, a passarada que esvoaça louca.
Fico a aguardar o projecto do parque de estacionamento com uma certeza - se o entregarem ao obreiro de São Pedro... o melhor é fugir!
E agora dou a palavra ao meu queridíssimo João Taveira, aluno já referenciado um dia neste blogue. E tenho de fazer um sublinhado - estou contente por o ver intervir, esgrimir os seus argumentos. Afinal, esta é a nossa terra, certo Taveira? E quem sempre cala, tudo consente.

João Taveira Parece-me descabida a compra de um terreno desta dimensão para a construção "devidamente enquadrada" de um parque de estacionamento, principalmente neste local. Este local possui de facto "excelentes condições", pela sua excelente exposição solar, pela proximidade ao centro, ao rio, pela sua vista, pela proximidade à zona da Ribeira de Santa Luzia e à zona da Torre, áreas em que é imperativa uma intervenção urbana e social e que, já agora, mereciam estatuto de local histórico. Todo este núcleo é um dos berços industriais da cidade, ligado por excelência ao nosso rio e onde ficaram vestígios (mal) esquecidos, visíveis desde as Azenhas dos Morleiros (imediatamente adjacentes), passando pela arquitectura habitacional-moageira, até à ponte férrea da antiga linha de comboios. Amarante não precisa de mais um parque de estacionamento para ser utilizado exclusivamente em dias raros de festividades. Nos restantes 300 e muitos dias, mesmo ao lado, há imenso património que ali permanece, merece ser preservado e que carece das devidas intervenções com vista à melhoria da qualidade de vida dos que (ainda) lá vivem, à preservação e à divulgação, melhor dando a conhecer a herança histórica da cidade.

Ondas de Choque Vindas do Oeste


Ondas de Choque Vindas do Oeste

E só passaram dez dias...

Petição: um milhão contra visita de Trump ao Reino Unido

"Não deixem que Trump envergonhe a nossa rainha", dizem um milhão de britânicos

Decreto de Trump contra muçulmanos revolta desportistas

Capitão da selecção de futebol dos EUA "envergonhado" com política de Trump

Republicanos criticam Trump, democratas avançam proposta de revogação do seu decreto

Wall Street no vermelho receoso com protecionismo de Trump

Contra o "efeito Trump": Starbuks vai contratar 10 mil refugiados

Tecnológicas unidas contra políticas anti-imigração de Donald Trump

"Trump and Dump": Um olho no Twiter e outro na bolsa

Obama quebra o silêncio e diz que os "valores americanos estão em risco"

Fundação Champalimaud disposta a receber cientistas barrados por Trump

Maquetas - O Clube História em Movimento a Trabalhar para o Centro de Recursos da Sala de História

Maqueta de Çatal Huyuk
Fotografias de Anabela Magalhães

Maquetas - O Clube História em Movimento a Trabalhar para o Centro de Recursos da Sala de História

Um dia, escrevi neste blogue:

O caminho faz-se de passos firmes, seguros, pensados e que visam um fim... mas, entretanto, o percurso é um gozo. Apreciemos, pois, o caminho que se faz caminhando... caminhando... caminhando... permanentemente em movimento... porque o imobilismo não condiz com a nossa condição.

Caminhamos juntos, eu e os sócios do Clube História em Movimento, desde o ano lectivo de 2010/2011.
Levantei o Clube do zero, nunca antes tinha existido um clube assim na escolinha e, desde aí, os seus sócios já fizeram isto e isto e isto e isto e isto e isto e isto e isto e aqui e aqui e isto e... nem vos canso mais face a um trabalho que vem já de longe e tem evoluído... o trabalho, os alunos que o frequentam, eu...

Hoje partilho um produto, ainda não final, ainda não terminado, realizado ontem em mais uma sessão do clube "História em Movimento. É a maqueta de parte de uma casa do povoamento de Çatal Huyuk, na actual Turquia. Ainda faltam as escadas, os cercados, as peças de cerâmica nos armazéns, os animais ... e parte da construção propriamente dita que acabaremos, talvez, na próxima sessão do clube.
Mas a ambição deste ano é construir a maqueta do aldeamento todo... será ambição a mais?

