domingo, 28 de maio de 2017

Descentralização/Municipalização


Descentralização/Municipalização

Chamam-lhe descentralização mas também lhe podemos chamar municipalização. Já está a ser preparada faz tempo e parece que dará importantes passos no sentido do seu aprofundamento durante esta legislatura. Parece que só ficarão de fora algumas, poucas, escolas intervencionadas pela Parque Escolar e nós, professores! Por agora.
A coisa foi chegando devagarinho, foi-se impondo, foi-se experimentando aqui e ali. Se estivéssemos num país normal até que faria lógica tudo ser decidido localmente. Como estamos em Portugal, onde os políticos são o que são e por todos são conhecidos, temo o pior. Temo a capelinha, o pálio, a pressão, a partidarite, o compadrio, as jogadas políticas... o presidente sou eu!... e bolas, a Educação devia ficar à margem destas vergonhas.
E assim passaremos de uma concentração de poderes ao nível central para várias concentrações de poderes ao nível do poder local. E assim são também retiradas competências que até aqui eram das escolas e dos agrupamentos. Não passaremos para melhor.
Que palavra têm as escolas aqui? Pois... calem-se já! E isto não é um pedido. É uma ordem.

Governo entrega às câmaras tudo menos professores e escolas da Parque Escolar



Alunos - Finalistas

Finalistas em S. Gonçalo - Amarante
Fotografia (Desfocada) de Anabela Matias de Magalhães

Alunos - Finalistas

Alunos e professores, professores e alunos. Não existem uns sem os outros, escrevi eu um dia, e as relações entre eles extravasam, frequentemente, a simples relação inodora, incolor e insípida que advém de quem não consegue, ou não quer, entregar-se de alma e de coração à profissão docente. Quem consegue esta superação de equilíbrio instável, e por vezes perigoso, acumula medalhas feitas de abraços fortes e carinhosos e de beijos sentidos... e de palavras doces segredadas aos ouvidos ou espalhadas aos quatro ventos.
Foram largados há três anos e passaram a outra etapa mais exigente saindo do ensino básico e passando para o ensino secundário. Agora, eis que esta etapa está quase concluída e faltam "apenas" uns exames, que, espero, serão vencidos com uma perna às costas.
Maravilhosas recordações guarda esta professora destes alunos que agora, simbolicamente, se lançam num novo e mais arrojado voo que os levará, alguns definitivamente, para longe de nós, suas famílias amarantinas que não conseguem assegurar as condições necessárias para que eles, querendo, se possam fixar aqui na terrinha que é a nossa, ajudando ao seu desenvolvimento, abrindo-lhe outros horizontes.
Maravilhosas recordações guarda esta professora destes alunos... alguns deles ensinaram-me a dançar o Gangnam Style, vários deles frequentaram o Clube de História, outros continuaram a tocar à campainha cá de casa em noites de Hallowen, ver aqui e aqui, muitos deles participaram no Desfile Histórico organizado pelo grupo de História da escolinha, ver aqui, aqui e aqui,  alguns continuaram a ajudar-me na Festa Amarantina, ver aqui, outro continuou a aparecer para se juntar ao Grupo Coral Sem Nome em dias de Feira à Moda Antiga, com um deles fiz uma parceria feliz e ele ilustrou-me um PowerPoint, uma delas sentei-a no meu colinho enquanto lhe explicava que a sabedoria também se alcança com fracassos... basta que aprendamos lições com eles.
Ajudaram-me, durante três anos, a suportar Ser Professora, a suportar estar tutelada por gente que frequentemente não está à altura dos cargos que ocupa e que faz e desfaz para tornar a fazer de seguida num vai vem contraditório até dizer chega... e que nos esgota.
Hoje despeço-me deles, simbolicamente, mais uma vez. E faço votos para que voem, em segurança, para que voem felizes.
Até sempre, finalistas! Até sempre, Alunos Meus!
E não se esqueçam - Não se acomodem. Não morram em vida. Façam-se ouvir. Esperneiem e esbracejem se preciso for.

Nota - A fotografia foi propositadamente desfocada.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Novas da Greve e Esclarecimento


