segunda-feira, 31 de julho de 2017

Novas da Casa Branca


Novas da Casa Branca

Estou mesmo convencida que o pessoal que ocupa hoje a Casa Branca fuma - Anda a fumar? Sempre fumou? - daquelas coisas que fazem rir... não?
A notícia de hoje é esta... e, ao fim de 10 dias!:

Scaramucci demitido de director de comunicações da Casa Branca.

É caso para comentar... ah ah ah!

Trabalhar em Florença - Agradecimentos


Florença - Itália
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Trabalhar em Florença - Agradecimentos

Confesso que nem em sonhos sonhei com esta possibilidade mas a verdade é que, um dia destes, partirei para esta belíssima cidade/museu ao ar livre, Florença de seu nome, para cumprir uma formação para professores no âmbito do programa Erasmus+, no meu caso, no âmbito das TIC.
Em todo o Agrupamento de Escolas de Amarante, nove professores aceitaram o desafio de partirem para o estrangeiro em trabalho, interrompendo as suas férias, por um período limitado de tempo, utilizando uma língua de trabalho que não é a materna, em cidades desconhecidas para alguns (Atenas e Florença) e que, para outros, são apenas conhecidas pelo prisma do turista e nada mais.
Claro que isto se deve ao trabalho de alguém. Tudo se deve sempre ao trabalho de alguém, que tem nome e que tem identidade.
Por isso, agradeço publicamente esta possibilidade a quem organizou a candidatura no meu Agrupamento, Professora Ana Baptista, a nossa excelentíssima Coordenadora de Projectos, que, não brincando em serviço, levou a nossa candidatura para um super honroso primeiro lugar a nível nacional.
Foi obra! E foi mérito dela. E porque nada em trabalho nos cai do céu aos trambolhões, aqui fica o meu público agradecimento a quem queimou as suas pestanas para que isto fosse possível.

domingo, 30 de julho de 2017

First Breat After Coma

First Breat After Coma - CCA - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
Fotografias surripiadas na net

First Breath After Coma

Sabia que o concerto ia ser bom mas confesso que ia impreparada para o que vi e ouvi ontem no Centro Cultural de Amarante. Há dias assim... e noites também as há, é certo, daquelas que nos surpreendem muito pela positiva e nos deixam a pensar que... porra!... mas estes miúdos de Leiria dão mesmo as cartas todas em cima do palco e deixam lá, por certo!, a pele, alagadíssima em suor.
São o Roberto Caetano, o Rui Gaspar, o João Marques, o Pedro Marques e o Telmo Soares e juntos formam, desde 2012, a banda a que chamaram First Breath After Coma.
A música é feita de momentos de pausa e silêncio intenso e profundo, quase espiritual, seguidos de momentos em que este silêncio é rompido com estrondo, momentos que parecem catárticos, que mais parecem a catarse deles, e nossa também, porque nós, expectadores, vamos com eles para onde eles nos querem levar. E mesmo no estrondo a espiritualidade continua lá, bem presente, numa música a que chamam pós-rock mas que aos meus ouvidos me pareceu simplesmente divinal.
Excelentes músicos com uma grande e arrepiante capacidade vocal, os First Breath After Coma chegaram a Amarante graças à Associação Gatilho que está com uma agenda excelente e imparável, para nossa felicidade. Agradeço aos seus membros o excelente trabalho já feito em prole do pessoal aqui do burgo e do pessoal dos seus arredores.







Bom Dia!

Flor e Borboleta - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Bom Dia!

Com flores e borboletas do centro histórico de Amarante.

sábado, 29 de julho de 2017

Amarante - Programa das Festas


Amarante - Programa das Festas

Porque Amarante está imparável, aqui vos deixo o programa para hoje e para os próximos tempos.
Planeiem vir... sob qualquer pretexto mesmo que aqui não mencionado.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Dia dos Avós

Avó e Neto - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Artur Matias de Magalhães

Dia dos Avós

Têm um dia especialmente dedicado a eles, aos Avós, mas para mim qualquer dia é dia deles... e delas. Hoje, por exemplo!
E a Jóia de Luz cresce...