Escrevi em 2012, neste mesmo blogue:

Continuaremos com garra. A menos que nos quebrem as pernas.
E ainda assim manteremos os braços... a terminar em dedos que teclam...

Mantenho. Mantenho tudo. Hoje como há um ano.

domingo, 29 de janeiro de 2017

Governar por Twitadas ou a América ao Nível de Uma Qualquer Ditadura Centro Africana?


Governar por Twitadas ou a América ao Nível de Uma Qualquer Ditadura Centro Africana?

Trump inaugurou uma nova era, a era da governação por twitadas ditadas pelo sangue na guelra, pela impulsividade sem freio, pelo desrespeito dos valores alicerces da construção dos EUA, construídos desde os seus primórdios à conta de um mosaico de povos muito diferentes, de gente, de culturas, de religiões díspares, enfim, à conta de um fluxo migratório que, parece, começou a ser estancado de forma discriminatória, anormal, súbita e violenta. Se Trump impuser a sua visão aos EUA, estes, tal como os conhecemos, encarnação da terra das possibilidades infinitas, vão acabar.
Trump twita. E depois logo se vê no que dá. Dá trumpalhadas?! Ai o fogo, o fogo ateado e a escapar a qualquer controlo...
Em síntese, estou cada vez mais convencida que esta história vai acabar mal. E vai acabar mal também para ele.

Iraquianos impedidos de embarcar. "É como as decisões de Saddam Hussein"

Casa Branca recua um passo e diz que quem yiver visto pode entrar nos EUA

Juíza põe travão a Trump. Imigrantes não podem ser deportados

Todos os que vierem estão a salvo". Nova Iorque e Virgínia contra ordem de Trump





O Efeito "Tramp(a)"


O Efeito "Tramp(a)"

Pontapeia muçulmana no aeroporto. "Trump vai livrar-se de vocês todos"

Mesquita muçulmana no Texas destruída pelas chamas

E amor com amor se paga...

Irão quer proibir entrada de norte-americanos no país como resposta a decreto de Trump

Associação de direitos humanos processam Trump por causa de decreto anti-refugiados

Antiga secretária de Estado quer tornar-se muçulmana em protesto contra Trump

Criador do Facebook manifesta-se contra Trump

Juntos contra Trump: Alemanha e China criam aliança global


sábado, 28 de janeiro de 2017

Resistência - Conan Without Borders: Made In Mexico


Resistência - Conan Without Borders: Made In Mexico

With pleasure.

Moda Com Ética


Moda Com Ética

Os preparativos para o evento/desfile Moda com Ética organizado pela Porto pelos Animais estão a decorrer e contam com a participação da Fiu Criativo, que está presente em triplicado e em força, ou seja, o evento conta com a participação da Joana Magalhães, da Ana Luís e ainda do Hugo Fonseca.
Apareçam. A partir das 17:30, na Praça Carlos Alberto, no Porto.
Desfilarão figuras conhecidas do mundo da moda sempre com peças de vestuário, calçado e acessórios sem recurso ao pelo ou couro dos animais.
Lema... Muda com Ética! Veste Moda com Ética!

Think Pink


Think Pink

By Molly Nilsson.

Excelente fim-de-semana!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Conversa de Putos ou a Administração Trump a Praticar Bullying Todos os Dias?



Conversa de Putos ou a Administração Trump a Praticar Bullying Todos os Dias??

Há uns anos, aquando da intervenção da Troika, por aqui pelo rectângulo vivia-se a aflição dos mercados e todos os dias éramos bombardeados com as notícias referentes à disposição (normalmente oscilando do má ao péssima!) destes. Ora tinham acordado mal dispostos e pumbas! lá iam as nossas taxas de juro numa subida desenfreada... ora tinham acordado muito mal dispostos... e era a loucura total, histeria colectiva ai ai meus deuses os santos/diachos/doidões/safados/indecorosos mercados e ia tudo para o galheiro!
Passaram os anos, hoje só de vez em quando ouvimos falar deles... mas eis que Trump é eleito lá para os lados das américas e eis que uma conversa medonha tomou conta da agenda internacional, aqui e ali o verniz a estalar, aqui e ali equilíbrios precários a esfarelarem-se, aqui e ali as tensões a agudizarem-se perante umas conversas que poderiam ser de putos queixinhas.  Porque até parece, parece conversa de putos queixinhas. Só que, de facto, não é. Porque é a conversa de gente rasca que inaugurou uma nova forma (triste) de fazer política e diplomacia trauliteira, ao murro e ao pontapé, recorrendo à ameaça, à atoarda lançada ao vento e salve-se quem puder!, todos os dias, todos os dias praticando bulling sobre os restantes povos do mundo.
E assim estamos. E assim vamos. Todos os dias há novidades... deprimentes. Depois de mentiras terem sido apelidadas de "factos alternativos"... eis que... só dois exemplos...

