quinta-feira, 31 de maio de 2018

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Projecto "Ver para "Querer" - Porto Canal


Projecto "Ver para "Querer" - Porto Canal

O projecto "Ver para Querer" resulta de uma parceria entre a Ordem dos Nutricionistas e o Agrupamento de Escolas de Amarante (E. B. 2/3 de Amarante.)
Iniciado há cerca de um ano, ganhou agora visibilidade nacional. Esta é a reportagem feita pelo Porto Canal, no passado dia 23 de Maio, nas instalações da nossa School Canteen.
Confesso, sinto orgulho no trabalho já desenvolvido por tantas pessoas que remam a bom remar para que este projecto não seja coisa linda e morta num qualquer papel.
Continuemos, pois, contra ventos e marés, que também os há dentro das instituições de Educação e fora delas também. Continuemos, pois, com a ajuda de quantos nos quiserem ajudar, envolvendo-se neste projecto de alma e coração, neste projecto que nunca estará concluído porque todos os anos entram novos alunos na E. B. 2/3 de Amarante, porque todos os anos a Escola se renova.

 

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Um Final de Ano Caótico


Um Final de Ano Caótico

Prevejo um final de ano lectivo caótico. O novo sindicato S.TO.P. já entregou um pré-aviso de greve que cobre as primeiras reuniões de avaliação, de 4 a 15 de Junho. E é aqui que eu entro pois não precisarei de mais ninguém para inviabilizar sete conselhos de turma. Podem contar com isto.
Vou fazer todas as greves até que se comprometam a não me roubarem nem mais um cêntimo no resto que me resta de vida.
Enchi. Estou farta de ser achincalhada e farta que tentem fazer de mim gato sapato.
Entretanto, simplesmente anedótico!, o sindicato ao qual pertenço, em conjunto com todos os outros unidos numa plataforma sindical, marcou uma greve muito fofinha e, pasme-se os sindicalistas já avisaram, não vá as pessoas ficarem confundidas, que esta greve não se reflectirá negativamente nos exames nacionais. Bem pensado, pá! Será uma luta condenada ao fiasco, quando tantos professors já expressaram por diversos meios que exigem uma greve às reuniões de avaliação que cause o caos ao ME e que comprometa o final do ano lectivo. A confusão está instalada. Agarrem-me... ou eu luto, carago! Mas não muito muito... parecem dizer as gentes que povoam os sindicatos.
Fosse este governo de direita e veríamos a garra desta gente.
Assim... miaaaaaaaaauuuuu.

Novas da ILC


Novas da ILC 

O prazo para assinar a Iniciativa Legislativa de Cidadãos acaba no dia 16 de Julho.
Neste momento, e para aí com uma semana de pifanço da plataforma de uma das instituições que mais custa ao erário público, a ILC conta com 68% das assinaturas necessárias, que, como já todos sabem, são 20 mil.
Seria bom que a ILC entrasse com 50 mil ou, melhor ainda!, com 100 mil assinaturas ou mais já que, quanto maior for o seu número, maior é a nossa capacidade persuasiva naquela casa que devia legislar tendo em conta os direitos dos cidadãos, neste caso dos professores e não a sua sonegação.

E dizem que não há dinheiro... para quem é assalariado, claro!

