quarta-feira, 1 de junho de 2016

A Palavra a Amadeo de Souza-Cardoso

Sem título (Clown, Cavalo, Salamandra) - Grand Palais - Paris
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

A Palavra a Amadeo de Souza-Cardoso

"Há gente que chama ao meu estado uma pretensão para sair do vulgar - que pensem o que queiram, indiferente me é - eu tenho as minhas razões e bastam. Eu sei o que agrada em geral - eu na generalidade desagrado. Até certo ponto não é menos lisonjeiro."

Amadeo de Souza-Cardoso

terça-feira, 31 de maio de 2016

Soha - Mil Pasos


Soha - Mil Pasos

Un paso me voy para siempre
Un paso fuerte
Un paso hacia adelante
Dos pasos, me voy sin mirarte
Tan lejos pisé
Dos pasos ya te olvidé
Tres pasos ya soy hacia al este,
El sur, el oeste
Tres pasos creo mucho, me parece
¿ Y cuándo volverás?
Je ne reviendrai pas
¿ Cuándo volverás?
Je suis si loin déjà
¿ Y cuándo volverás?
Un dia o jamás
¿ Y cuándo volverás?
Jai fait le premier pas
¿ Cuando volverás?
Surtout ne mattends pas
¿ Cuándo volverás?
Un día o jamás
Quatro pasos quiero acordarme
Quatro pasos ya sé
Tu me quisiste, yo te quise
Cinco pasos ya sin perderme
Tanto me alejé
Cinco pasos y te perdoné
Seis pasos ya, son casi siete
Contar más no sé
Mil pasos y más, me quedo de pie
¿ Y cuándo volverás?
Je ne reviendrai pas
¿ Cuándo volverás?
Je suis si loin déjà
¿ Y cuándo volverás?
Un dia o jamás
¿ Y cuándo volverás?
Surtout ne mattends pas
¿ Cuando volverás?
Jai fait le 1er pas
¿ Cuando volverás?
Un día o jamás
Un paso, dos pasos
Tres pasos, cuatro pasos, cinco pasos...
Mil pasos

You Can Also Play at School

EB 2/3 de Amarante - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

You Can Also Play at School

E, por agora, é isto.
Obrigada, Antero Pereira!

Nota - A fotografia que ilustra este post retrata uma parede exterior pertença do Pavilhão 4 da EB 2/3 de Amarante e intervencionada durante o ano lectivo que ainda decorre.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Cristas Disparatada(s)


Cristas Disparatada(s)?

Cristas diz que há casos em que a escola pública deve ser sacrificada

Cristas não precisava de nos relembrar o que sentimos na pele durante o governo da coligação que ela própria integrou. A Escola Pública, a única rede de Escolas que os sucessivos governos estão obrigados a manter pela Constituição da República Portuguesa, já foi sacrificada. Muito sacrificada. E ainda hoje sentimos os efeitos destes sacrifícios promovidos e impostos pelo anterior ministro da Educação que  contou com o apoio dos restantes membros do governo liderados por Pedro Passos Coelho que, por estes dias, também não se tem poupado em declarações de apoio aos colégios privados que parecem viver e depender na totalidade dos dinheiros públicos. Também quero um negócio privado com estas características. O negócio é meu, o lucro é meu... e uma fatia do dinheiro investido, que pelos vistos deve ser gigantesca tal é  o alarido amarelo que vai pelo país, é paga por todos nós, contribuintes desgraçados que pagamos tudo e mais alguma coisa, tudo e o seu contrário... basta ver a pouca vergonha das PPP  rodoviárias.
Assim, e voltando à rede de Escolas Públicas, a única que o Estado Português está obrigado a manter pela Constituição da República Portuguesa, relembro que assistimos nos últimos anos à sua desvalorização constante com racionamentos que se materializaram em cortes no uso dos detergentes de limpeza diária, no papel higiénico, na luz, no aquecimento, nas fotocópias, nas visitas de estudo, nos materiais usados nas experiências, nos recursos humanos que vão desde o pessoal auxiliar ao pessoal técnico e docente especializado, assistimos ao aumento do número de alunos por turma, ao amontoar de alunos a frequentarem vários níveis de escolaridade numa mesma turma nos primeiros quatro anos de escolaridade... e por aí adiante que a lista é quase infindável.
Quem se importa com os alunos com necessidades educativas especiais integrados em turmas gigantescas e sem qualquer tipo de acompanhamento especializado? Que, curiosamente, devem ter para que a legislação deste país seja cumprida... mas que não é cumprida porque esbarra no impedimento por parte das escolas/agrupamentos de contratarem o pessoal de que necessitam seja ele docente ou pessoal técnico especializado como por exemplo no âmbito da psicologia, pessoal este indispensável para o bom funcionamento de uma comunidade educativa.
Foi aqui que os cortes promovidos pelo anterior governo nos trouxeram. Ao sacrifício. Ainda o continuamos a sentir na pela. Todos os dias da nossa vida de docentes colaboradores da Escola Pública, a única que o Estado Português deve assegurar aos portugueses e que se quer da maior qualidade possível.