Embaixadora na ONU promete "anotar os nomes" dos países que não apoiarem os EUA

Conselheiro-chefe de Trump aos media:"Mantenham a boca fechada"

O Mundo a Preparar-se para a Guerra?


O Mundo a Preparar-se para a Guerra?

Mikhail Gorvachev acha que sim. Eu também acho e não é de agora e já o escrevi anteriormente.
É um facto, o mundo dá sinais de rupturas perigosas e só não vê esta sinalética quem anda muito distraído.

Mikail Gorbachev: Parece que o mundo "se está a preparar para a guerra

Relógio do Apocalipse:estamos a dois minutos e meio do fim

"Devíamos ter-lhes tirado o petróleo"

Le Pen faz soar o alarme na Europa:Espanha e Alemanha preocupadas

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Professores com Dedicatória


Professores com Dedicatória

Obrigada!

América Great Again?


América Great Again?

Porque a resistência faz-se todos os dias.
Esta é a publicidade de uma marca de cerveja chamada Corona. Porque a diversidade é coisa extraordinariamente bela e nós não abdicamos dela.

Escola Secundária Alexandre Herculano - Encerrada

Fotografias do Alexandre recolhidas na net

Escola Secundária Alexandre Herculano - Encerrada

A situação arrasta-se há anos e até já circulou por aí uma petição para salvar o Herculano, petição que eu tive a oportunidade de assinar.
Hoje, encerrou uma escola no país disfuncional, aquele que permite no seu seio assimetrias loucas de escolas que mais parecem hotéis de cinco estrelas e de outras que mais parecem pardieiros degradados e abandonados e que põe  inclusive em perigo a vida de quem é obrigado a habitá-la.
Hoje, a secundária Alexandre Herculano encerrou.  É o que dá deixar esticar a corda até ela partir.

Sindicato da Construção denunciou mau estado da escola hoje encerrada no Porto

Ministério estuda "solução imediata" para reabrir escola Alexandre Herculano

Chuva e degradação obrigam a fecho de escola no Porto

É uma surpresa que uma escola feche porque chove?
Nem por isso.




quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Querido Presidente Trump


Querido Presidente Trump

Não perca a mensagem viral da Holanda ao presidente Trump.
Great, great, great! Fantastic, fantastic, fantastic! Unbelievable, unbelievable, unbelievable!
And fun!

E Se o Mulherio Envelhecesse Com Estilo?


E Se o Mulherio Envelhecesse Com Estilo?

Seria lindo, não? E seria muiiiito mais divertido.





Nota - Com os meus agradecimentos à Emiliana que deu o pontapé de saída a esta onda.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Novas da Gatilho - Concerto Noiserv


Novas da Gatilho - Concerto Noiserv

Informo os meus leitores de Amarante e arredores, pelo menos os que já reservaram bilhetes para o concerto de Noiserv, que os ditos podem ser levantados a partir de amanhã, quarta-feira, nas instalações da Associação Gatilho Amarante no seguinte horário - das 10:00 às 12:00 e das 14:30 às 19:00.
Vá lá... não se atrase que a procura é mais do que muita!

As Olimpíadas da Matemática e o Projecto 10X10


As Olimpíadas da Matemática e o Projecto 10X10

O post que se segue foi escrito originalmente para o blogue ComRegras.