Assina a ILC - https://participacao.parlamento.pt/register

Perder Tempo/Engonhar/Chover no Molhado/Medição de Forças

Mar da Bretanha - França

Perder Tempo/Engonhar/Chover no Molhado/Medição de Forças

Mexer em práticas enraizadas é, neste país, e também nas nossas comunidades educativas, sinónimo de comprar chatices. Porque as pessoas sempre fizeram assim e nunca se questionaram, sequer, sobre o(s) motivo(s) porque fizeram sempre assim o que fazem. Fazem-no e ponto final. Automaticamente, mecanicamente, mais parecendo robôs numa linha de montagem demodé, primária e suja, onde as preocupações são tudo menos higiénicas/estéticas e toca de virar frangos de qualquer maneira, a toda a hora e a todo o momento, que o pessoal do lado de lá come o que lhe dão, não é exigente e qualquer coisa lhe serve.
Só que uma comunidade educativa tem de ir mais além do virar frangos de qualquer maneira e isto é válido para uma qualquer sala de aula ou para fora dela, sob pena de não estarmos a cumprir o nosso papel de educadores das futuras gerações, sob pena de reproduzirmos hábitos e costumes bem/mal enraizados entre nós, como por exemplo das coisas aquitangadas, feitas de qualquer maneira... que eu de minha casa não vejo e basta que se varra o lixo para debaixo de um qualquer tapete.
Isto é um primeiro nível que, frequentemente, e contando com alguma resistência inicial que até é compreensível, ao fim de um período de adaptação está mais do que ultrapassado.
Um outro nível, bastante mais grave, é que alguém se dê ao trabalho de desmanchar o que foi pensado por quem sabe mais, e que foi bem feito, para repor o que está mal, ignorando directrizes superiormente dadas. E que o consiga fazer reiteradamente, numa impunidade total, dia após dia, numa espécie, talvez, de consciente medição de forças.
O título deste meu post de hoje está macio. Comparado com a dimensão da minha fúria eu diria até que está muito fofinho. Porque se há coisa que eu abomino é que me façam perder o meu precioso tempo, fazendo-me repetir gestos que à primeira deveriam estar terminados, fazendo-me esbanjar tempo, o meu tempo, que tem de ser muito bem gerido sob pena de não conseguir dar conta de todos os recados em que me envolvo.

OPJ 2018 Amarante

Orçamento Participativo Jovem (OPJ) - Amarante 
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

OPJ 2018 Amarante

No passado sábado assisti à apresentação dos projectos apurados para esta fase/período de votação do Orçamento Participativo Jovem desta minha cidade.
Muito embora já tenha referido o OPJ Amarante anteriormente neste blogue, foi o facto de saber que alunos da minha escola, sob orientação das Professoras Maria João Balça, Ana Osório e Sónia Morgado e da Psicóloga Célia Pereira, apresentaram um consistente projecto de recipientes para periscas, dejectos de cão e chicletes que visam, no seu conjunto,  aumentar a limpeza na cidade, limpeza esta que já conheceu melhores dias!, que me levou, num sábado após o almoço, à Casa da Juventude para, numa sala sem condições para acolher tanta gente e para numa sala a transbordar pelas costuras, escutar os autores dos projectos a defenderem as suas ideias.
Pelos 29 alunos da E. B. 2/3 de Amarante, envolvidos nesta aventura, defenderam as suas ideias duas jovens magníficas que estiveram como peixinho na água e que puseram, por diversas vezes, a assistência a gargalhar, o que é sempre bom.
O período de votações já arrancou e acaba a 30 de Junho.
Se tens entre 14 e 30 anos, e és de Amarante, podes votar no projecto que mais te agrada. Confesso  que este me agradou especialmente já que toda a comunidade educativa, à qual pertenço, percorre passeios que são autênticos atentados à saude pública.
Como não encontrei qualquer vídeo no tubes relativo ao orçamento participativo deste ano, partilho o vídeo realizado para o OPJ do ano passado, cheiinho de caras conhecidas.
Entretanto... parabéns, miúdos e miúdas! E parabéns, Professoras/Psicóloga!

