sexta-feira, 22 de maio de 2015

quinta-feira, 21 de maio de 2015

As Anedotas do MEC e de Cambridge


As Anedotas do MEC e de Cambridge

Não sei de quem foi/é a culpa, se das duas estruturas com responsabilidades acrescidas na Educação, se só de uma, se somente de um MEC, de qualquer forma de um MEC!, que há muito bateu no fundo e chafurda agora na lama, autista, cego e surdo.
Sei que contei este absurdo em família e não houve nem uma alminha sequer que acreditasse que o MEC tivesse chegado a este ponto... "Não é possível!""; Não, não podem ter feito isso!"
Pois fizeram. Os alunos com deficiência severa auditiva, surdos, portanto!, tiveram adequações à sua condição. E quais foram elas? O MEC pensa tudo ao pormenor e estes alunos tiveram a possibilidade transcendental de "ouvir" em velocidade lenta o CD oral de Cambridge.
É anedótico, não é? Ou melhor, seria, se não fosse trágico. O MEC goza de fininho com alunos e professores e trata-os com uma ligeireza que até dói!
E mais não digo.

Prova de Inglês previa que alunos com deficiência auditiva severa ouvissem o CD da oral em velocidade lenta. Não havia DVD para leitura labial.

Novas da Amarantina

Pés para Andar - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Novas da Amarantina

Realizada a primeira reunião entre as forças intervenientes no processo de organização da Festa, posso garantir-vos que a Amarantina está com excelentes pés para andar.
E mais não digo...

terça-feira, 19 de maio de 2015

Desnorte de Macho

Cristo em Dor
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Desnorte de Macho

Felizmente hoje em dia há sempre uma câmara por perto ou perderíamos esta cena protagonizada por um macho muito macho. A farda que este macho muito macho veste é um pormenor importante mas existem destes machos muito machos por todos os lados, fardados e por fardar. E são sempre nojentos, estes machos muito machos, em todas as circunstâncias.

Pré-Aviso de Greve e Esclarecimentos da FENPROF

Pré-Aviso de Greve e Esclarecimentos da FENPROF

Em anexo se envia o pré-aviso para prolongamento da greve a todo o serviço relacionado com o exame da Cambridge.

Aproveitamos para reafirmar o que sempre dissemos sobre eventuais descontos salariais decorrentes desta greve:

·        A greve a este serviço, designadamente a formação presencial e as sessões de oralidade, bem como a formação online na sequência da formação presencial, não deve determinar qualquer desconto, uma vez que o docente em greve ao serviço PET continua a cumprir integralmente o seu horário semanal (40 horas, entre trabalho lectivo, não lectivo de estabelecimento e não lectivo individual).
·        Já no que respeita à vigilância da componente escrita, que ocorreu no passado dia 6 de Maio, bem como para a formação online presencial que surgiu na sequência da carta conjunta IAVE / DGEstE aos directores das escolas e que representa uma nova nuance no serviço PET, reforça-se que não deixa este serviço de estar coberto pelo pré-aviso de greve entregue pela FENPROF e outras seis organizações sindicais, pelo que todo e qualquer professor pode decidir aderir à greve, ou continuar a fazê-lo, se antes o havia feito.
·        Quanto às implicações em termo de desconto, tal dependerá, num caso e noutro, de o serviço ser marcado para além do horário do docente ou em substituição de outro serviço pré-existente. A ser verdadeira a 1.ª hipótese,  como cremos acontecer na esmagadora maioria no que toca à formação para que os docentes estão agora a ser convocados, senão mesmo em todos os casos, a ausência por adesão à greve não deve determinar qualquer desconto, por o serviço em causa se enquadrar nos termos previstos no n.º 1 do artigo 83.º do ECD:

«Artigo 83.º
Serviço docente extraordinário
1 — Considera-se serviço docente extraordinário aquele que, por determinação do órgão de administração e gestão do estabelecimento de educação ou de ensino, for prestado além do número de horas das componentes lectiva e não lectiva registadas no horário semanal de trabalho do docente.»

·        Ora, se o cumprimento de serviço para além do horário deve determinar o pagamento como serviço extraordinário, o seu não cumprimento, por adesão à greve, neste caso, apenas determinará o não pagamento do mesmo, mas sem que haja lugar a qualquer outro desconto, pois todo o horário semanal é cumprido.
·        Mas se o serviço for marcado em substituição de outro – por exemplo em tempo que, no horário do docente constassem tempos não lectivos de estabelecimento (apoios individuais, sala de estudo, clubes, biblioteca, etc.), ou se, como aconteceu em imensos casos com a vigilância, no dia 6 de Maio, houve anulação de aulas e outro serviço dos professores vigilantes, aí, sim, já haverá lugar ao desconto correspondente à duração da tarefa a que o docente esteve ausente por greve.