A primeira notícia que hoje partilho com os leitores ComRegras foi divulgada hoje pela Agência Lusa, que nos dá conta do aumento de 30% de inscrições nas mini-olimpíadas de Matemática, que se realizarão na maioria das escolas na quarta-feira, só nos pode deixar a todos satisfeitos porque comprova que muito pode ser implementado no sentido da desmistificação de uma ideia de disciplina que perpassa ainda pela população estudantil, espero que cada vez menos!, de que a Matemática é uma disciplina que morde. É um facto, a Matemática não morde e é preciso fazer este esforço de aproximação entre as partes - disciplina/alunos, alunos/disciplina - e que seja continuado, resiliente e constante.
Estão de parabéns a Sociedade Portuguesa de Matemática, o Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra, o Ministério da Educação e, claro, alunos e professores que neste esforço estão implicados e sem os quais a operacionalização das mesmas não faria qualquer sentido e não, de todo!, seria possível.

No Público de hoje há ainda duas notícias que divulgam "um projecto de investigação-acção que cruza as artes com a educação, para que esta se reinvente", da Fundação Calouste Gulbenkian, chamado 10X10. Este projecto, que agora chega ao fim, será apresentado ao público no próximo sábado, a partir das 10 horas, nas instalações da Fundação, em Lisboa. O projecto 10X10, criado em 2012 pela equipa liderada por Maria de Assis Swinnerton, directora do programa educativo da Fundação Calouste Gulbenkian, procurou implementar métodos de ensino alternativos que fossem capazes aliciar os alunos para as matérias curriculares.
Pode ler as notícias na íntegra e saber um pouco mais deste projecto clicando nas hiperligações que se encontram no fim desta postagem. Entretanto, partilho alguns extractos das notícias saídas hoje no Público.

"Chama-se 10x10 e é um projecto da Gulbenkian que mudou a forma como se dão algumas disciplinas. E que junta professores, artistas e alunos. O PÚBLICO assistiu a uma destas aulas onde o ensino da História se junta à Educação Física."

"O projecto pedagógico 10X10 apresenta um modelo que recorre a métodos de ensino alternativos, no sentido de motivar os alunos e de os incluir no processo de aprendizagem. Essa participação é um dos aspectos que mais atrai os alunos."

"Juntos, professores, artistas e alunos, criaram uma série de "micropedagogias" - exercícios, rituais e técnicas pedagógicas e de comunicação na sala de aula - que apresentam no próximo sábado, a partir das 10h, na Fundação Calouste Gulbenkian."

Público
Há mais alunos inscritos nas mini-olimpíadas da Matemática

Público
Projecto pedagógico da Gulbenkian:"Dantes não éramos unidos. Agora somos uma turma"

Público
Durante cinco anos a arte foi a porta de entrada em 13 salas de aula

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Betsy DeVos


Betsy DeVos

Guardem o nome. Pertence à Secretária de Educação dos EUA e está a fazer um sucesso desalmado por terras yankees. E pelos seus arredores.
Valham-lhe os deuses todos!



Fiu Criativo Makeover

Noiva Por Um Dia - Porto
Fotografia - Ana Luís 

Fiu Criativo Makeover

Estão a dar os primeiros passos mas já fazem produções de moda para marcas enquanto organizam o seu próprio catálogo.
A Fiu Criativo Makeover é um atelier de moda e de beleza que conta com mãos especializadas da Ana Luís Alves, na maquilhagem, da Joana Magalhães, no hair design e do Hugo Fonseca, no design de moda.
A fotografia que hoje partilho, da belíssima noiva, é da autoria da Ana Luís Alves que é também a makeup artist. O hair design esteve a cargo da Joana Magalhães e a modelo é a Catarina Castelo Branco, com vestido de noiva de Katty Xiomara.
Parabéns a todas pelo maravilhoso trabalho!

FENPROF - O Trabalho dos Docentes Portugueses - Inquérito


FENPROF - O Trabalho dos Docentes Portugueses - Inquérito

A Fenprof quer saber de viva voz e em primeira mão junto de quem de direito, nós, professores portugueses, como está composto o nosso horário de trabalho entre componente lectiva e componente não lectiva, a saber, de estabelecimento e de casa.
Muitos de nós já tiveram oportunidade de se pronunciar mas muitíssimos mais não se pronunciaram ainda.
Vamos lá, professores, dar força às nossas, justíssimas, reivindicações?