domingo, 29 de maio de 2016

Amadeo de Souza-Cardoso - Grand Palais


Amadeo de Souza-Cardoso - Grand Palais - Paris
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Amadeo de Souza-Cardoso - Grand Palais

"Não esperes, porém, que os quadros venham ter contigo, não! eles têm um prego atrás a prendê-los. Tu é que irás ter com eles. Isto leva 30 dias, dois meses, um ano mas, se tem prazo, vale a pena seres persistente porque depois saberás onde está a Felicidade."

Lisboa, 12 de Dezembro de 1916
José de Almada Negreiros
Poeta futurista

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Xutos e Pontapés - Contentores


Outro Mundo - Nouakchot - Mauritânia
Fotografia de Artur Matias de Magalhães

Xutos e Pontapés - Contentores

A carga pronta e metida nos contentores... adeus ó meus amores que me vou... p`ra outro mundo... é uma escolha que se faz... não voa nada mal isto onde vou... adeus ó meus amores que me vou... p`ra outro mundo... rugem baixinho os motores... deixo a cidade natal... não vou nada mal...

Esclarecimento sobre os "Impedimentos" de Abertura de Novas Turmas no Privado


Esclarecimento sobre os "Impedimentos" de Abertura de Novas Turmas no Privado

Há colégios impedidos de abrir novas turmas?

Decididamente, não!

quarta-feira, 25 de maio de 2016

A Palavra ao Papa Francisco


A Palavra ao Papa Francisco

Já não é a primeira vez que dou a palavra ao Papa Francisco neste blogue. A propósito do despropósito da Antiga Praça de S. Pedro agora transformada em Praça Muito Mais do que Medonha e em que o citei numa frase de assombrosa inteligência e clarividência mas cuja compreensão parece não estar ao alcance de todos, inclusive ao alcance de todos os não católicos, católicos e mesmo ao alcance de todos os que militam dentro do clero e que, por isso mesmo volto a citar esperando, sinceramente, que alguma luz se faça dentro de algumas cabeças.

"A convivência pacífica entre as diferentes religiões vê-se beneficiada pela laicidade do Estado, que, sem assumir como própria nenhuma posição confessional, respeita e valoriza a presença o factor religioso na sociedade"

E hoje volto a recorrer ao Papa Francisco, agora a propósito do despropósito desta discussão entre ensino público e privado para sublinhar, mais uma vez, a sua clarividência e inteligência a propósito de muitos assunto, incluindo deste.

El Papa alertó sobre "Corrupción educativa" de escuelas privadas



Vintage Postmodern Jukebox - Creep


Vintage Postmodern Jukebox - Creep

Excelente versão de Creep.

terça-feira, 24 de maio de 2016

A Palavra a Constança Cunha e Sá Sobre os Contratos de Associação


A Palavra a Constança Cunha e Sá Sobre os Contratos de Associação

A partir do minuto 2:25. Vale a pena escutar as suas palavras sobre os contratos de associação. vale mesmo a pena. Aqui.