Saudações sindicais!

segunda-feira, 18 de maio de 2015

A Selvajaria à Solta E Desculpem a Insistência

A Selvajaria à Solta E Desculpem a Insistência


A Selvajaria à Solta


A Selvajaria à Solta

Mas andam todos tresloucados? Polícias incluídos? Já não nos bastava o assassinato do miúdo de catorze anos pelo de dezassete, a sova do miúdo na Figueira da Foz por um bando de energúmenos e agora ainda temos de assistir a esta sova descontrolada de um pai de família em frente aos seus filhos e ao seu idoso pai por um agente da autoridade descontrolado?! Mas é que nem que o senhor agredido tivesse de facto cuspido no agente da autoridade isso lhe legitimava esta reacção violenta!
A sociedade portuguesa pós-troika está melhor? O país está melhor?
Onde? Só se for dentro da cabeça do "nosso" primeiro...





"Cuspidela não houve", diz testemunha de detenção violenta em Guimarães



domingo, 17 de maio de 2015

Aveiro - S. Jacinto - Enguias

Aveiro S. Jacinto
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Aveiro - S. Jacinto - Enguias

Em Aveiro, apanhámos um barco que nos levou, em 10 minutos de viagem calma, à pacata S. Jacinto e ao maravilhoso restaurante "A Peixeira".
Confesso que me estreei nas enguias e que na estreia as comi de caldeirada e que as achei simplesmente divinais, de comer e chorar por mais!

Ai o que eu andei a perder todos estes anos!!!!

Todos Atrás de Alguém para Qualquer Lado


Museu Santa Joana Princesa - Aveiro
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Todos Atrás de Alguém para Qualquer Lado

Não é a primeira vez que falo deste meu amigo, Helder Colmonero de seu nome, a propósito de amizade e viagens, dois temas que me continuam a ser muito caros e que se entrecruzam maravilhosamente bem, segundo o meu ponto de vista.
Também não é a primeira vez que falo do "Todos Atrás de... ", um programa que de quando em vez alguém organiza, frequentemente eu, antigamente baptizado com o nome de "Combinações", e que disponibiliza a um grupo de amigos alargado que, sob este pretexto, aproveitam para conviver, conhecer e confraternizar com a intenção máxima de celebrar a Amizade, que esta vida são dois dias e um já se escafedeu. É claro que agora, com o facebook, a coisa está extraordinariamente facilitada e operacionalizar um qualquer fim-de-semana, prolongado ou não, é agora fácil fácil não implicando chamadas telefónicas infinitas para combinar tudo de fio a pavio.
Assim, e depois do "Todos atrás da Anabela Magalhães para Foz Côa" ocorrido no mês passado, eis que usufruímos já de um "Todos Atrás do Helder Colmonero para Aveiro, com percurso iniciado no Museu Santa Joana Princesa, instalado no Mosteiro de Jesus, construção do século XV, onde se recolheu, em 1472, esta princesa filha do nosso rei D. Afonso V, o Africano, irmã do nosso querido rei D. João II, o Príncipe Perfeito, aquele que sonhou um dia chegar à Índia por mar e tudo fez para o conseguir... quase conseguindo.
Aconselho a visita a este museu onde o barroco abunda na talha profusamente trabalhada numa ostentação desmedida, muito notória na Igreja de Jesus e um pouco pelas restantes dependências conventuais e nos azulejos, exuberantes aqui e ali. Mas nem só de barroco vive o museu, já que existe também manuelino, renascimento, maneirismo, rococó em colecções diversas, para além da arquitectura do próprio edifício, de pintura, escultura, talha, azulejaria, mobiliário, ourivesaria...
É claro que este programa não se ficou por aqui, mas por agora foi o post que se arranjou desejando eu que chegue rapidamente o "Todos Atrás do Carlos Afonso e do Eugénio Queiroz para Tormes" que antecederá o "Todos Atrás da Anabela Magalhães para a Festa Amarantina".

