quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Projecto "Ver para Querer"

Ver para Querer - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Projecto "Ver para Querer"

E ao terceiro dia de trabalhos, a equipa exclusivamente feminina que intervém no âmbito do projecto "Ver para Querer" apresentou-se sorridente e bem disposta na E. B. 2/3 de Amarante, pelas 8:15 da manhã.
Hoje, a aplicação dos inquéritos e a avaliação antropométrica foi realizada nas turmas 6.º A, 5.º B, 8.º B, 7.º E, 5.º E, 9.º B e 8.º D e amanhã será um novo e último dia desta primeira fase de intervenção que envolve desde já quase todos os alunos das nossas turmas do 5.º ao 9.º ano de escolaridade.

Projecto "Ver para Querer"

Ver para Querer - E.B. 2/3 de Amarante - S. Gonçalo
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Projecto "Ver para Querer"

Hoje voltamos ao terreno e cumprimos o segundo dia de avaliação antropométrica, inquérito alimentar e questionário de conhecimentos alimentares dirigido aos alunos de mais sete turmas da E. B. 2/3 de Amarante. Os trabalhos iniciaram-se pelas 8:30 e terminaram pelas 16:30. E amanhã volta a haver mais.
A colaboração entre a Ordem dos Nutricionistas e a E:B. de Amarante já se nota pela Escola.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Professor(a)


Professor(a)

Um aluno, daqueles que já voou para fora da minha sala de aulas e se encontra agora em plena capital do Norte, fez-me chegar esta imagem acompanhada deste comentário:

Professor: É a categoria mais importante da nossa sociedade, mas uma das mais desvalorizadas pela sociedade. 😉

Não sei se ele terá completa razão. Penso que apesar das campanhas negras que têm sido feitas contra nós, exactamente por quem nos devia respeitar e proteger, e estou a referir-me aos últimos ministros da educação, excepção para o actual, desde aquela senhora que eu me recuso a nomear neste blogue, tenho para mim que as campanhas dos reles políticos não surtiram um efeito para além do residual.
Os alunos são os primeiros a vir a terreno em nossa defesa, os pais dos nossos alunos sabem a trabalheira e o cuidado que nós temos com as crias que são deles... e um pouco nossas, dentro das nossas salas de aulas, nos recreios das escolas, nas cantinas e nos bares.
E esta é a minha realidade. Haverá outras, não duvido! Mas, felizmente para mim, esta é a minha realidade amarantina e é com ela que tenho de me amanhar. Graças!

A Fama Boa

Aluno e Professora - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Rúben Teixeira

A Fama Boa

Sabes que a tens quando passas por duas jovens donzelas desconhecidas, em plena na rua, e escutas uma exclamação entusiasmada à tua passagem, mas já nas tuas costas: "É a professora do Rúben!".
O sorriso instala-se, rasgado, literalmente de orelha a orelha, permanecendo, o sorriso, para o resto do dia... e para os seguintes também.

Obrigada, Aluno Meu!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Novas do Ver para Querer

Ver para Querer - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Novas do Projecto Ver para Querer

Estamos no terreno. Hoje foi o primeiro dia de avaliação antropométrica, inquérito alimentar e questionário de conhecimentos alimentares dirigido aos alunos de sete turmas da E. B. 2/3 de Amarante. Os trabalhos iniciaram-se pelas 8:30 e terminaram pelas 16:30. E amanhã há mais.

Não à Municipalização da Educação! Menos Poder para os Diretores!


Não à Municipalização da Educação! Menos Poder para os Directores!

Este post foi originalmente escrito para o ComRegras.

Esta é uma das posições mais consensuais entre os docentes - o não à municipalização da educação sai cheio e encorpado nas escolas de Norte a Sul do país, ditado pela maioria dos professores que não quer ouvir falar disto nem se dourarem muito a pílula. E, no entanto, a municipalização da educação está em marcha agora travestida de descentralização.
A Fenprof está atenta e contra, nem podia ser de outra forma. E já prometeu lutar com as armas de sempre - as manifestações, as greves - se o Governo não negociar a descentralização de competências e um novo modelo de gestão para as escolas.
Hoje dou a palavra a Mário Nogueira:
"Fica claro para a Fenprof que, se por causa disto, se por causa de contrariar este caminho de municipalização, tiver que voltar com os professores à rua, tiver que promover lutas que podem passar pelas mais diversas formas - ainda que sejam greves, não importa - contra o processo de municipalização, o Governo pode contar com uma oposição fortíssima da Fenprof, porque esse processo merece uma oposição fortíssima dos professores"
"Não vamos ficar nem a olhar, nem a pensar que por ser um Governo diferente do anterior o processo pode não ser tão mau como o anterior. O que para nós está em causa é o processo, não quem o concretiza."
O Público dá-nos ainda conta de um outro assunto consensual entre os professores: 92% dos professores quer que os directores tenham menos poder, revela o Inquérito da Fenprof realizado a 25 mil docentes.