"O Estado não tem nada de subsidiar 79 colégios quando não existe carência de oferta pública"

A Palavra a "Manuela Cambalhotas Leite" Sobre a Escola Pública e os Colégios Privados

Sem comentários - Lisboa, Perto da Assembleia da República
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

A Palavra a Manuela Cambalhotas Leite Sobre a Escola Pública e os Colégios Privados

É por estas e por outras como esta que os políticos, da direita à esquerda e passando pelo centro, perdem credibilidade todos os dias das suas vidas de políticos que hoje defendem isto e amanhã o seu contrário. Assim mesmo. Com uma cara de pau do catano. E Manuela, agora promovida a Cambalhotas Leite ainda diz que já não tem idade para mudar de ideias nem de clube!
É caso para dizer que, em pulhítica, vale tudo. Até tomarem-nos a todos por acéfalos. Que não somos... pois não?!

A Palavra a Daniel Oliveira


A Palavra a Daniel Oliveira

Que eu subscrevo por inteiro.

Daniel Oliveira
52 min
O Colégio Didálvi é um dos que não vão abrir novas turmas em início de ciclo subsidiadas pelos contribuintes por ter oferta pública perto. Para o Estado, será uma poupança de uns milhões. Muitos dos seus alunos irão à manifestação e os pais explicarão as enormes dificuldades que a escola vai viver. A exibição de luxo neste vídeo de apresentação (que não quer dizer qualidade de ensino, apesar de ser apelativo dar aos filhos a sensação de riqueza) contrasta com o estado de muitas escolas públicas, como o Camões, um excelente liceu a cair aos bocados por falta de financiamento. O proprietário e director da escola, João Alvarenga (que tem direito a busto à entrada e a um invejável culto da personalidade) foi, até há poucos meses, presidente da Associação de Estabelecimentos do Ensino Particular e Cooperativo (organização que lidera os protestos) e é o actual presidente da Confederação Nacional da Educação e Formação, que, com a Associação Escolas Profissionais, é um grupo de pressão para a subsidiação pública das escolas privadas (nome de código: "liberdade de escolha"). Dizia João Alvarenga na SIC Notícias, quando foram distribuídos computadores Magalhães em escolas públicas: “Não é despejando dinheiro sobre o sistema, não é despejando computadores sobre o sistema que se vai fazer com que ele funcione.” Em princípio, concordo com a afirmação genérica. O dinheiro não chega e é por isso que as imagens deste vídeo não me impressionam. Mas depois explicava, claro está, que em vez de “despejar dinheiro” na escola o importante era garantir a "liberdade de escolha". Traduzido: em vez de dar condições à escola pública era preciso subsidiar a dele, para que a dele tivesse computadores e a pública ficasse com a ardósia. Penso que é altura de fazer um favor ao “Dr. João Alvarenga” e não despejar mais dinheiro nos seus campos de golfe e de ténis. Talvez voltar ao básico: ter escolas públicas decentes, inteiras e com professores motivados. Discutir como a podemos melhorar - e há muito para melhorar. Resolver os problemas das escolas que são de todos e para todos e deixar os doutores alvarengas deste país tratarem, com o seu dinheiro, dos seus negócios. Se João Alvarenga está preocupado com a liberdade de escolha, talvez se reduzir o luxo desnecessário dê para, como se fazem em algumas escolas, garantir bolsas de estudo com ensino gratuito para alunos mais pobres. Isso sim, era de valor. O resto é o que conhecemos há muito neste país. Das PPP às rendas da EDP. Voltarei a este caso em texto mais completo.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Resposta aos Jotinhas em Delírio


Resposta aos Jotinhas em Delírio

Como era previsível, não se fez esperar.

Nota - Palpita-me que este PSD ainda vai levar uma banhada nas próximas eleições. E por culpa inteiramente própria.
Ámen!

JSD em Delírio


JSD em Delírio

Aos Jotinhas aceita-se alguma irreverência. Se não fossem irreverentes agora, iriam ser quando?! Ninguém espera cartazes assim criativos e delirantes vindos de gente já instalada pelo aparelho partidário nos lugares chave do aparelho governativo, gente que nos lixa a vida bem lixada, enquanto guarda o naco da carne tenra para si próprio a coberto do pálio partidário mais do protector.