domingo, 27 de maio de 2018

ILC - A Palavra a Cassilda Coimbra


ILC - A Palavra a Cassilda Coimbra

"Eu subscrevo e assinei a ILC porque … 

- Não aceito que usurpem o meu trabalho! Tenho servido para subsidiar a imoralidade, a corrupção e o enriquecimento ilícito de alguns, e após me ter sacrificado durante esta última década, não posso conceber que me estejam a oferecer uma esmola repartida no tempo.
- Não usufruí de nenhum perdão fiscal, nem sou acionista de nenhuma grande empresa.
- Não sou, nem nunca fui deputada, não tenho direito a reforma vitalícia, a despesas de representação e outras mordomias.
- Nunca me pagaram um cêntimo para estar em reuniões, em eventos, visitas de estudo, apresentações de projetos (…) fora do meu horário de trabalho.
- Pago os meus impostos e ainda pago muito do meu material para trabalhar.
- Estou cansada de ser manipulada, do desrespeito do ME e dos sucessivos governos.
- Não tenho medo de ninguém, mas tenho medo de um dia só aguentar trabalhar medicada, de andar a arrastar-me pela escola, de ser enxovalhada ou agredida porque não terei a mesma força de agora.
- Não sou licenciada em direito, mas pertenço a uma classe instruída e sei interpretar o que leio: o artigo 19º da Lei do Orçamento é para inglês ver, a Resolução da Assembleia da República n.º 1/2018 serviu para acalmar os ânimos e a proposta posterior de dois anos e uns trocos é indecorosa
- A minha dignidade e valorização profissional não andam ao sabor de agendas políticas!
- O meu voto não é moeda de troca para migalhas em campanha de legislativas
- Está mais do que na hora de mudarmos de atitude. Eu não sou saco de pancada.
- Eu provavelmente não preciso, mas como posso pactuar com a injustiça relativamente a outros tantos colegas?
- Todos nós já passamos por injustiças, não resolve nada continuarmos a chorar sobre o leite derramado. - Estou cansada que permitamos que nos dividam, enfraqueçam e fragilizem.
- Tem de acabar esta mentalidade instituída de professor QE/QA/QZP, Contratado. Somos todos professores.
- Espero que o legado às gerações seguintes não seja uma profissão reduzida à insignificância e ao desprezo coletivo.
- Não decorei meia dúzia de conteúdos, que os meus alunos podem aprender sozinhos no Google. Faço parte de uma classe inteligente, capaz, resiliente.
- Muitos de nós podemos estudar e trabalhar graças ao sacrifício de quem nos educou e formou.
- Respeito o trabalho de quem nos representa, mas não me demito de exercer o meu papel de cidadão e de lutar por mim.
- Não estou à espera que lutem por mim, não me conformo, não assobio para o lado, não permito que me digam o que devo ou não pensar e fazer.
- Sinto orgulho deste ato de cidadania coletivo inesperado, e indesejado por quem nos governa, mas que demonstra, de forma inequívoca, porque somos um modelo para tantas crianças e jovens que educamos."

A Estratégia de Desprezo e de Proletarização dos Professores É Coisa Combinada?


A Estratégia de Desprezo e de Proletarização dos Professores É Coisa Combinada?

Pelos EUA. Com os meus agradecimentos ao Luís Braga.

A ILC Omnipresente

Coabitação Entre Rancho Folclórico e ILC - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães 

A ILC Omnipresente

Assina a ILC - https://participacao.parlamento.pt/initiatives/76

Comigo a ILC vai sempre atrás. E é assim que, em reuniões preparatórias para a Festa Amarantina, ou na esplanada do Café-Bar, em S. Gonçalo, consigo fazer o chamado três em um: divirto-me convivendo com quem gosto, escuto música erudita ou popular e explico o que está por detrás da feitura da ILC e o que levou oito professores, todos zecos, eu incluída, a meterem-se nesta empreitada como se não tivessem mais nada para fazer. Todos somos professores ocupadíssimos, é certo, alguns com presença diária na blogosfera, todos com muitíssimos afazeres, típicos desta altura do ano. Mas o que não somos, nunca fomos e nunca seremos é desistentes. E, por isso, vamos à luta!
Não prometemos nada. Mas, se nada conseguirmos, não ficaremos pior do que estamos neste momento com o ME a só nos querer restituir, do que é nosso por direito porque foi tempo de trabalho cumprido, pouco mais de dois anos de um total de 9 anos, 4 meses e 2 dias e com os sindicatos, unidos em plataforma sindical, irredutíveis, e bem!, na exigência da contagem integral do tempo de serviço. Exigimos o mesmo. Mas como a via negocial, ao fim de dois anos de reuniões, se salda por uma mão vazia e outra cheia de coisa nenhuma, é nossa obrigação tentar uma outra via, a via onde tudo se pode decidir e que detém, por excelência, o poder legislativo deste país.
De relembrar que PS, B e PCP já votaram favoravelmente uma recomendação ao governo no final de 2017 que diz, em última análise, tal como o nosso projecto de decreto-lei - Conte-se integralmente o tempo de serviço dos professores.
Atenção que não estamos a exigir retroactivos dos quase 10 anos em que permanecemos congelados. Já dissemos adeus aos patrocínios forçados, muitos forçados, diga-se de passagem!, para que espíritos santos, sócrates, bavas, mexias, limas, PPPs múltiplas e variadas, duplicações de subsídios de deslocações ou lá o que é do forró em que está transformada a Casa da Democracia Portuguesa... e fico-me por aqui porque o post ficaria demasiado extenso!... para que toda esta gente andasse radiante por um pouco mais de tempo. Só que, agora, dizemos BASTA. Não admitiremos sermos roubados até morrermos. Não admitiremos que um governo dito de esquerda se prepare para nos roubar todos os dias das nossas vidas, num prejuízo intolerável para cada professor e respectiva família.Ou seja, num óbvio prejuízo para o país!