Darei mais novas.

sábado, 16 de maio de 2015

Bom Fim-de-Semana

Auto-Retrato com Recheio Diverso - S. Gonçalo
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Bom Fim-de-Semana

A preparar a minha máquina para o safari fotográfico...


sexta-feira, 15 de maio de 2015

Os Problemas Não se Resolvem à Pancada


Os Problemas Não se Resolvem à Pancada

E desconhecendo o contexto em que ocorreu mais esta agressão, apenas constato que as agressões extremamente violentas entre os mais jovens parece estar a aumentar. E não são caso única, eu sei. Aliás, as crises económicas potenciam as crises de valores e a violência desmedida, quer seja física ou psicológica, e que daí decorre frequentemente e é exercida muitas vezes sobre quem está mais próximo, mais a jeito para ser saco de porrada. A escola, sendo que é um reflexo da sociedade em que vivemos, ao acolher todos os miúdos quase sem excepção, vê-se foz/refém dos problemas que os afectam como sejam o alcoolismo, o consumo de drogas, o desemprego, as doenças psiquiátricas mais variadas...
Os ímpetos violentos, que todos nós sentimos mais cedo ou mais tarde, mais ou menos amiúde, são uma das muitas coisas que devemos aprender a controlar desde muito cedo. E também temos de treinar engolir contrariedades, recusas e fazer delas força positiva.... sob pena de nos tornarmos pior do que animais selvagens, sem respeito por nada nem por ninguém.

E para que não pensem que estes problemas são exclusivos da Escola Pública, aqui deixo a infeliz notícia de hoje sobre mais uma agressão horrenda.

Leiria. Jovem assistido no hospital após agressão em autocarro escolar

MEC - Sem Rei Nem Roque?

Recorte surripiado ao Arlindo Ferreira

MEC - Sem Rei Nem Roque?

Ainda ontem postei sobre esta perturbação extrema infligida por um MEC que devia proporcionar um clima pacato e tranquilo às comunidades educativas durante todo o ano mas que está apostado em fazer exactamente o oposto. Especialmente agora, que nos encontramos na recta final, as aulas escafedem-se dia sim dia sim.
Até quando, senhor ministro? Qual o prazer sentido ao não escutar quem está no terreno e sente na pele a anormalidade de um período já de si pequeno mas agora interrompido a torto e a direito pela sua mania de tudo examinar?
E o que melhorou no ensino desde que esta mania foi por si transposta do seu plano mental para a prática de todas as escolas neste país à beira mar plantado?
Os alunos sabem mais? Os professores ensinam melhor? Os alunos aprendem num clima de satisfação e tranquilidade? Os professores chutaram para canto o stress? Dá-lhe gozo implementar uma "escola paralítica"? Q que é que se passa então?

Pois garanto-lhe que a Escola não está melhor. E nem preciso de fazer inquéritos e estudos estatísticos para chegar às respostas.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

A Violência Arbitrária e Descontrolada


A Violência Arbitrária e Descontrolada

Menor de 14 anos raptado e morto

A confirmar-se esta notícia arrepiante.

Quando adolescentes, gente com a sua personalidade em formação, assim desrespeitam a vida dos seus pares, actuando com completo desprezo e desmedida violência face ao outro seu igual, é caso para perguntar:

- Que raio de sociedade é esta que também estamos a formar?

Hoje o país por inteiro só pode estar de luto.

Stress Docente - Preocupante


Stress Docente - Preocupante

Basta ler os fóruns de professores para verificar que há (muita?) gente na profissão à beira de um ataque de nervos, gente que já perdeu o Norte, gente que descarrega, na primeira oportunidade, sobre o primeiro par ou ímpar que ousar atravessar-se no seu caminho.
Se este estado anímico é bom para o país? Pois não podia ser pior... e, no entanto, o MEC não deixa de cavar a cada dia mais o stress infligido às escolas e aos seus professores... para não falar nos alunos...
É o que se está a passar com o Exame de Inglês, de que não vou agora falar mas que dava um filme de humor negro, é o que se passará durante a próxima semana, de loucos!, em que nós ficaremos em larga escala privados de leccionar as disciplinas que seria suposto leccionarmos até à próxima sexta-feira, prisioneiros de vigilâncias sem fim, à conta dos exames de Português e de Matemática de 4º e de 6º ano que alguém, idiota por certo, se lembrou de calendarizar para esta bela semana de aulas de Maio, ainda o terceiro período mal saiu do adro e já quase recolhe à Igreja.
Assim sendo, e para que estes alunos façam exames, as aulas de 7º, 8º e 9º, este último ano ele próprio alvo da examemania do ministro Crato, não ocorrerão e outros alunos verão todas e/ou quase todas as suas aulas por um canudo, deixando os professores de Português e de Matemática de 9º ano à beira da fúria e da doideira. Ou seja, o ministro Crato faz atropelar os interesses de uns alunos pelos interesses de outros alunos. O que é capaz de ser bom pois prepara-os para se atropelarem todos uns aos outros durante o resto dos seus dias...