Dizem os jotinhas em comunicado:

"A JSD considera que Portugal deve desenvolver o melhor modelo educativo para cada criança e jovem português. E o melhor modelo não é o que agrade mais ao comunista Mário Nogueira, que há muitos anos que não sabe o que é dar aulas; o melhor modelo não é o que mais agrade aos presidentes de câmara, ao ministro da Educação, aos directores dos colégios ou a qualquer outro interveniente nesta polémica. O melhor modelo é aquele que prepare melhor as crianças e jovens portugueses"

Pois então vamos lá, jotinhas!! Ao estudo feito na prestigiada Universidade do Porto. Pública, não esquecer. Por acaso, a minha. Que analisou o caso dos melhores alunos entrados na Universidade do Porto no ano lectivo de 2008/2009 e que foi saber onde é que eles estavam passados três anos. E onde estavam eles?

(...)
"As escolas privadas têm grande capacidade para preparar os alunos para entrar, mas o que se verificou é que, passados três anos, estes alunos mostraram estar mais mal preparados para a universidade do que os que vieram da escola pública"
(...)
"Em termos globais, por cada 100 estudantes provenientes das escolas públicas que concluíram pelo menos 75% das cadeiras dos três anos, havia 10,69 no grupo dos melhores. No caso das privadas, esse número era de 7,98."
(...)
"O documento (que surge como um alerta contra o facilitismo na utilização dos rankings e que procura rebater a ideia de falência do ensino público) sublinha que o melhor desempenho dos estudantes das escolas públicas é ainda mais relevante pelo facto de as escolas privadas de maior prestígio fazerem uma selecção social dos seus estudantes."
(...)

Se tiver interesse, aceda às conclusões do estudo na página da UP.

Vai daí, capice jotinhas? Ou será preciso fazer-vos um esquema?

domingo, 22 de maio de 2016

Convite - Festa Amarantina - 9 de Julho


Convite - Festa Amarantina - 9 de Julho

Aqui vos deixo o convite para a festa mais quente e sexy de Amarante e arredores. Aquela que é preparada com todo o carinho por Amarantinos para todos quantos dela queiram fazer parte.
Considerem-se todos convidados. E sim, o convite é extensivo aos meus leitores americanos, brasileiros, chineses, franceses, ingleses, noruegueses, espanhóis... e até podem vir os da Papua Nova Guiné! Cá vos esperamos. E ficam desde já avisados que a equipa é poliglota. E criativa. E irreverente. E independente. E não pasmada.

Enigma/Desafio - Antiga Praça de S. Pedro Agora Praça Hiper Mega Medonha

Enigma/Desafio - Antiga Praça de S. Pedro Agora Praça Hiper Mega Medonha
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Enigma/Desafio - Antiga Praça de S. Pedro Agora Praça Hiper Mega Medonha

Há um enigma/desafio na antiga Praça de S. Pedro, agora Praça Mais do que Medonha.
E o enigma/desafio é... o que é que eu vou fazer com este puto deste muro?!

Os Cagalhotos de S. Pedro

Os Cagalhotos de S. Pedro - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Os Cagalhotos de S. Pedro

As fotografias que hoje partilho pertencem à série "Os cagalhotos de S. Pedro" e foram captadas na passada sexta-feira. Todas as fotografias que vou fazendo da Praça Agora Mais do que Medonha não me dão qualquer prazer e preferia, amaria até!, não ter qualquer possibilidade de as registar porque isso seria sinónimo da inexistência do horror cravado bem no interior deste burgo tão pequeno e onde esta praça assume agora uma dimensão gigantesca em múltiplos aspectos - visual, ambiental, conceptual, iconográfico... - acima de tudo assume, para mim, o comprovativo diário de um poder local rastejante face a uma igreja, por acaso católica, que foi incapaz de se dar ao respeito respeitando um lugar público pertença de todos os habitantes e mesmo pertença de quem dele possa usufruir de passagem, independentemente de todos os credos religiosos seguidos... ou não... e que foi incapaz de se dar ao respeito respeitando uma simbologia com toda a carga religiosa quanta tem esta cruz e chaves de S. Pedro, agora também usadas como sanitários de cães vadios.
Vai daí, os cagalhotos acumulam-se na praça árida, árida até dizer chega! E repugnante. E hostil.