Municipalização da educação pode levar professores de volta à rua e à greve

Menos poder para os directores, defendem 92% dos professores

É ainda notícia de hoje o modelo de acesso à universidade e o facto de continuar a existir inflação de notas nas escolas privadas.

Sapo
Escolas públicas e privadas querem alterar acesso à universidade

JN
Escolas privadas continuam a inflacionar notas no secundário

Alunos e Professores / Professores e Alunos

Alunos e Professores / Professores e Alunos - Amarante
Fotografias de Rúben Teixeira e Anabela Magalhães

Alunos e Professores / Professores e Alunos

Não existem uns sem os outros. As relações entre eles extravasam, frequentemente, a simples relação inodora, incolor e insípida que advém de quem não consegue, ou não quer, entregar-se de alma e de coração à profissão docente. Quem consegue esta superação de equilíbrio instável, e por vezes perigoso, acumula medalhas feitas de abraços fortes e carinhosos e de beijos sentidos... e de palavras doces segredadas aos ouvidos ou espalhadas aos quatro ventos.

Um dia, numa noite de Carnaval já distante e a altas horas da noite, vinha eu com amigos e familiares da farra vestidinha de Pipi sem meias altas, irreconhecível portanto! quando, em plena Ponte Velha de Amarante, vejo um grupo de jovens disfarçados de sei lá o quê. Um deles, vestido acho que de urso, e sem que eu lhe pudesse descortinar a cara, envolveu-me com os seus braços e para ali ficou  "Professora! Professora"... e era um dos meus meninos de uma turma difícil, de uma famosa turma de um Curso de Educação e Formação, vulgarmente conhecida por CEF... e os meus amigos e familiares a apreciarem a cena.
Ontem voltei aos abraços  beijinhos e palavras doces segredadas aos meus ouvidos... "Professora, vamos tirar uma selfie!".
E tirámos.
"Posso publicar a nossa fotografia no meu facebook?"... Mas é claro, Querido Aluno Meu!
E ele publicou.
E soltou palavras doces ao vento dizendo sentir-se abençoado na minha companhia... e ainda me mandou umas bocas sobre não sei o quê de não atropelar a língua portuguesa... ou eu não fosse a professora das correcções dos erros ortográficos... eheheh...
Hoje partilho-as nesta minha casa, trazidas da casa dele. Porque não as quero esquecer. Porque não quero esquecer que ontem enrosquei-me nestas belas palavras que transmitem muita da complexidade destas relações que se estabelecem entre alunos e professores e entre professores e alunos.
Obrigada, Rúben Teixeira!

Ruben Teixeira a sentir-se abençoado com Anabela Magalhaes.
21 hAmarante
Há gente que fica na história das nossas vidas marcadas pelos melhores motivos. É bom ter pessoas a quem chamamos hoje de amigos mas que em tempo chamávamos de professor. É claro que será sempre tratada como Professora Anabela Magalhaes. Ou quero eu dizer "Mosquita motoqueira" ainda se lembra? Ai como eu tenho saudades desse tempo.....(tentei não atropelar a língua portuguesa)

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Uma Aula de Revisões Especial Com o Kahoot

Aulas de Revisões com o Kahoot - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Ana Osório e Anabela Matias de Magalhães

Uma Aula de Revisões Especial Com o Kahoot

Já me tinham falado deste jogo, é certo, mas eu, envolta sempre em mil e uma actividades ainda não o tinha experimentado, consciente que estava de ter de construir este jogo de fio a pavio.
No entanto, estica o tempo daqui, estica o tempo dali e, durante a semana passada, toca de atacar a aplicação que se revelou deveras fácil e intuitiva, enfim, a possibilitar um trabalho prazenteiro e gostoso porque desafiante sem ses e sem mas, tal e qual como eu gosto, direita ao assunto sem perdas de tempo que é por isso que o tempo me chega para tudo.
Realizado o Kahoot, foi tempo de o experimentar em contexto de sala de aula, em tempo real, com os alunos reais que são todos os das minhas cinco turmas de sétimo ano a quem lecciono História.
Bom, tenho de confessar que nunca um aluno me tinha entrado na sala de aula a correr para a aula de revisões para o teste. Também nunca me tinham entrado com o entusiasmo e brilho nos olhos que lhes observei na passada sexta-feira. E nunca uma aula de revisões teve tantos yeses, acertei!, risos e gargalhadas, entusiasmo ao rubro, animação, conforto, empenho e dedicação quanto estas em que utilizei o Kahoot pela primeira vez. E olhem que os meus alunos até costumam gostar das "Histórias que eu lhes conto"...
Assim sendo, e em jeito de balanço, só posso dizer-vos que o Kahoot veio para ficar... e ficou mesmo!
A não ser que haja qualquer programa do género que permita colocar on-line os jogos por mim construídos por forma a que os alunos lhes possam aceder, jogando e, ao mesmo tempo, fazendo revisões das matérias que vamos dando ao longo de um ano.
Ah! E no fim da aula queriam jogar mais... Professora, podemos jogar mais um?

