quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Contra Corrente - Justino Alves

Contra Corrente - Justino Alves - Galeria São Mamede

Contra Corrente - Justino Alves

Em 14 de Dezembro de 2014, aquando da última exposição do Justino Alves, escrevi:

"Justino Alves é um Mestre da Luz e da Cor, que ele trata por tu, da luz e da sombra, do claro e do escuro, que aqui e ali se misturam numa simbiose perfeita, ora suave e harmoniosa, ora abrupta e violenta. Pretos, azuis, verdes, cinzentos, brancos, vermelhos... sempre sempre em tonalidades múltiplas que a sua paleta de cores conhece variantes incríveis que nunca se esgotam e sempre se recriam e se renovam a cada tela pintada/espatulada com primor. 
Justino Alves é também um Mestre da Forma, humana quase sempre!, já que a sua temática gira muito em volta de um figurativo mais ou menos abstracto... ou será de um abstracto mais ou menos figurativo?... que nos propõe e nos desafia a uma reflexão sobre a complexidade e a riqueza das relações humanas. Por vezes a figura humana é difícil de percepcionar numa abordagem mais primária mas esse não é o caso desta exposição, intitulada Contra Corrente, onde a figura humana ganha uma volumetria tal que chega a parecer tridimencional." 

Seja, João! Contra Corrente.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Justino Alves



Pintura - Justino Alves
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Justino Alves

Hoje partilho uma boa parte do mundo de Justino Alves. E partilho as suas palavras e os seus gestos... sempre preciosos. Muito preciosos. Quem com ele privou, sabe do que falo.

Sobrevive através da exigente pintura que nos legou e que executou com infinita paixão.
E sobrevive em nós. Até ao fim dos nossos dias.

Até sempre, João!


Justino Alves, the Colors of Shadow from AIM on Vimeo.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Homenagem


Muitas Vidas - Gomos de Luz - Guimarães
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Homenagem

Hoje resta-nos o silêncio. E uma citação.

"Nenhuma pessoa é uma só vida."

Mia Couto

Até sempre, João!

Morreu o pintor Justino Alves

Morreu o pintor Justino Alves

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Contentores

Auto-Retrato de Verão - Espanha
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Contentores

A carga pronta e metida nos contentores, adeus ó meus amores que me vou, para outro mundo... é uma escolha que se faz, o passado foi lá atrás...
A carga pronta e metida nos contentores, adeus ó meus amores que me vou, para outro mundo... não voa nada mal isto onde vou... rugem baixinho os motores... deixo a cidade natal... não vou nada mal... de novo Adão e Eva... no outro mundo...
É uma escolha que se faz... um pouco de fé...

domingo, 16 de agosto de 2015

Vergonha - Novas do MEC(O)

Imagem surripiada aqui.

Vergonha - Novas do MEC(O)

Vergonha é o que sinto quando o governo do meu país me impõe, na escolinha, a adopção de um acordo ortográfico que eu não quero e não reconheço como bom e emite documentos deste calibre, sem rei nem roque, numa bagunçada total, numa balda completa, cometendo assassinato atrás de assassinato da nossa queridíssima Língua Portuguesa.
É caso para dizer, com tristeza, o estado legislador é o primeiro prevaricador. E logo do MEC(O)!


Quando os Pleonasmos se Transformam em Coisas Impossíveis

Auto-Retrato Sobre Porta da Duplo M
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Quando os Pleonasmos se Transformam em Coisas Impossíveis

Confesso, gosto de pleonasmos. E gosto deles todos. Gosto do subir para cima, do descer para baixo, da surpresa inesperada, do entrar para dentro, do sair para fora, do acabamento final... e por aí adiante que a lista não tem fim.

Um dia destes fizeram-me uma pergunta impossível relacionada com os ditos. Ia eu a sair de casa quando um homem todo artilhado de máquina roçadeira em riste me pergunta todo lampeiro:
- A senhora vai descer para cima?
É claro que perante uma pergunta impossível a resposta teria de ser igualmente impossível...
- Não, não, vou subir para baixo!

E fui. Trá lá lá lá lá...

Nota - Este post ficou a dever-se a este do Gabriel Vilas Boas. Porque me recordou coisas impossíveis...

Odeceixe - Portugal no Seu Melhor

Odeceixe - Portugal no Seu Melhor

Odeceixe é, sem dúvida!, uma das muitas praias de sonho existentes em Portugal. É caso para dizer que, aqui, a Natureza foi generosa e o Homem soube respeitar esta generosidade.
Que assim se mantenha.

sábado, 15 de agosto de 2015

Amarantinos - Quem Espera Sempre Alcança

Fotografia de 1955 - Foto-Arte

Amarantinos - Quem espera Sempre Alcança

O post que agora partilho foi escrito e publicado pela primeira vez neste blogue no dia 8 de Agosto de 2013.