Inquérito aos docentes dos 2.º e 3.º CEB e do Ensino Secundário (2.º envio)


Car@ sóci@ do SPN,

Vimos, pelo presente, reenviar um inquérito (o seu preenchimento tomará apenas cerca de 5 minutos), no âmbito de uma iniciativa da FENPROF para aferir com exactidão todo o trabalho dos docentes portugueses, desenvolvido quer na componente lectiva quer, sobretudo, na componente não lectiva de estabelecimento e na individual. Corresponderam ao envio feito anteriormente (19 de Dezembro) largas centenas de associados, numa participação que se mostrou significativa, mas ainda assim aquém do que poderia ser, tendo em conta o universo a que se destina, razão pela qual repetimos o pedido. Se já preencheu este inquérito na sequência do envio anterior, pedimos-lhe que ignore este e-mail.

Com os dados que este inquérito nos facultará, poderemos então sustentar melhor as nossas posições no âmbito da negociação com o Ministério da Educação e das reivindicações apresentadas à Assembleia da República. O seu contributo é imprescindível para que possamos exigir, com fundamento, horários de trabalho dignos e a desburocratização da profissão docente.

Depois do preenchimento de todas as respostas, deve submeter o seu inquérito para que ele seja validado e registado estatisticamente.

Por favor, colabore, designadamente reencaminhando este e-mail para outros docentes dos 2.º e 3.º CEB e do Ensino Secundário! A FENPROF agradece o seu contributo.

Pode aceder ao inquérito aqui ou copiar para o seu browser o seguinte endereço: https://docs.google.com/forms/d/1BF7qm19FmOl9BBoLnpQbdQ1D3NvX-aAevBmgnkqS5ro/edit

Saudações sindicais!

domingo, 22 de janeiro de 2017

Sala de Aula Invertida


Sala de Aula Invertida

A reportagem é do Porto Canal e foi emitida no passado dia 6 de Janeiro de 2017.
O agrupamento chama-se Agrupamento de Escolas do Freixo e a professora de Matemática chama-se Maria João Passos. Partilho esta peça sobre um trabalho que é nosso, que todo o professor conhece bem e que é o trabalho em sala de aula. Mas... talvez nunca/nem sempre? realizado deste modo.

Questiono-me: Vamos caminhar em que direcção?

Já que a imobilidade não se ajusta à profissão docente, já que o comodismo não deve fazer parte do léxico dos professor, já que nem nos passa pela cabeça que seja possível voltar para trás... pois, assim sendo, resta-nos ir em frente, limpando escolhos, limando arestas, contornando obstáculos, ensaiando passos, ajustando trajectórias com uma certeza - para as cavernas não queremos e não devemos voltar.

Paisagem Amarantina

Geada - São Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Paisagem Amarantina

De há uns dias a esta parte a paisagem amarantina tem sido esta. É que mesmo com o sol a bater-lhe nas trombas, a geada teima em permanecer quando já passa das 10 horas da manhã.

Para mim hoje é Janeiro e está um frio de rachar...

Concerto - Noiserv - Gatilho - Amarante


Concerto - Noiserv - Gatilho - Amarante

Esgotado.

Pessoal da Gatilho... e organizarem um segundo concerto?

sábado, 21 de janeiro de 2017

Concerto - Noiserv - Gatilho - Amarante


Concerto - Noiserv - Gatilho - Amarante

Ou a Gatilho muiiiiito à frente no panorama cultural da cidade de Amarante.
E dou a palavra ao José Gonçalves, avisando os meus caríssimos leitores que, de ontem para hoje, já está mais de meia sala vendida. Lindo Noiserv! Se vocês desse lado não conhecem este músico português, façam o favor e estejam à vontade. Escutem-no. Não será, por certo tempo perdido.
E boa, Gatilho! E siga!