De facto, aquela coisa de os alunos fazerem exames findas as aulas, tal e qual acontecia no meu tempo de estudante, foi coisa estapafúrdia, não foi? Era muito confuso, não era? Foi uma idiotice peregrina, não foi?

Vai daí foi preciso inovar... rssssssssssss...

Um em cada três professores está à beira do esgotamento

Novas da Gatilho - Convite



Novas da Gatilho - Convite

Aqui deixo o convite para a abertura do FLIP - Mostra de Cinema de Animação - que ocorrerá hoje, a partir das 21 horas, no Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira.
Apareçam!

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Ainda a Propósito do Novo largo de São Pedro

Registo da Remodelação do Largo de São Pedro
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Ainda a Propósito do Novo Largo de São Pedro

Um dia destes escrevi um post sobre a remodelação do Largo de São Pedro que pode não ter sido muito claro para todos quantos leram as minhas palavras. Escrevi eu, entre outras coisas:

(...) o Largo de São Pedro, em vias de remodelação, sofreu uma ventania tal que ficou de arvoredo limpo. (...)

Ora, e para que não fiquem dúvidas, aqui deixo alguns esclarecimentos:

1 - Os plátanos foram serrados e não levados pelo vento.
2 - Os cotos dos plátanos e as respectivas raízes ainda ficaram mais uns dias mas tal situação não se manterá por muito mais tempo pois serão arrancados
3 - A pequena praça sofrerá um arranjo total... parece que vai ficar com um espelho de água no centro... parece que vão plantar oliveiras... parece que os lugares de estacionamento serão quase todos levados pelo vento mais dia menos dia... parece que o fontanário será centrado na parede...

Aguardemos pela obra. Uma coisa é certa, como estava, o Largo de São Pedro não estava bem e não dignificava a Igreja que, quando as obras de conservação e restauro acabarem, ficará um brinquinho por dentro e por fora.
Como sou crente, espero sinceramente que o arranjo da praça lhe confira mais dignidade.

Acordo Ortográfico


Acordo Ortográfico

Dizem que acabou o período de transição. Dizem também que, a partir de hoje, o português legislado no Acordo Ortográfico é de uso obrigatório. Ao que respondo - De uso obrigatório, o tanas! E se é certo que procurarei cumprir no âmbito profissional, junto dos meus alunos e nos documentos oficiais da escolinha, é igualmente certo que na minha vida privada continuarei a fazer um enormíssimo manguito à sua utilização.
No entanto, e porque respeito quem o passará a seguir, aqui deixo um Guia para perceber o que muda.

Nota - A imagem neste post partilhada foi surripiada no facebook onde está a ser partilhada a grande vapor.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Ainda Cambridge - A Luta Continua


Ainda Cambridge - A Luta Continua

Crato dá prémio por cada exame


Exame Cambridge:
MEC confirma grande adesão dos  professores à greve e recorre à pressão ilegítima e à ameaça

Car@ sóci@ do SPN,
O MEC enviou aos directores das escolas e agrupamentos um ofício, assinado pelo presidente do IAVE e pelo director-geral da DGEstE no qual, em tom de notório desespero, procura criar pressão sobre os professores, deliberadamente ignorando que a sua não participação neste processo se faz no âmbito da greve convocada por sete organizações sindicais.
Neste ofício, IAVE/DGEstE/MEC confirmam o insucesso da “convocação” dos professores para formação, primeiro em vários locais, depois centralizada em Lisboa e, por essa razão, ordenam, agora, aos directores que convoquem os “professores classificadores por si designados que não concluíram, até à data, a certificação para as funções de classificador”. No ponto seguinte, refere que “na ausência do docente às sessões para as quais foi regularmente convocado, a Direcção deverá agir em conformidade”… seja lá o que isso quer dizer.
O MEC deixa, assim, no ar um tom de ameaça com aquele “agir em conformidade”, esquecendo-se que a ausência dos professores à formação – como a todas as actividades relacionadas com este exame –, é absolutamente legal, sendo lamentável que 41 anos após o 25 de Abril de 1974, os dirigentes do IAVE e da DGEstE façam este tipo de pressão ilegítima, revelando um enorme desrespeito pelas regras da democracia e pelo direito a pensar de forma diferente.
DGEstE e IAVE falam, no seu ofício, em “falta de comparência ao serviço” por parte dos professores que, em greve, não realizaram as chamadas “sessões de Speaking”. Ora, esta expressão do vocabulário desportivo é aqui completamente descabida, pois está-se, isso sim, perante a adesão a uma greve legalmente convocada para permitir que os professores recusem envolver-se num processo que sai do âmbito das suas funções, para a qual não foram determinados quaisquer serviços mínimos (recorda-se que por decisão unânime do colégio arbitral que incluía um juiz representante do próprio MEC), que prejudica a sua actividade com os seus alunos e que se mantém envolto por manto pouco transparente.