Et oui, j`ai dit "Je suis Charlie!" Et je suis. Charlie.

sábado, 21 de maio de 2016

Internacionalização da Youtuber Anabela Magalhães

Eu e os Meus Alunos - Largo de S. Gonçalo - Amarante
Fotografia da Geringonça do Largo

Internacionalização da Youtuber Anabela Magalhães

Parece que sou uma pessoa perigosa. Porque nunca admiti cabresto e penso pela minha cabeça e, mais grave ainda, escrevo o que a minha cabeça pensa... ou melhor, escrevo o que os meus neurónios dentro dela pensam. E os meus neurónios, confesso, estão em permanente estado de ebulição e de insatisfação, querendo sempre mais, não se ajustando a cajados, nem ceptros, muito menos a pálios protectores, nem a rebanhos reconfortantes. Caminho. Um passo atrás do outro, ora ligeiro, ora muito ligeiro... que a câmara lenta nunca fez o meu estilo.
Vós, meus leitores que me acompanhais os dias, sois testemunha do meu percurso aqui iniciado em Fevereiro de 2007.  Vou partilhando etapas. Aqui partilhei o canal que abri no Youtube, um dia destes e que, não sei, talvez ainda se venha a revelar um excelente instrumento de trabalho. Por agora ainda estou verdinha da silva mas com vontade de fazer mais e melhor, característica que ainda faz parte da minha herança genética.
Com a ajuda dos alunos do Clube História em Movimento e do meu caríssimo colega João Tavares, que fez a tradução para espanhol, a nova versão do exercício E se fuera yo? já está disponível no Youtube, quiçá para entrar pelo mercado espanhol e da América Latina adentro como uma flecha incendiária relembrando que hoje são os outros os refugiados mas que nada nos garante que amanhã não seremos nós.
E aqui vou eu... o caminho faz-se caminhando e é sempre um somatório de pequenos e/ou grandes passos.

Sérgio Godinho


Sérgio Godinho

Hoje dou a palavra a um perigoso extremista - Sérgio Godinho.
Confesso, amo ele. Talvez por eu ser assim meio para o esganiçada...

«A princípio é simples, anda-se sozinho, passa-se nas ruas bem devagarinho está-se bem no silêncio e no burburinho bebe-se as certezas num copo de vinho e vem-nos à memória uma frase batida: hoje é o primeiro dia do resto da tua vida! Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo dá-se a volta ao medo e dá-se a volta ao mundo diz-se do passado que está moribundo bebe-se o alento num copo sem fundo e vem-nos à memória uma frase batida: hoje é o primeiro dia do resto da tua vida! E é então que amigos nos oferecem leito, entra-se cansado e sai-se refeito luta-se por tudo o que se leva a peito bebe-se e come-se se alguém nos diz bom proveito e vem-nos à memória uma frase batida: hoje é o primeiro dia do resto da tua vida! Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja olha-se para dentro e já pouco sobeja pede-se o descanso por curto que seja, apagam-se dúvidas num mar de cerveja e vem-nos à memória uma frase batida: hoje é o primeiro dia do resto da tua vida! E enfim duma escolha faz-se um desafio enfrenta-se a vida de fio a pavio navega-se sem mar sem vela ou navio bebe-se a coragem até dum copo vazio e vem-nos à memória uma frase batida: hoje é o primeiro dia do resto da tua vida! Entretanto o tempo fez cinza da brasa outra maré cheia virá da maré vaza nasce um novo dia e no braço outra asa, brinda-se aos amores com o vinho da casa e vem-nos à memória uma frase batida: hoje é o primeiro dia do resto da tua vida!»

Novas dos Colégios Chantagistas


Novas dos Colégios Chantagistas

E as crianças, senhores? E as crianças? E aquela coisa da liberdade, do direito à continuidade, da escolha?