Nota - A partir de um razoável telemóvel é possível assinar a ILC em três tempos! Façam-no! Se concordarem com a justeza da causa.

sábado, 26 de maio de 2018

ILC - Contagem Decrescente


ILC - Contagem Decrescente

https://participacao.parlamento.pt/initiatives/76

Assinaram a ILC, até este momento, 13261! Vou usar o slogan da FENPROF: o tempo de serviço não se negoceia, conta-se!
Tenho dito!

A Festa da Parque Escolar e a ILC


A Festa da Parque Escolar e a ILC

https://participacao.parlamento.pt/initiatives/76

Sim, foi uma Festa! E estou apenas a citar a sua obreira principal! Foi uma Festa e, curioso!, a Festa continua. Ora espreite aqui e abra a boca de espanto.

E depois, relembre as festas que nos arruinaram enquanto país e serviram de justificação para nos roubarem o produto do nosso trabalho tão duramente conseguido.

Assim, assina a ILC! Porque o tempo de serviço de um trabalhador/professor não se negoceia. Conta-se!

sexta-feira, 25 de maio de 2018

História em Movimento

Centro de Recursos da Sala de História - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

"História em Movimento"

Muito já escrevi neste blogue, e no blogue História em Movimento, sobre o Projecto História em Movimento, sobre a Sala de História do 3º Ciclo da E. B 2/3 de Amarante e sobre o seu Centro de Recursos nela contido, nascido a partir do ano lectivo de 2009/2010, aquando da minha colocação, finalmente efectiva!, nesta escola.
Na minha vida itinerante por várias escolas aqui da região, como contratada, nunca vi semelhante coisa, nem tão pouco enquanto aluna vi semelhante coisa, nunca li nada sobre Salas de História a conterem Centros de Recursos.
A ideia saiu dos meus irrequietos neurónios que, cansados de me verem arrastar caixas e caixinhas para as escolas, nos últimos anos antes de 2009, pensaram... e se a Sala de História fosse como uma Sala de Ciências, ou uma Sala de Música? E isto só para dar dois exemplos.
Meti pés, cabeça, tronco e membros à obra e arrastei, salvo seja!, quem quis ser arrastado. Confesso que os alunos são sempre os meus melhores aliados mas contei, como não podia deixar de ser com outro aliado de peso que foi a Direcção do meu agora Agrupamento de Escolas de Amarante, para além de professores amigos que, durante todos estes anos, alguns sem mesmo nunca terem pertencido a este agrupamento, me têm enviado e oferecido recursos com que vou enriquecendo este meu pequeno tesouro, que, em grande medida continua meu e só o deixarei, talvez!, na Escola se vir que há alguém com unhas para prosseguir esta obra.
Isto tudo para dizer que, depois de um ano lectivo deveras penoso para mim, a bem dizer uma professora maneta... raio! e logo da mão direita!, voltei ao activo e, se bem que não ainda em plena forma, a verdade é que já sacudi a letargia, os antibióticos e os anti-inflamatórios do lombo e... e...  acção, miúdos e miúdas! que eu estou de volta!
E é assim que estamos a revirar a sala de aula do avesso, centro de recursos incluído!
Revolução, precisa-se! Precisam eles, miúdos e miúdas fartos do sempre igual, do padronizado, do monótono e do expectável... e preciso eu. Apenas para ver se continuamos felizes dentro deste eespaço onde passamos uma grande parte da nossa vida e onde os sucessivos ministros não entram. Certo?
Confesso: Gosto disto! E voltarei a este tema proximamente.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