Hoje, passados dois anos sobre a sua publicação, recebi esta mensagem:

Querida Amarantina,
Acabo de ver no seu blog a fotografia da Missa Nova do Padre Coutinho onde figuram meus Avos Olegário Guedes Mendes Rosa e sua esposa que se chama Maria Alice Pato Rosa que são meus Avos Maternos. O número atribuído a minha Avo é o 27.
Minha Mãe lembra se de muitos desses nomes que ai estão pois viveu na nossa Amarante no tempo de estudante no Colégio. Ainda hoje quando vamos Amarante ao cemitério onde está sepultado meu Avô e um Tio meu visitamos sempre o jazigo do Sr. Padre Coutinho que é uma Família das nossas relações.
Saudações de um Portuense eternamente Amarantino.
Os meus mais sinceros Cumprimentos
Paulo Nuno Pato Rosa.

Ao que respondi:


Querido Amarantino,

Nem imagina como me deixou feliz o seu comentário! É caso para dizer que quem espera sempre alcança...
E não deixarei de mostrar ao meu pai, que por certo o identificará/situará de imediato, o seu comentário. Às tantas o meu pai foi contemporâneo da sua mãe aqui no colégio...

Saudações Amarantinas,



Anabela Magalhães

E aqui fica o post original, já alterado e melhorado com a identificação que, à data da publicação, faltava à senhora a quem foi atribuído o número 27.

Gratíssima, Paulo Nuno Pato Rosa!

Hoje partilho uma fotografia que foi pela primeira vez publicada pelo senhor coronel Artur Freitas, a quem agradeço desde já a generosidade do acto sem o qual esta postagem não estaria a ser feita neste preciso momento em que escrevo estas palavras.
E acrescento-lhe a identificação de todos os amarantinos... e não só!, nela presentes, tirada no preciso dia da celebração da Missa Nova do padre Luís Morais Coutinho, na Igreja de S. Gonçalo, em Amarante.
De referir que todo o trabalho de escavação arqueológica que agora dá os seus frutos se deve ao meu precioso pai, José Ismael Coimbra Pinto de Queirós, que andou de fotografia em punho contactando gente da sua geração... de neurónios ainda frescos... obrigada a todos pela colaboração! Obrigada  pelas últimas dicas, Alberto Martins!

Agora entro eu em acção somente para aprimorar ainda mais o trabalho já de si primoroso do meu pai. E para isso nem preciso de me levantar desta cadeira em que me encontro sentada pois é só publicar este post, partilhá-lo com meia dúzia de pessoas com facebook descendentes destes amarantinos de outrora, partilhá-lo em páginas amarantinas e esperar a confirmação/acrescento dos nomes, possivelmente bastante incompletos nalguns casos, com uma ou outra incorrecção num ou noutro caso...

Agradeço desde já a vossa colaboração aí desse lado.

1 - Afonso Guedes Magalhães
2 - Artur Silva Costa
3 - Joaquim Pinheiro Duarte
4 - Benjamim Sanhudo (Marco de Canaveses)
5 - Carlos Ferraz (Marco de Canaveses)
6 - Rolando Torgo Rodrigues da Silva
7 - José Luís Morais Coutinho
8 - João Deus Monteiro
9 - Alexandrino Melo Matias de Magalhães
10 - António Sardoeira Pereira Silva
11 - Teófilo Mota Freitas
12 - Olegário Guedes Mendes Rosa
13 - Joaquim Marinho (Retretes)
14 - Primo de Laura Morais... falta o nome...
15 - Albino Costa
16 - José Ferraz (Marco de Canaveses)
17 - Maria Branca Mota Branco
18 - Maria Glória Fonseca Mota Freitas
19 - Maria Isabel Mota Branco
20 - Malheiro (Marido da Crisanta - Paredes)
21 - Rui Alves Martins
22 - Laura Ilda Mota Branco
23 - Laura Morais Coutinho
24 - Maria Ilda Navega
25 - Álvaro Silva Pinto (Marido da Rosália Viana)
26 - Maria Luísa Lopes Pereira
27 - Maria Alice Pato Rosa (Esposa do Olegário Rosa)
28 - Maria Alice Correia Almeida
29 - Vítor Sardoeira
30 - Morais (Primo do padre Luís Coutinho)
31 - Morais (Primo da Luísa Coutinho)
32 - Rodrigo Pinto de Queiroz (Meu querido avô paterno)
33 - Coronel Francisco Monteiro Carvalho Lima
34 - Tenente Coronel Costa Santos
35 - Clorinda de Jesus Teixeira Garcia
36 - António Queirós
37 - Maria Helena Lopes Pereira
38 - Custódia Alves da Mota
39 - Aura Freitas (Prima do Teófilo Freitas)
40 - Rosália Viana
41 - Padre Luís Morais Coutinho
42 - Eng.º Manuel Vanzeler Macedo
43 - Maria Amália Macedo
44 - Maria Luísa Morais Coutinho
45 - Maria Lurdes Vanzeler Macedo
46 - Clotilde Rua Vanzeler Macedo
47 - Maria Isabel Branco Alves Martins
48 - Dr. Luís Vanzeler Macedo
49 - Eduardo Jorge da Rocha Leite da Rocha Leão
50 - Luzia Izilda Coimbra (Minha queridíssima avó paterna)
51 - Adelina da Costa Taveira