Novas da Greve e Esclarecimento

A greve de hoje, que à hora a que escrevo ainda decorre, foi convocada pela Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Funções Públicas de Sociais (FNSTFPS) e suscitou dúvidas a alguns professores que ora esgrimiam o argumento que sim, que podiam fazer greve, ora que não, que não podiam participar nesta greve pois os sindicatos de professores não a tinham previamente convocado.
Sendo que esta última parte é verdadeira, a verdade é que eu, sendo professora da Escola Pública, sou funcionária pública e, como tal, podia participar na greve convocada para hoje.
Por acaso, não participei. Ou melhor, não foi por acaso que não participei, foi mesmo depois de pensar algumas vezes sobre o assunto - tinha a manhã integralmente preenchida com testes de avaliação que me seriam complicadíssimos de remarcar porque as agendas, nesta recta final do ano lectivo, estão a ficar ou já estão mesmo a modos que completamente esgotadas.
Guardo-me, assim, para as greves que previsivelmente serão convocadas pelos nossos sindicatos de professores, lá para o mês de Junho, isto se os sindicatos não obtiverem alguma abertura por parte do ministério da educação no sentido de darem respostas favoráveis a uma série de questões que se prendem com as carreiras... que carreiras?!... congelada há mais de dez anos já só sei que me privaram de ter uma, que me espoliaram de um direito que é meu, que nos espoliaram de um direito que é nosso... horários, concursos, combate à precariedade, acesso à aposentação... e um sem fim de problemas que, até agora, este ministro conseguiu driblar.

Finito. Há um tempo para tudo. Até para ser o mexilhão que paga os desvarios dos outros, os roubos e assaltos dos outros.

Finalmente, por aqui a Escola Secundária de Amarante nem sei se chegou a abrir portas pela manhã para as encerrar logo de seguida ou se nem as chegou a abrir e a E. B. 2/3 de Amarante encerrou portas terminado o período lectivo da manhã.

Veja a reportagem da TVI clicando aqui.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

SPN/FENPROF - Esclarecimento Sobre a Greve de Amanhã


SPN/FENPROF - Esclarecimento Sobre a Greve de Amanhã

Pela sua pertinência, transcrevo-o na íntegra:

"O SPN tem sido contactado por muitos colegas que questionam se a greve de amanhã, dia 26 de Maio, é ou não dirigida aos professores.

Sobre este assunto, esclarecemos que a Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) convocou uma greve para amanhã, dia 26 de Maio, na qual participarão, entre muitos outros, os trabalhadores não docentes das escolas. Esta é uma greve justíssima, com objectivos que, em parte, são também dos professores, sendo disso exemplo as exigências de actualização dos salários, de descongelamento das carreiras, de medidas de combate à precariedade ou a rejeição da municipalização.

Por estas razões, o SPN/FENPROF teve já ocasião de manifestar, junto da FNSTFPS, a sua mais fraterna solidariedade para com os trabalhadores que amanhã, 26 de Maio, estarão em greve, mas não emitiu qualquer pré-aviso de greve para este dia.

Relativamente aos professores e educadores, o tempo é igualmente de luta, pelo que, tal como outros grupos profissionais, exigem a assunção de compromissos, por parte do Governo, no sentido da resolução de problemas, onde, para além dos que antes se enunciam, se destacam ainda a reorganização dos horários de trabalho, a aprovação de um regime especial de aposentação e a alteração do actual regime de gestão das escolas.

No sentido de garantir esse compromisso do Ministro da Educação, a FENPROF tem vindo a desenvolver diversas acções de luta (as duas últimas em 18 de Abril e 17 de Maio), devendo o seu Secretariado Nacional, que reunirá nos dias 31 de Maio e 1 de Junho, aprovar as acções a desenvolver no mês de Junho, caso os professores não vejam respondidas satisfatoriamente as suas justas reivindicações.

Do atrás exposto resulta que é nessas acções dirigidas especificamente aos docentes que estes se deverão empenhar e participar, levando a que, pelo seu sucesso, a luta se traduza em forte pressão sobre o Governo para que este tome as medidas positivas que há muito se revelam necessárias relativamente às matérias acima assinaladas."

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Portugal no Top 5 da Obesidade Infantil Europeia - Sete Pecados (I)mortais


Portugal no Top 5 da Obesidade Infantil Europeia - Sete Pecados (I)mortais

O post que agora transcrevo foi partilhado no blogue Sete Pecados (I)mortais e amplia a constatação de uma triste realidade que pagaremos muito caro lá mais para a frente - Portugal está no top 5 da obesidade infantil europeia - ranking que nos devia envergonhar a todos, habitantes deste rectângulo herdeiro de um património mundial chamado Dieta Mediterrânica.

"Talvez seja mais uma consequência da crise económica de que lentamente saímos, talvez seja a lenta incorporação da mentalidade americana de comer, talvez seja um descuido fatal, mas a verdade é que Portugal já é o quinto país mais obeso da Europa, quando falamos de crianças.
Sim, crianças, aqueles seres fantásticos de quem quase todos dizem ter superiores interesses a defender e pelos quais os pais são capazes dos maiores sacrifícios. Sim, escrevo sobre as crianças, cuja alimentação é assegurada pela Escola em 30% ou 40%.

Há muito trabalho a fazer, a vários níveis. As mentalidades não mudam instantaneamente, mas há decisões a tomar, dentro da esfera pública, urgentemente.