"Eis o momento esperado!
Gatilho Amarante apresenta e organiza o primeiro concerto de NOISERV em Amarante.
Apesar de os bilhetes só estarem disponíveis a 30 de janeiro, a partir deste momento é possível fazer RESERVA DE BILHETES, devido à lotação limitada da sala.
Para isso, deverá ser enviada uma mensagem privada via Facebook para o perfil Gatilho Amarante, indicando o nº de bilhetes pretendidos.
Os bilhetes têm de ser levantados, presencialmente, na Gatilho Amarante/Porta 43, entre o dia 30 de janeiro e do dia 4 de fevereiro, até às 18 horas.
Caso não sejam levantados até ao dia e hora indicados, os bilhetes serão novamente disponibilizados.
Após o dia 4 de fevereiro, já não será possível fazer reserva, continuando os bilhetes à venda nos locais indicados.
Este é mais um evento dos muitos que proporcionaremos.





A Palavra a Mário Nogueira


A Palavra a Mário Nogueira

Ainda sobre a revisão dos concursos e vinculação extraordinária, a síntese pela voz de Mário Nogueira.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Paridade entre Professores do Público e do Privado para Efeito de Concursos


Paridade entre Professores do Público e do Privado para Efeito de Concursos

E eis a decisão que vai tramar muitos contratados que andaram anos a correr Portugal de lés a lés e de casa às costas.

"Professores do ensino particular voltam a poder concorrer em condições iguais às dos docentes do público"

Entre 3000 e 3200 professores contratados vão mesmo entrar nos quadros


Reunião Entre ME e Principais Sindicatos de Professores Termina Sem Acordo


Reunião Entre ME e Principais Sindicatos de Professores Termina Sem Acordo

Terminou a reunião negocial onde se discutiu com os sindicatos de professores a proposta final negocial apresentada pelo Ministério da Educação para rever o regime legal de concursos e da portaria que regulará o processo de vinculação extraordinária. O ME não conseguiu chegar a acordo com a FENPROF nem com a FNE, nem tão pouco com outras organizações sindicais mais pequenas, excepção para a Pró-Ordem que decidiu assinar. Isto apesar da garantia dada pela Secretária de Estado Alexandra Leitão de vinculação para mais de três mil professores contratados.

Os motivos pelos quais a FENPROF não subscreveu a proposta da tutela podem ser lidos se clicarem aqui.

Não há acordo entre Ministério da Educação e principais sindicatos

Aconchego do Dia - A Palavra à Flor Ribeiro

Solidariedade em Movimento - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Flor Ribeiro

Aconchego do Dia - A Palavra à Flor Ribeiro

Sabeis o que vos digo? A boa vizinhança, feita de excelentes seres humanos, feita de amigos solidários, não tem preço!
De Amarante para um campo de refugiados na Grécia, para quem mais precisa neste Inverno gelado.

"E é com o coração cheio que faço esta publicação! Mesmo com uma corrida contra o tempo, com apenas 2 dias para fazer a recolha: alcançamos o que "aparentemente" parecia impossível! E provou-se que quando se tem bom coração e se quer muito ajudar tudo é possível! E foi assim que conseguimos esta recolha de bens fantástica e que tantos corações vai aquecer! Conseguimos encher 3 carros só com os donativos de 2 dias, algo inacreditável!
A cada um de vocês o meu SUPER obrigada por serem pessoas tão boas"

Subscrevo!

Trump Day - Dia Sombrio


Caricaturas retiradas da Net

Trump Day - Dia Sombrio

Não há como escapar ao assunto do dia e isto é o mesmo que dizer que não há como escapar à posse do novo presidente dos Estados Unidos da América, sim, exactamente aquele país bipolar situado na América do Norte.
Assim, espero que estejam a registar que hoje é um dia de demagogias, nacionalismos e populismos muitos, levados que foram ao rubro por um líder inacreditável que  não foi capaz de fundamentar o seu discurso num valor maior chamado Democracia. Sabemos onde já nos levou o egoísmo exacerbado das lideranças e dos povos que foram nestas conversas perigosas. O "Eu primeiro", seguido do "Eu primeiro", o "Eu" que se constrói contra o "Outro" seguido sempre do "Eu primeiro"... pode acabar muito mal.
E a palavra "guerra" a ser proferida, hoje, tantas e tantas vezes. Temo que não ficaremos por aqui.
E deixo-vos, com profunda tristeza, três afirmações assustadoramente demagógicas de Donald Trump proferidas hoje. Podia ter escolhido muitas outras, que o seu discurso de tomada de posse foi rico nestes populismos bacocos tão do agrado de alguns.