Rodrigo Amarante e a Luta pelo Tâmega


Rodrigo Amarante e a Luta pelo Tâmega

Quando vem um Amarante do outro lado do Atlântico lutar por um rio chamado Tâmega e que é apenas identitário para Amarante... pode acontecer isto.
Obrigada aos membros do Geota... eles sabem quem são! por nunca desistirem de lutar... mesmo em pleno Mimo.
Quem sabe... talvez seja desta que os vários poderes locais que neste momento assentam arraiais ao longo do curso do Tâmega olham para ele com olhos de ver, como um filão ambiental, estético, paisagístico, terapêutico... que é!, propiciador de variadíssimas práticas desportivas e de lazer, propiciador de deleite para as mentes que com ele contactam e que não o querem ver mais conspurcado. Já chega o Torrão! Aliás, desmantelem o Torrão!

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Rodrigo Amarante e a Luta pelo Tâmega


Rodrigo Amarante e a Luta pelo Tâmega

Apresento-vos o brasileiro que tem raízes nesta terra que é minha e que por aqui se apresentou à conta de um festival que é um Mimo. E que já fez mais pelo Tâmega do que muitos amarantinos que nunca ergueram a voz para defender o rio Tâmega contra a usurpação das águas que são de nós todos pelas hegemónicas sem vergonha EDPS e IBERDROLAS deste mundo!
Lamentavelmente, a sua intervenção cívica de cima do palco perante milhares de espectadores não consta deste vídeo. Mas, para nós, essa foi exactamente a parte mais importante do seu concerto, porque foi diferenciadora de todos os concertos que Rodrigo Amarante já deu ou dará por esse mundo fora. Não desfazendo o resto que foi maravilhoso.
Obrigada, Rodrigo Amarante! Obrigada por se importar com esta gente que banha todos os dias os seus pés no rio Tâmega!



Ver para Querer

Ver para Querer - Reunião de Trabalho - Porto
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Ver para Querer

Porque o projecto de intervenção na E. B. 2/3 de Amarante, chamado "Ver para Querer", continua de pé, hoje foi dia de reunião de trabalho na Ordem dos Nutricionistas com a finalidade de preparar o plano estratégico de acção para o próximo ano lectivo.
Continuamos com os objectivos que nortearam esta intervenção desde o primeiro dia de trabalho, a saber:
  • 1. Aumentar a literacia nutricional dos alunos
  • 2. Melhorar a oferta alimentar das unidades de alimentação (bufete e cantina)
  • 3. Melhorar o espaço físico das unidades de alimentação (bufete e cantina)
  • 4. Diminuir o desperdício alimentar
A seu tempo, daremos novas, daremos boas novas!

terça-feira, 25 de julho de 2017

A Caligrafia Está Condenada?


A Caligrafia Está Condenada?

A palavra caligrafia tem origem em duas palavras gregas kalli, beleza a que se junta graphe, escrita e pode traduzir-se pela arte da bela escrita ou arte da escrita bela.
No tempo em que entrei na escola e aprendi a escrever já não se usava aprender os muitos e variadíssimos tipos de caligrafia artística com que me deparei um dia, investigando um baú de casa dos meus avós maternos situada na Régua, em caderno de escola pertencente por certo a uma das muitas minhas tias, agora já todas falecidas, e que relembro ainda hoje tal a beleza primorosamente desenhada naqueles cadernos de linhas diferentemente espaçados e apropriados aos vários tipos de caligrafia que eram aprendidos pelas miúdas e miúdos nessa longínqua primeira metade do século XX. Quem me dera ter hoje um desses cadernos na minha posse... até para ilustrar este post!... mas a verdade é que não tenho.
Bom, retomando a história, quando entrei na escola ainda tive uma caligrafia digamos que mais restrita e aprendi a desenhar as letras todas do alfabeto nas suas versões minúsculas e maiúsculas com as famosas canetas de tinta permanente que nos davam cabo do toutiço por exigirem perícia no seu manuseio para que não borrássemos a escrita toda com nódoas azuis que tratávamos de secar rapidamente com aquele célebre papel rosa mata-borrão que, por vezes, tal a aflição perante a ameaça da lostra ou do sadicamente chamado "bolo", deixava, quantas vezes! a coisa ainda pior do que já estava.
E eis que chegados ao dia de hoje nos deparamos com a abolição da caligrafia em escolas de múltiplos quadrantes antecipando, por certo, uma generalização de fim de caligrafia que me deixa, confesso, um pouco preocupada pelas consequências que daí podem advir para a humanidade se a coisa for generalizada e esta competência se perder ficando talvez reduzida, de novo, a alguns restritos escribas.
É por aqui que vamos?