Nota 1- Tenho e confessar que na minha turma de quase 30 alunos a coisa foi um nadica mais complicada de gerir... é caso para perguntar... senhor ministro, para quando a redução de alunos por turma?!
Nota 2 - Os meus alunos do oitavo ano ainda vão ter de esperar...

domingo, 19 de fevereiro de 2017

"Ver para Querer"


"Ver para Querer"

"O projeto "Ver para Querer" é um projeto piloto da Ordem dos Nutricionistas, que pretende centrar-se na promoção de uma alimentação saudável, por forma a melhorar a oferta alimentar na escola e a aumentar a literacia alimentar das crianças"

Hoje sinto-me particularmente honrada por poder divulgar esta parceria que une, pela primeira vez na história das duas instituições, a Ordem dos Nutricionistas e toda a Comunidade Educativa da E. B. 2/3 de Amarante.
Estamos a iniciar a intervenção e a operacionalização de todo um projecto, complexo e ambicioso, chamado "Ver para Querer", que não se esgotará durante este ano lectivo mas que se prolongará nos próximos. Entretanto, já temos página no Facebook e esta pode ser visualizada se clicarem aqui.
Juntem-se a nós, façam like e sigam-nos. Prometemos muito e esforçado trabalho!
Porque acompanhados dos melhores parceiros faremos mais e faremos melhor, pelos nossos alunos, sempre!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Novas Sobre os Currículos e Novo Desenho Curricular


Novas Sobre os Currículos e Novo Desenho Curricular

Um currículo mais equilibrado, mais tempo para as disciplinas de História, Geografia e Educação Física? Boa! Só posso aplaudir!
Regresso da Formação Cívica? Regresso da Área de Projeto? Boa! Só posso aplaudir!
Vem aí uma revolução para as escolas? Se for boa, só posso aplaudir!
Vem aí uma outra forma de organização e de trabalho para e nas escolas? Só posso aplaudir!
É que como está, não está bem! Notoriamente, não está bem. E muita da culpa é do anterior ministro da Educação, Nuno Crato de seu nome, com a imposição de turmas gigantescas para as características dos nossos alunos, com a imposição de metas curriculares inexequíveis, com um desenho curricular desequilibrado que divide disciplinas de primeira categoria - Português e Matemática - de disciplinas de segunda categoria e que são todas as outras.
Vamos em frente. Decididamente caminhando em pleno século XXI... espero!

"O secretário de Estado da Educação admite reduzir os tempos de aulas de algumas disciplinas nos curriculos escolares, para aumentar os de História, Geografia e Educação Física. Ao Expresso, João Costa diz também que as escolas serão convidadas a desenvolver projetos que envolvam várias disciplinas e anuncia o regresso da Educação para a Cidadania."

Veja aqui a reportagem.

Nota - Chamam-lhe geringonça. Mas, por vezes, parece acertar.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Ai Cum Catano Que Este Blogue Faz Hoje Dez Anos!


Ai Cum Catano Que Este Blogue Faz Hoje Dez Anos!

E quase me escapava! Uma década! Como foi possível?!

Assim sendo não posso deixar de vos agradecer a companhia inestimável que me têm feito durante todos estes anos em que este blogue nunca ficou à mingua de leitores. Estou-vos grata do coração! Sem vocês desse lado, mesmo que silenciosos o mais das vezes!, isto não teria piada nenhuma.
E... continuemos! Enquanto continuar for uma opção...

Novas do Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante

Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Novas do Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante

Hoje foi dia de ensaio para os membros deste peculiar coro formado por alunos, funcionários e professores do Agrupamento de Escolas de Amarante.

Se eu estou afogadinha em trabalho? Sim, estou.
É certo que estou a afogar... mas não é por isso que deixo de cantar!
E por hoje é isto.