Ameaças de procedimento disciplinar são absurdas e, se se concretizassem, voltar-se-iam contra directores
Se dúvidas houvesse, confirma-se o forte impacto da greve dos professores ao “exame Cambridge” e também as dificuldades que IAVE/ DGEstE revelam, quando é posta em causa a sua vontade, em lidar com normas elementares da Democracia. Dificuldades em que não está infelizmente sozinho, pois, a reboque do já citado “a Direcção deverá agir em conformidade”, chegaram-nos informações de que haverá até directores a ameaçar com procedimentos disciplinares!
Ora, eis uma “possibilidade” surreal e absurda, já que o direito à greve é um direito constitucionalmente protegido, sendo aquela uma opção que o próprio ofício conjunto IAVE/DGEstE claramente afasta, quando, nos pontos 4 e 5, refere que, quem não se submeta a estas ameaças, mantendo a decisão de não completar a formação/certificação, não reunirá “as condições para obter a certificação creditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, correspondente a 25 horas de formação e a 1 (um) crédito” e ainda que “Os professores classificadores que não participarem nas tarefas de classificação que lhes forem atribuídas não poderão usufruir da dispensa da componente não lectiva, de acordo com o estipulado da alínea b) do número 2 do artigo 15.o do Despacho n.º 2179-B/2015, de 2 de Março”. Claro que, se algum vier a concretizar a ameaça, asneira em que sinceramente não acreditamos, os serviços jurídicos do SPN estarão à disposição dos seus sócios, quer para orientar a defesa nesse processo, quer no apoio à intenção, legítima, de apresentar queixa contra o(s) director(es) em causa, pois estaria em causa uma clara violação do direito à greve.
Cremos que, perante o exposto, a ideia de levantamento de procedimento disciplinar só pode passar mesmo por algumas cabeças menos arejadas, ou, passe o paradoxo, por alguns cabeças-no-ar… Aliás, atitudes deste tipo deverão até dar mais força aos professores, de inglês e não só, que têm participado nesta greve e que, também dessa forma, vêm mostrando o seu carácter e a força da sua/nossa razão! Parabéns, pois, a todos aqueles que têm dado corpo a esta luta contra a tentativa de subverter o conteúdo funcional docente e de colocar a Escola Pública ao serviço de obscuros interesses particulares.
Saudações sindicais!
'A Direcção
José Manuel Costa

Aos Meus Alunos

Inauguração da 10ª Mostra de Doces Conventuais de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Aos Meus Alunos

Aos de ontem, aos de hoje, aos de amanhã...obrigada por tornarem os meus dias mais ricos, coloridos, trabalhosos e estimulantes.

E tudo isto a propósito da 10ª Mostra de Doces Conventuais de Amarante...

10ª Mostra de Doces Conventuais de Amarante

10ª Mostra de Doces Conventuais de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

10ª Mostra de Doces Conventuais de Amarante

Aqui deixo um cheirinho da festa que se fez/faz sempre com muita prata da casa.

Os meus agradecimentos a todos quantos trabalharam/trabalham para levar a bom porto esta anual iniciativa.


segunda-feira, 11 de maio de 2015

Varanda para a Rua - Casamarela

Varanda para a Rua - Casamarela - Rua da Cadeia
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Varanda para a Rua - Casamarela

Palavras para quê se é "apenas" uma varanda a florescer e a alindar-se para a Festa Amarantina...

Ai o prédio dos Pinheirinhos...

Femen em Protesto Contra Marine Le Pen

Femen em Protesto Contra Marine Le Pen

De assinalar a violência dos trogloditas ao retirarem as meninas da varanda.

A Visita de Estudo do 8ºA Vista pelo Tiago

A Princesa do Tâmega - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Tiago Carvalho

A Visita de Estudo do 8ºA Vista pelo Tiago

Hoje aproveito para partilhar com os meus leitores as fotografias captadas pelo Tiago, o meu braço direito no que a fotografias de visitas de estudo diz respeito, que, com um telemóvel que não é o tijolo desta professora, consegue reter imagens panorâmicas extraordinárias da Princesa do Tâmega em que ambos habitamos.

Obrigada, Tiago! E muitos parabéns pelos enquadramentos obtidos nesta nossa cidade de beleza tão especial.
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.