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Vota Tâmega - O Geota, o Rodrigo Amarante e o Tâmega

Fotografia de Octávio Passos - Global Imagens
Campanha Vota Tâmega - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Vota Tâmega - O Geota, o Rodrigo Amarante e o Tâmega

O pessoal do Geota veio por aí acima de armas e bagagens e assentou arraiais no meio do arraial que foi o Mimo, em pleno Largo de S. Gonçalo e nos seus arredores, alertando para a sem vergonhice da prevista construção de mais cinco barragens no Tâmega.
A mensagem chegou aos membros da banda Três Tristes Tigres e à sua vocalista, Ana Deus, e ainda a Rodrigo Amarante, que eu vi e ouvi!, e que, explicitamente, abraçaram, do cimo do palco e na presença de milhares de pessoas, uma causa que nos deveria acompanhar a todos enquanto amarantinos e que nos devia unir a todos contra a construção da cascata de barragens prevista para o nosso rio Tâmega. Rodrigo Amarante foi mesmo espectacular e, provavelmente, terá feito ontem mais pelo Tâmega do que muitos de nós ao longo de décadas de luta. O que nos deve deixar a todos a pensar...
Eles já votaram Tâmega. Sem ses e sem mas.
E você? Nas próximas eleições Vota Tâmega?

Rodrigo Amarante levanta a voz contra barragens no Tâmega

Rodrigo Amarante contesta barragem no palco do Mimo

Campanha "Vota Tâmega" quer parar a construção de novas barragens

Nota 1 - Os meus agradecimentos ao pessoal do Geota por não desistirem deste rio que corta Amarante em duas, determinando-a desde tempos imemoriais.
Nota 2 - Espero que o Octávio Passos me perdoe o surripianço da sua magnífica fotografia!

domingo, 23 de julho de 2017

Mimo e Amarante - Um Balanço Provisório

Festival Mimo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Mimo e Amarante - Um Balanço Provisório

Digamos que primeiro o Mimo arriscou abraçar Amarante, Amarante arriscou abraçar o Mimo e depois, depois gente de todo o lado, de Portugal e dos seus arredores, rendeu-se a este formato de festival de oferta gratuita que não se resume a concertos, e que, dentro dos concertos, não se resume a concertos de rock.
Gosto disto! Gosto da diversidade da oferta, da preocupação educativa, dos fóruns de ideias, dos concertos que não seguem uma linha espartilhada num género, do ambiente cosmopolita e descontraído que se gera na minha cidade apinhada de gente, da oportunidade do reencontro entre amigos de longe que aqui se deslocam, da alegria genuína que se vê e se sente nas pessoas, anónimas ou não, que se vão vendo em trânsito pela cidade.
O Município de Amarante, nas pessoas que desde há quase quatro anos ocupam este leme, ao deixarem cair, já este ano, durante as Festas do Junho, um horror de formato pimba e rasca como aquela coisa mais do que manhosa de programa que passa aos Domingos à tarde na TVI e ao apostarem, desde o ano passado, num festival como o Mimo, só demonstram inteligência, estando, decididamente, no bom caminho de uma projecção à altura de Amarante, cidade que é, já o afirmei muitas vezes, uma pequena jóia que apenas precisa de ser tratada com carinho, cuidado e respeito.
Este assertivo caminho trás muitas vantagens ao burgo e aos seus habitantes que não se traduzem só nas moedas a tilintar nas caixas registadoras da região mas que vai muito além deste retorno económico que, sendo importante no imediato, o ultrapassa, traduzindo-se igualmente num sentimento de orgulho imenso, alimentador da nossa auto-estima amarantina.
Sim, podemos olhar à volta e verificamos que Amarante, com todos os problemas que por aqui ainda persistem, e persistem!, também tem um lado muito cosmopolita e se mostra bem a quem neste burgo por estes dias circula.
Por isso, volto a agradecer ao Adriano Santos pelo papel determinante que desempenhou para que a opção Amarante fosse uma realidade para o Mimo e dou os meus parabéns aos políticos da coligação que têm, em grande parte, os destinos do Município de Amarante nas mãos, por terem tido a inteligência de saber agarrar o que assenta como uma luva a esta cidade.
Por aqui, vamos! E, claro, parabéns também aos brasileiros na pessoa de Lú Araújo que arriscaram sobrevoar o Atlântico e trazer aqui para a terrinha um festival que é um Mimo.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

"Melhores Amigos"

Família - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

"Melhores Amigos"

Andam sempre colados. São bisavô e bisneto.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Dia das Amigas

Festa Amarantina - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia sei lá eu de quem...