"Seremos protegidos pelos homens e mulheres das nossas Forças Armadas e, mais importante, por Deus."

"Este será lembrado como o dia em que o povo passou a governar de novo este país"

"Estamos a transferir o poder de Washington DC para vocês, o povo"

Donald Trump

E deixo-vos com algumas notícias deste dia negro.

Donald Trump: A partir de hoje será sempre a América primeiro, a América primeiro"

Ex-líder do Ku Klux Klan saúda posse de Trump com a mensagem "Conseguimos!"

Mulheres dão "boas-vindas" a Trump com marcha de protesto em Washington

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Divulgação - Movimento - Vinculei durante 13 dias


Divulgação - Movimento - Vinculei durante 13 dias 

Aqui vos deixo a página do facebook deste justíssimo movimento. Porque cada Professor Contratado é Uma Pessoa.
E passo-lhes, de imediato, a palavra!

Caros colegas,

É hora de fazer o ponto da situação e de explicar as razões que levaram à criação deste Movimento.
Como todos sabemos, está a decorrer um processo negocial entre o Ministério da Educação e os Sindicatos que representam a nossa classe, sobre os concursos que se avizinham, onde um dos pontos mais importantes e polémicos se prende com a Vinculação Extraordinária de Professores Contratados. Esta vinculação permitirá que alguns milhares de professores possam finalmente ingressar no quadro, após muitos anos se encontrarem como contratados. Estes professores são necessários ao sistema educativo e finalmente temos um Ministério que compreende esta evidência. Porém, se estamos no caminho correto para acabar com a precariedade na nossa classe, o processo encontrado está ferido por injustiças que não podemos aceitar.
Não vamos perder tempo em explicar todo o processo desde a sua origem onde, por exemplo, se exigiam 20 anos de serviço para almejar à tão desejada vinculação, vamos sim centrar a nossa atenção nas duas últimas propostas do Ministério da Educação.
No dia 30 de Dezembro, o Ministério da Educação propunha estas condições para vincular professores:
1 - Ter 4380 dias de serviço após a profissionalização até 31 de agosto de 2016;
2 - Ter 5 contratos em escolas públicas nos últimos 6 anos, independentemente da tipologia do contrato, contudo, esses contratos tinham de ser no mesmo grupo de recrutamento.
Esta proposta era injusta e insuficiente. Por um lado, deixava de fora colegas com imensos anos de serviço feitos antes da profissionalização e, por outro, afastava colegas de grupos como o 300, 320 e 330 que sempre concorreram a dois grupos.  No passado dia 13 de janeiro chegou nova proposta que deixou a maioria dos professores perplexos. Por um lado, os 4380 dias já podiam ser contabilizados antes e após a profissionalização e os 5 contratos nos últimos 6 anos já não tinham de ser realizados no mesmo grupo de recrutamento. Estas alterações minimizavam algumas injustiças. Mas eis que o Ministério da Educação introduz uma nova condição que provocou uma enorme surpresa: para estar em condições de vincular, os docentes tinham de ter sido colocados em horários completos e anuais no presente ano letivo.
Como já referi, foi com enorme incredibilidade que assistimos a esta situação. Se por um lado vários colegas, que ficavam excluídos com a primeira proposta, podiam reunir então as condições para vincular, agora, com esta última proposta, muitos colegas seriam excluídos dessa possibilidade. Ou seja, trocaram-se umas pessoas por outras, como se de objectos se tratassem. Mais surpreendidos ficámos quando uma federação sindical fez saber que horários de 20 e 21 horas poderiam contar como completos. Assinalamos com agrado que após reflexão, essa mesma federação considerou ser injusto este critério para vincular.
Mais preocupante ainda, este ano um elevado número de horários completos só saiu nas RR1 e RR2 devido ao atraso das colocações da mobilidade por doença. Muitos dos colegas melhor graduados ficaram colocados na Contratação Inicial com horários de 13, 14, 15 ou 16 horas e os colegas pior graduados ficaram com os horários completos devido ao referido atraso.
Devia saber o Ministério da Educação que somos obrigados a concorrer sempre, primeiro, aos horários completos e só depois aos intervalos seguintes. Se esses horários completos só apareceram numa fase mais tardia do concurso, como é possível utilizar esse critério? E como é possível propor que os horários de 20 e 21 horas possam ser considerados completos se não existe um intervalo com esse número de horas? O intervalo é de 15 a 21 horas e é impossível saber qual o número de horas que nos cabe, em sorte, dentro desse intervalo. É uma questão de sorte ou azar e a nossa vida não é um jogo. Um colega muito pior graduado poderia ficar num horário de 21 horas e vincular. Por outro lado, um colega muito melhor graduado, por ter ficado num horário de 17 horas, já não vincularia. É evidente que não pode ser assim.
Face às situações expostas, resolvemos intervir e dar voz a este movimento.
Em cerca de três dias, quase 350 colegas aderiram ao mesmo. Vários órgãos de comunicação social (RTP, TVI, Correio da Manhã, Público, JN) revelaram interesse no nosso movimento e nas causas que defendemos. Nós só queremos um concurso justo onde os melhor graduados, e com mais tempo de serviço no ENSINO PÚBLICO, SEJAM OS PRIMEIROS A VINCULAR, MESMO QUE NÃO SEJAMOS NÓS.
Exigimos a eliminação da condição do horário completo neste ano letivo. Não tem qualquer razão de existir, como já demonstrámos.
Sabemos que nunca existirá um processo de vinculação totalmente justo mas, a graduação profissional e o tempo de serviço no Ensino Público, devem ser os únicos requisitos exigidos.
Os sindicatos devem solicitar uma negociação suplementar para defenderem os interesses de todos.
O Ministério da Educação pode e deve abrir vagas por grupo de recrutamento e nós devemos poder concorrer a essas vagas, sem critérios discriminatórios e injustos.
Após 4 anos negros sob a tutela de Nuno Crato onde sofremos enormes injustiças, temos esperança nesta equipa ministerial que, entre vários pontos positivos, acabou com a terrível BCE. Temos a certeza que, mais uma vez, irão tomar a decisão correta.
O nosso Obrigado a Todos os que lutam por existir justiça neste processo!  