Estado, faz o teu dever e assegura a breve trecho o que está consagrado na Constituição da República Portuguesa - uma rede de Escolas Públicas para todos. E corta de vez com estas rendas asseguradas por todos nós a meia dúzia.

Colégios ameaçam deixar de assegurar turmas de continuidade

Sexta às Nove - Os Negócios/Escândalos no Ensino


Sexta às Nove - Os Negócios/Escândalos no Ensino

Pode ver a reportagem na íntegra clicando aqui.
O Estado capturado?
Pelo caminho ainda leva como bónus outras reportagens com casos escandalosos.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Novas na Educação


Novas na Educação

Ora vamos lá comentar a medida enunciada no link a vermelho.
O ministro está parcialmente bem quando anuncia tutorias para os alunos que chegam aos 12 anos com uma ou mais retenções já a partir do próximo ano lectivo. Os vocacionais, engendrados pelo anterior ministro Crato, eram de facto segregacionistas se pensarmos que os miúdos e miúdas seriam canalizados para esta vertente de ensino logo a partir do doze anos, idade manifestamente precoce para o ingresso numa vertente de ensino profissionalizante. Talvez já tenha sido pertinente esta opção aí pelo século XIX, mas, no século XXI, também a mim me parece manifestamente desadequada.
E eis que chegamos aos dias de hoje, feitos de ministro Tiago Brandão. Finito vocacionais no ensino básico, ensino profissional só a partir do secundário, tutorias a partir dos 12 anos para alunos com uma ou mais retenções... mas, pergunto eu, as tutorias não deveriam estar previstas para funcionarem logo a partir do momento em que as primeiras dificuldades de aprendizagem se revelam e são detectadas, muitas a manifestarem-se desde o primeiro ano de escolaridade?
É só uma pergunta que deixo no ar... pensando eu até que, se o Ministério da Educação implementasse tal medida o país era bem capaz de poupar dinheiro a bem curto prazo... ou não?

Alunos que chumbem aos 12 anos vão passar a ter tutores

Chocolate Jesus - Pecado

Iconografia Católica
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Chocolate Jesus - Pecado

Don't go to church on Sunday
Don't get on my knees to pray
Don't memorize the books of the Bible
I got my own special way
But I know Jesus loves me
Maybe just a little bit more

I fall out on my knees every Sunday
At Zerelda Lee's candy store 

Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied 

Well I don't want no Abba Zabba
Don't want no Almond Joy
There ain't nothing better
Suitable for this boy
Well it's the only thing
That can pick me up
Better than a cup of gold
See only a chocolate Jesus
Can satisfy my soul 

When the weather gets rough
And it's whiskey in the shade
It's best to wrap your savior
Up in cellophane
He flows like the big muddy
But that's ok
Pour him over ice cream
For a nice parfait 

Well it's got to be a chocolate Jesus
Good enough for me
Got to be a chocolate Jesus
Good enough for me 

Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied

quinta-feira, 19 de maio de 2016

"Direita acusa Governo de favorecer a escola pública"


"Direita acusa Governo de favorecer a escola pública"

Ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... sorry, sou eu que ando para aqui a rebolar a rir... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... ah ah ah... holy shit! Estivemos mesmo entregues aos bichos!

Direita acusa Governo de favorecer a escola pública

Resultados da procura


Direita acusa Governo de favorecer a escola pública 

Bons Ventos do Norte


Bons Ventos do Norte

Sentem esta brisa a acariciar-vos o rosto? É para isto que devemos caminhar e não no sentido da escravatura.

Capice?

Trabalhar seis horas por dia sem perder salário? Há um país onde está a dar frutos


"Largo de S. Pedro ou de Satanás?"



"Largo de S. Pedro ou de Satanás?"

A crónica que agora partilho viu a luz do dia hoje mesmo, já que saiu na imprensa escrita, no histórico Flor do Tâmega. Sem mais, dou a palavra ao Padre Mário de Oliveira sobre o inacreditável Largo Agora Mais do que Medonho.

Nota - Para ler com conforto, clique sobre a imagem.

 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.