Dia das Amigas

Porque parece que hoje é o dia delas... sim?
E sim, os meus abraços são fortes. Até ao fim.

Nota - Esta loira verdadeira vai ficar aqui em representação de todas e de todos que guardo, com alegria, no meu coração.

Mimo

Mimo - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Mimo

Por aqui estamos em contagem decrescente para um festival que é um Mimo.
Vai daí... mimem-se, sff! E aproveitem tudo.
Aqui vos deixo o programa para que, desejando, se possam organizar durante o próximo fim-de-semana. Eu, garanto-vos, começo logo no primeiro dia/noite. Vou fechar os olhos, vou abrir as asas de par em par e vou partir no embalo destes blues do Sahara profundo, tocados e cantados por estes homens azuis, tuaregues do Mali.
Aguardo-vos há tantos e tantos anos que nem sei...







Novas do Casario Amarantino

Lailai em Obras - Finalmente! - Covelo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Novas do Casario Amarantino

Entrei em obras. (Finalmente!)
Boa tarde!

Hostel des Arts


Hostel des Arts

Já aqui falei anteriormente deste equipamento tão importante para a cidade de Amarante. Hoje volto a ele, para vos informar que será inaugurado, oficialmente, no próximo dia 29 de Julho.
Boa sorte, irmãos Fonseca!
Entretanto, deixo-vos com uma notícia saída no Observador e que conta um pouco a história deste antigo Hotel Silva.

Des Arts, um hostel com arte e os genes de Teixeira de Pascoaes

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Vota Tâmega


Vota Tâmega

Não costumo divulgar a minha intenção de voto, aliás, nunca antes o fiz. No entanto, desta vez, e face à importância do rio Tâmega para a cidade onde vivo, abro uma excepção para divulgar que votarei Tâmega nas próximas eleições municipais.
Se quiser inteirar-se sobre a importância da adesão a esta candidatura, clique no link que lhe deixei na palavra Tâmega escrita a vermelho. Porque este é ainda o tempo de lutar contra as aberrações.
Obrigada, Geota!

"Vota Tâmega é uma campanha promovida pela associação ambientalista GEOTA, no âmbito do projeto Rios Livres. Pretende sensibilizar os/as candidatos/as a Presidente de Câmara nas Eleições Autárquicas de Outubro de 2017 para o impacto negativo das barragens no Vale do Tâmega: Fridão, Daivões, Gouvães e Alto Tâmega.
Durante vários dias trabalhámos para sensibilizar os autarcas a assinarem a Declaração pelo Tâmega: documento que defende um rio limpo e sem novas barragens."

terça-feira, 18 de julho de 2017

Listas Definitivas - Concursos 2017/2018


Listas Definitivas - Concursos 2017/2018

E aqui estão elas, as listas definitivas do concurso interno 2017/2018. Fiquem também com as listas do concurso externo e externo de integração extraordinária 2017/2018.
Boa sorte a todos quantos concorreram!

Festa Amarantina e Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante


Festa Amarantina e Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante

Uma parceria feliz ou uma Escola a cumprir plenamente o seu papel enquanto estrutura educativa pertença de uma comunidade e a colaborar activamente nas propostas emanadas de um grupo de vizinhos com um elevado sentido de responsabilidade pelo papel que desempenha no burgo.
Somos centro histórico amarantino, não o esquecemos. Somos Escola Pública, não o esquecemos. Não deixamos cair nem um, nem outro.

Rebelião em Mini-Saia


Rebelião em Mini-Saia

O uso de uma mini-saia e de uma blusa curta pode, ainda hoje, ser um acto de rebelião e, simultaneamente, um acto de enorme coragem? Pois pode.
O caso passa-se na retrógrada Arábia Saudita, amarfanhadora compulsiva da feminilidade das mulheres e tem provocado discussões intermináveis nas redes sociais entre dois pólos distintos e mesmo opostos - uns aplaudem o gesto libertador desta mulher saudita, outros condenam-no.
É verdade, o caso passa-se na longínqua Arábia Saudita... mas por cá a tentação de impor códigos de vestuário, principalmente feminino, também se verifica de quando em vez, nomeadamente nas escolas, depois de tantas décadas passadas sobre as escandalosas, à época, mini-saias da Mary Quant.
A brincar a brincar... já se passaram mais de 50 anos, não foi? E ainda estamos nisto?
Aqui deixo a minha homenagem pública a esta bela e corajosa mulher que muito arrisca ao fazer o que fez.

 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.