O Projecto Ver para Querer na Imprensa


Ver para Querer
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

O Projecto Ver para Querer na Imprensa 

A Verdade
Ordem dos Nutricionistas apresenta projeto na Escola EB 2,3 de Amarante

JN
Bastonária dos Nutricionistas "absolve" concessionárias das cantinas escolares

Bird Magazine
Bastonária apresenta projeto piloto em escola de Amarante

Viver Saudável
ON apresenta projeto-piloto de intervenção alimentar

Ver para Querer

Ver para Querer - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Ver para Querer

Pela E. B. 2/3 de Amarante o trabalho faz-se em várias frentes. Uma delas passa pelo projecto Ver para Querer que, como está escrito no texto que acompanha a peça gravada pela TVI, a Ordem dos Nutricionistas vem desenvolvendo em estreita colaboração com esta escola que também é a minha.
O projecto Ver para Querer visa, em última análise e de forma resumida, que os alunos comam de forma mais saudável, que os alunos aumentem a sua literacia alimentar, que reduzam, se possível!, para o zero o desperdício alimentar. Iniciado no ano lectivo de 2016/2017, prossegue este ano lectivo, porque um projecto desta natureza não se esgota num só ano, mas, pelo contrário, terá de ter continuidade durante os próximos anos, com outros alunos que todos os anos se renovam na escola, saindo os do 9.º ano de escolaridade, entrando os do 5.º ano de escolaridade, num vai-vem constante, num movimento cadenciado que faz lembrar as ondas do mar constantemente em movimento de aproximação e de recuo.
Ontem foi dia de recebermos várias entidades interessadas em conhecer este projeto.
Assim, pela ARS Norte tivemos a honra de receber o seu Presidente, Dr. Pimenta Marinho, do gabinete de Relações Públicas, Antonino Leite e ainda a enfermeira Paula Duarte, vogal do Conselho Diretivo do mesmo organismo; pela Ordem dos Nutricionistas, a sua bastonária Professora Doutora Alexandra Bento, a Dra. Graça Ferro, vogal da direcção, a Dra. Tânia Cordeiro, a Dra. Ana Frias, assessora da Bastonária e ainda Gustavo Machado, da equipa multimédia da referida Ordem.

Dos trabalhos fez parte uma breve Visita à Escola, mais concretamente ao pavilhão 4 que está a ser intervencionado por diversos professores e pelos seus alunos, é absolutamente imprescindível que os alunos estejam implicados na melhoria de um espaço que é deles, e ainda ao pavilhão central, com especial enfoque na cantina e no bar da nossa escola e que igualmente estão a ser intervencionados, mas neste caso no âmbito deste projecto. Seguiu-se uma reunião com os Órgãos de Gestão da Escola e com a Equipa do Projecto Ver para Querer em que foram apresentados os resultados da intervenção já realizada. Encerramos, como não podia deixar de ser, com um almoço na nossa School Canteen. Ontem a ementa foi constituída por frango assado com batatas alouradas e feijão verde, várias saladas à escolha, sopa de legumes e fruta da época, enfim, o costume, ementa igual a todas as escolas aqui do Norte em que a empresa ganhadora da concessão opera.

Pais, acreditem, come-se bem, diria até muito bem, na cantina da E. B. 2/3 de Amarante.
Perguntem à senhora Bastonária da Ordem das Nutricionistas! Perguntem ao senhor Presidente da ARS Norte!

Nota - Sim, é verdade, para enorme alarido entre os mais pequenos, ontem foi dia de abrirmos as portas da nossa comunidade escolar aos órgãos de comunicação social.
Aqui vos deixo um exemplo:

TVI

 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.