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Reabilitação Urbana


Ruína - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Reabilitação Urbana

A reabilitação da malha urbana de uma cidade passa, inevitavelmente, pela reabilitação dos edifícios públicos, religiosos e particulares. Só assim, da conjugação destas três vertentes da reabilitação, que deve ser preferencialmente realizada de forma articulada, se poderá reerguer uma cidade, um quarteirão, um bairro, uma rua, o que for!, de forma harmoniosa e feliz.
É claro que esta reabilitação pode acontecer de forma acelerada, com equipas multidisciplinares a agarrarem o touro pelos cornos e a atacarem tudo numa empreitada só, ou, como está a acontecer aqui em Amarante, pode ser o resultado de um somatório de acções vindas da autarquia, da paróquia, dos particulares.
Confesso que me é indiferente a modalidade, na verdade cada caso é um caso, e que reconheço a ambas vantagens e desvantagens.
Confesso que tenho a expectativa de ainda ver o centro histórico de Amarante transformado num brinquinho, habitado por pessoas diversas, de múltiplos extractos sociais, de múltiplos extractos culturais, a fazer lembrar um mosaico social lindo e, só assim!, equilibrado.

Sésamos

Sésamos em Acção - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Sésamos

Há dois dias atrás, numa tarde de calor de esborrachar, fui espreitar os Sésamos em acção numa sala de estudo chamada O Pimpolho.
Já falei deste grupo de teatro recém formado aqui por bandas de Amarante e que irrompeu, muito bem!, imprevistamente em dia e noite de Festa Amarantina. Pois na passada quarta-fera os Sésamos disponibilizaram-se para falar um pouco de teatro e para representar uma pequena peça para um público muito heterogéneo, composto de vários miúdos, de muito diferentes idades. Não sendo tarefa fácil, o resultado final foi até surpreendente com todos os espectadores, sem excepção, dos mais pequeninos aos mais crescidos, muito sossegados e atentos ao que se estava a passar naquela sala de estudo que depressa se transformou em sala de aula recheada de alunos especiais... muito especiais. Tão especiais que disponibilizaram parte do seu tempo de férias para adoçar uma tarde de sala de estudo em pleno mês de Agosto a um conjunto de miúdos, uns mais miúdos do que os outros, que lhes agradeceram a difícil tarefa.
E eu também lhes agradeço a amabilidade do convite e os risos que me colocaram na cara durante a representação, ao olhar para aquela sala de aula... ai meus deuses, que alunos especiais!
Muitos parabéns, Sésamos! Pela perseverança, pela juventude, pela generosidade, pelo entusiasmo, pelo talento.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Googlar - Curiosidades

Mão Digitalizada - S. Gonçalo - Amarante

Googlar - Curiosidades

Que alguém google "Grupo de Bombos de Amarante" e venha ter ao meu blog, compreendo. Compreendo mesmo que alguém google "Diabinha Sex Shop" e venha ter a esta minha casa virtual... Agora, que alguém tenha a ideia luminosa de googlar "prateleiras muito putas" e o senhor Google o/a encaminhe para o blogue Anabela Magalhães... alto e pára o baile! Respeito, sff!

E sim, este Google tem coisas que me transcendem...

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Auto-Retrato

Auto-Retrato - Feira do Mel - Aboadela
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Auto-Retrato

Hoje, sobre colmeia.

Nota - Confesso que gosto delas. Das colmeias e das suas laboriosas abelhas. E confesso que gosto do fruto do seu trabalho... do delicioso mel...