Melhorar a qualidade e apresentação daquilo que se come na Escola é fundamental, ainda que isso possa implicar algum aumento de despesa. As crianças têm de ter prazer em comer aquilo que é servido na Escola. A qualidade dos ingredientes, a competência técnica de quem os confecciona e o empenho de pais e professores na melhoria da imagem da cantina junto dos alunos são alguns dos passos que têm de ser dados, com maior firmeza na Escola Pública Portuguesa.



Nesse sentido, a iniciativa conjunta do Agrupamento de Escolas de Amarante e da Ordem dos Nutricionistas, à volta do Projeto “Ver para Querer”, que mobilizou professores, alunos, técnicas da Ordem dos Nutricionistas, constituiu uma autêntica pedrada no charco no marasmo da educação para a saúde alimentar no concelho de Amarante. Obviamente que esta iniciativa serviu «apenas» para lançar a primeira pedra de um novo edifício alimentar de parte da juventude amarantina, mas teve o mérito de atirar à terra as primeiras sementes de um colheita que se espera ser bem mais saudável e menos pesada.

A comida, a sua apresentação e sedução, tem ocupado o panorama mediático nos últimos anos. É à mesa que nos entendemos, que convivemos, que negociámos, mas também é à mesa que perdemos alguma da nossa saúde. Está mais que na altura de introduzir o magno conceito de comer saudável, com requinte, com prazer. Não é de todo impossível."
Gabriel Vilas Boas


Do Vandalismo no Côa

Gravuras Rupestres - Museu do Côa
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Do Vandalismo no Côa

Parece que os suspeitos são machos, são maiores e são vacinados. Parece que os suspeitos resolveram brincar, quais moços infinitamente parvos, danificando Património que é deles mas que também é de toda a Humanidade, infligindo-nos um prejuízo incalculável a todos e a cada um de nós.
Durante um passeio de bicicleta, estou a vê-los todos artilhados!, parece que resolveram imitar os paleolíticos do Côa e toca de gravar no xisto, exactamente no painel do Homem de Piscos, exactamente no painel de uma raríssima figuração humana provinda dos nossos primórdios, uma bicicleta e uma pessoa que um qualquer miúdo do pré-escolar conseguiria imitar.
Devem ter achado um piadão. Pode ser que não achem tanta piada assim ao que agora se seguirá.
Assim o espero. Porque danificar o Painel do Homem de Piscos é o equivalente a danificar a Capela Sistina.
Capice, energúmenos vândalos? Sejam lá quem eles forem...

Polícia identifica suspeitos de vandalismo de gravura do Parque Arqueológico do Vale do Côa

E recupero um post de 13 de Abril de 2015:

É do conhecimento da generalidade das pessoas, mesmo das inteiramente leigas sobre estes assuntos da História, nomeadamente da História da Arte, que o Parque Arqueológico de Foz Côa alberga a maior colecção conhecida de arte rupestre paleolítica ao ar livre existente nesta nossa casa comum que é a Terra.
O Vale do Côa, protegido e temperado, rico em caça e em pesca, em frutos e no mais que os nossos antepassados necessitavam para assegurar a sua sobrevivência, atraiu, desde tempos imemoriais, uma população que elegeu este vale como a sua casa, como o seu lar. Fruto desta escolha, estas margens haveriam de guardar dentro de si as pegadas destes ancestrais Homo sapiens sapiens duplamente sábios e sabedores, que foram geniais no Côa e que nos legaram os comprovativos dessa genialidade na arte rupestre que acompanha o vale mais ou menos profundo. 
A fauna representada pela gravação é diversa - auroques, veados, cabras, cavalos, corças, camurças, peixes, até algumas raras figuras humanas - figuras sobrepostas ou isoladas, por vezes de tal forma emaranhadas que se torna difícil acompanhar o traçado extraordinariamente fino e elegante ou mesmo mais forte e mais marcado. De génio mesmo, a opção pela gravação de animais com duas ou mais cabeças, induzindo em nós a sensação de movimento, enfim, introduzindo aqui, estes artistas do Côa, os princípios da Banda Desenhada que estava ainda tão longe de ser descoberta, geográfica e temporalmente falando. 

As caminhadas para os núcleos, curtas, valem cada passo dado por veredas que acompanham o curso curvilíneo e agora manso do Côa. Por esta altura, pela Primavera, os malmequeres e o rosmaninho aos molhos enchem os montes de odores incríveis e de cores soberbas que nos espicaçam os sentidos para o que depois veremos e escutaremos. O chilreio da passarada louca é omnipresente. Associar tudo isto a um dia de sol radioso é uma bênção dos céus, de que podemos usufruir quase sem dispêndio de verbas para enorme deleite e preenchimento dos nossos interiores, todos os dias a precisarem de ser alimentados de coisas belas e poderosas. Foi o caso.