Vítor Manuel Almeida Vieira Agostinho

A Minha (Nossa) Rua - Orgulho

Solidariedade - Refugiados  - Amarante 
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

A Minha (Nossa) Rua - Orgulho

A minha rua é a rua onde habito. Mas a minha rua é também o lugar onde habito, sendo que este lugar extravasa para além da minha rua propriamente dita pois estende-se por outras artérias, veias ou capilares da pequenina cidade de Amarante... que devia ter permanecido vila... mas isso são outros quinhentos! Aliás, e para ser mais correcta, a minha rua estende-se frequentemente pelos locais mais longínquos desta nossa casa comum chamada Terra, não conhecendo, por isso, obstáculos naturais ou desnaturados, não conhecendo nem fronteiras, nem muralhas, nem tão pouco muros por mais físicos que eles se revelem.
Assim, o que se vai passando na minha rua é, para mim, ora motivo de orgulho, ora motivo de profunda tristeza. Mesmo que desses acontecimentos apenas me cheguem ecos, fotografias, gritos, gargalhadas... o que for. E sei que há muiiiiita gente por aí que pensa exactamente o mesmo que eu penso.
A campanha local de recolha de roupas quentes para os refugiados que estão na longínqua mas próxima Grécia, muitos em campos de refugiados quase soterrados pela neve. foi lançada ontem pela minha vizinha Flor Ribeiro e num instantinho deu frutos e continua, a esta hora em que escrevo, a dar frutos já que as pessoas, vindas dos quatro cantos de Amarante, continuam a passar pela rua deixando-nos sacos e sacos de roupa quentinha.
Por isso, e por muito mais!, asseguro-vos que sinto muito orgulho nesta rua que se sabe organizar, que é capaz de se mobilizar de um dia para o outro, que se revela generosa, solidária, gentil.
Entre as pessoas comuns, entre as pessoas de rua, generosidade gera generosidade, solidariedade gera solidariedade, gentileza gera gentileza. E esta minha (nossa) rua não é excepção.

Nota - Obrigada Flor Ribeiro pelo empurrão inicial. E, claro, aqui deixo também um agradecimento ao Facebook. Confesso, sem ele isto não seria possível!
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.