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Amarante - A Importância do Centro Histórico

Reabilitação - Centro Histórico - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Amarante - A Importância do Centro Histórico

O centro histórico de Amarante, pequeno em extensão mas enorme em termos de qualidade, define-se pelo acidentado terreno que ocupa e pelo rio que o atravessa cortando-o em duas metades, repartindo-o entre as duas margens do rio Tâmega, a direita mais elevada, a esquerda notoriamente mais baixa.
Este centro histórico, herdado dos nossos antepassados, com casario moldando ruas e quelhas que se estendem sinuosas, o rio que o atravessa, ponteado por belas ilhas e açudes, abraçado por margens frescas e sombreadas onde apetece passear, é muito do que motiva os não residentes a quererem visitar Amarante, isto para além, claro está!, do famoso São Gonçalo, da fantástica gastronomia e doçaria locais, dos excelentes equipamentos culturais e religiosos, da especificidade e importância das suas gentes...
Assim, por ser muito pequeno, qualquer obra realizada no seu casario nota-se a bom notar e, acima de tudo, qualquer edifício, principalmente se fechado e vazio e se mais ou menos degradado, que seja restituído à cidade depois de intervencionado, depois de correctamente intervencionado, é um bem precioso que nós, amarantinos, sabemos apreciar. Por certo ocorrerá exactamente o mesmo aos forasteiros internos e externos que cada vez mais nos visitam.
Pois este é o caso dos dois edifícios em obras ontem fotografados em passeio demorado pela margem direita do rio.
Um deles, o emblemático Hotel Silva, fechado já há um bom par de anos, reabrirá como hostel com quartos virados para o rio e inspirado nos inúmeros artistas que Amarante deu ao país e nos seus ilustres amigos que um dia calcorrearam estas calçadas amarantinas...

Tâmega

Rio Tâmega - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Tâmega

Ontem.

Ai rio maravilhoso que a EDP quer espatifar...

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Novas da Jóia de Luz

A Jóia de Luz Interioriza o Amor ao Tâmega
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Novas da Jóia de Luz

Sim, avó Morcega, estou a escutar atentamente o meu bisavô e a aprender tudinho sobre o teu/meu rio...
E sim, é uma beleza.

Educação - Pistas

São Gonçalo de Amarante - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Educação - Pistas

A escola como imagem criadora de futuro

domingo, 9 de agosto de 2015

Petição - Pelo Fim dos Subsídios Públicos às Touradas e Afins

Tesoura de Cortes - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Petição - Pelo Fim dos Subsídios Públicos às Touradas e Afins

"Exma. Senhora Presidente da Assembleia da República, 

Excelência, 

De acordo com o publicado em Diário da República em 21/03/2012 abaixo transcrito - e, apenas a título de exemplo -, só no ano de 2011 o IFAP atribuiu subsídios no valor de € 9.823.004,34 às empresas e membros de famílias ligadas à tauromaquia. De acordo com a mesma fonte, os valores entre os anos de 2006 e 2010 ascenderam a 31.243.390,52 € em subsídios do IFAP. Estes são apenas exemplos que trago a V. Exa. mas que se multiplicam a cada ano que passa, independentemente do cenário de forte crise económica que o país atravessa. 

É, com profunda indignação que verifico que, anualmente, muitas Câmaras Municipais do meu país oferecem subsídios para eventos tauromáquicos, quando, infelizmente, muitos dos meus concidadãos estão numa situação de desemprego, precariedade e até mesmo fome, incluindo crianças e idosos que não têm apoios sequer para as necessidades básicas. Se uma parte dos meus impostos fosse utilizada para apoiar estas pessoas carenciadas seria muito bem aplicada, mas, o que não posso aceitar é que parte do meu dinheiro seja aplicada numa actividade que apenas satisfaz uma decadente minoria do povo português, e que consiste em seviciar animais. Essa é uma actividade cruel contra a qual me oponho veementemente e para a qual não quero contribuir de forma alguma. 

Assim, e enquanto contribuinte deste país, venho pedir a V. Exa. se digne diligenciar no sentido de que o Parlamento legisle pelo fim dos subsídios e apoios públicos a qualquer actividade tauromáquica. 

Na crença de que V. Exa. dará a merecida atenção ao meu pedido, 
Despeço-me, 

Muito respeitosamente, 
De V. Exa., 


Nota - Se concorda com este texto que acompanha a petição pelo fim dos subsídios públicos às touradas e afina, assine aqui.

sábado, 8 de agosto de 2015

Escolas Desalinhadas

As notas internas atribuídas pela escola aos seus alunos estão alinhadas com as notas internas atribuídas pelas outras escolas do país a alunos com resultados semelhantes nos exames? 
Escolas Desalinhadas

Sim, por Amarante parece haver um grande desalinho, para cima, com a ESA e o Colégio de S. Gonçalo a não saírem nada bem na fotografia agora revelada e que abrange uma panorâmica nacional. Mesmo o Externato de Vila Meã, no ano de 2014... pois, também já está desalinhado.
Confira aqui.

Será que estes dados agora revelados e disponibilizados pelo MEC vão provocar uma reflexão mais detalhada dentro das escolas?
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.