Da Municipalização da Educação


Da Municipalização da Educação

Devagar, devagarinho, com pezinhos de lã, aqui está a municipalização da educação a instalar-se obedecendo já, para não deixar dúvidas a ninguém, a calendários eleitorais ditados pelas próximas eleições autárquicas. Não se deixem enganar pela nomenclatura anunciada pois muito embora a palavra municipalização não esteja a ser usada, propositadamente, claro está!, e seja usada em sua vez a expressão "processo de descentralização", a coisa referida é exactamente a mesma. E a coisa é grave. Não o seria, no entanto, se este país fosse habitado por políticos verdadeiramente democráticos e que não cultivassem uma partidarite aguda e que colocassem os interesses da Nação, ou seja, os interesses da Educação acima de qualquer interesse partidário. Infelizmente não é que vamos vendo à nossa volta e já constatamos mesmo tentativas de silenciamento de vozes que por vezes se tornam incómodas apenas porque contrárias à opinião de quem momentaneamente ocupa as cadeiras do poder local.
Sim, é certo, nós professores ainda não passaremos nesta fase para a jurisdição ou alçada do poder local mas o cerco está já a ser montado e, temo!, não faltará muito tempo para arranjarem cabresto à medida de cada voz, mais ou menos incómoda, mais ou menos escutada.
Pela minha parte aviso desde já que me manterei fiel às minhas ideias e opiniões e que o poder autárquico jamais me calará.
Tenho dito!
E ainda relembro que uma só voz, a falar num mesmo tom, será sempre mais pobre do que muitas vozes que se expressam através de múltiplos cambiantes. Porque a diversidade é muito bela.
E tenho dito!

Pessoal não docente: mais de 40 mil passarão a ser geridos pelas câmaras

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Afogamento

Auto-Retratos - Canntina da E.B 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Afogamento

Digamos que afoguei perante o trabalho que já tive durante os últimos dias, digamos que me sinto de novo a afogar perante a perspectiva de trabalho que terei nos próximos dias.
Mas atenção, enquanto afogo, mantenho-me colorida. Porque é o mínimo!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Dia de Nova Jóia de Luz

Nova Jóia de Luz - Porto

Dia de Nova Jóia de Luz

Confesso-vos que hoje é um dia de muita emoção para a minha família. É que chegou uma nova Jóia de Luz pequenina, acabada de nascer em Dia de Namorados e que me fez, pela primeira vez do meu lado, tia abuelita.
Obrigada, sobrinhos meus! Que a nova Jóia de Luz hoje chegada a este mundo tenha sempre tudo o que precisa para crescer forte, saudável e feliz.

Novas do CNE por David Justino


Novas do CNE por David Justino

Não sei como é que o CNE chegou aos valores que hoje anunciou David Justino para a redução de alunos por turma. O que sei é que o país teria a ganhar com a constituição de turmas mais pequenas pois pouparia, por certo!, em problemas disciplinares que, quantas vezes! levam os professores às doenças psiquiátricas com reflexos na falta de produtividade e no absentismo e pouparia, igualmente por certo!, pela diminuição das retenções de alunos que provocaria esta medida pois só quem não é professor é que não sabe o quanto é diferente o funcionamento de uma turma com 20 ou com 30 alunos dentro de uma sala de aula. As retenções custam-nos 380 milhões por ano? Talvez só com esta medida, da redução de alunos por turma, fosse possível obter alguns ganhos também aqui. E depois, o país também pouparia em subsídios que deixaria de pagar, baixava ao mesmo tempo a taxa de desemprego, colocava mais gente no activo, mais gente ficava com algum dinheiro no bolso para consumir levando a uma maior circulação de moeda... sei lá, de repente isto até se revelava um bom saltito na economia geral.
Digo eu. Mas também digo que, para além de tudo isto, talvez fosse interessante, por uma vez, deixarmos de atirar o barro à parede com números de muitos milhões para impressionar o zé povinho e centrarmos a discussão mais no plano pedagógico... não?
É que toda a despesa com Educação não é um gasto. É um investimento.

Menos alunos por turma defendidos por PCP, BE e Verdes custam entre 500 e 700 ME - CNE

Quanto a esta notícia, só posso subscrever as palavras de David Justino.

Turmas com alunos de vários anos de escolaridade são uma "chaga social", afirma presidente do CNE


Da Importância da Apresentação na Alimentação



Da Importância da Apresentação na Alimentação

Sim, a apresentação é importante... e tudo isto a propósito do Dia dos Namorados.
Gentileza, precisa-se! Vejam o vídeo e aproveitem as ideias, simples mas muito belas!

 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.