Aconselho vivamente os meus leitores a organizarem visitas ao Parque Arqueológico do Côa. A região é soberba, pacata, habitada por gente hospitaleira e acolhedora. Combinem tudo com antecedência com o pessoal do museu que é, em cinco estrelas, seis estrelinhas.
E não se arrependerão. Digo eu.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Festa Amarantina - Vida que Permanece


Festa Amarantina - Vida que Permanece

Permanecemos. Teimamos. Percorremos esta rua para cima e para baixo ensinando-a aos mais novos. A rua é o nosso sangue, herdado dos nossos antepassados que por aqui a percorreram, em tempos que já lá vão, para cima e para baixo, gastando as solas noutras calçadas, gastando as solas nestas mesmíssimas calçadas.
Por isso, aqui fica a promessa - Reergueremos esta rua!
Porque ela é minha, é tua e é de quem a apanhar...



Nota - Depois de um interregno, no que a crianças diz respeito, é com orgulho que registo que já temos, 3 crianças de tenra idade a habitarem esta artéria do casco antigo.

Nutrição - Fala Quem Sabe


Nutrição - Fala Quem Sabe

Escute aqui as sábias palavras da senhora bastonária da Ordem dos Nutricionistas, proferidas no passado dia 17 de Maio, em entrevista à RTP1, sobre um problema que está a ganhar contornos deveras preocupantes em Portugal e que extravasou o problema da obesidade.
Aos 4 minutos e 36 segundos.
E sim, precisamos, urgentemente, de alterar os referenciais para a alimentação em meio escolar, de os aplicar e de os fazer cumprir. Porque do papel à prática vai uma distância abissal.

Nisreen - Bailado pelos Refugiados


Nisreen - Bailado pelos Refugiados

Porque Nisreen é nome de refugiada síria.

NISREEN - Bailado pelos Refugiados from NISREEN on Vimeo.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Encerramento de Escolas - E a Campeã É...


Encerramento de Escolas -  E a Campeã É...

... essa mesmo!

David Justino - 472 escolas encerradas
Maria de Lurdes Rodrigues - cerca de 2500 escolas encerradas
Isabel Alçada - 701 escolas encerradas
Nuno Crato - 847 - escolas encerradas

É certo que o país acusa o envelhecimento e o despovoamento do interior, mas é igualmente certo que o país acusa também a fúria de quem se senta na cadeira principal da 5 de Outubro.

Mais de metade das 4867 escolas foram fechadas pelo PS

domingo, 21 de maio de 2017

Professores - Reivindicações


Professores - Reivindicações

Eu podia ter intitulado este post de forma diferente, apontando para as reivindicações da FENPROF... mas depois voltei a pensar... e o que é a FENPROF senão um sindicato que representa os seus associados e os professores em geral?
Sim, é verdade, nem sempre estivemos alinhados, nem sempre estaremos em sintonia... mas... quem, de entre os professores, não exige a carreira descongelada?!
Entretanto, se quiser começar a semana deprimido, consulte aqui o obsceno e imoral roubo que todos os meses praticam sobre o seu ordenado. Garanto-lhe que é de fazer chorar as pedrinhas da calçada.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Abracinhos Históricos - Coliseu de Roma

Abracinhos Históricos - Sala de História - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Abracinhos Históricos - Coliseu de Roma

A cena passou-se à entrada da aula de hoje e conta-se em duas penadas. A miúda dos abracinhos foi uma das duas alunas que trabalharam esta maqueta do Coliseu de Roma tendo-a oferecido ao Centro de Recursos da Sala de História que está a ser organizado na E. B. 2/3 de Amarante.
A maqueta é grande, alta, não cabe de modo algum dentro dos armários existentes na referida sala e, vai daí, o Coliseu de Roma ficou em segurança, todo este tempo, desde que foi oferecido até hoje, na sala ocupada pela Direcção do Agrupamento, longe, portanto, da vista da miudagem.
Esta semana repesquei este carrinho perdido nos corredores da minha escola para lá colocar maquetas de grande formato que eu não consigo guardar de outro modo.
Hoje, pela manhã, a miúda, que por certo sentiu falta dela durante todos estes meses, ao vê-la - até os olhos se lhe riram, garanto-vos! - abraçou-a amorosamente de forma completamente espontânea.
A cena foi gira e como blogger que se preze faz-se sempre acompanhar de máquina fotográfica... M, repete lá esse maravilhoso gesto histórico que eu registarei para a posteridade!
E assim foi. A M. repetiu o abraço ao também "seu" Coliseu de Roma. Para encanto de todos os presentes que assistiram à na deliciados. Para muito encanto meu, também!

quarta-feira, 17 de maio de 2017

A Importância de Uma Alimentação Equilibrada



A Importância de Uma Alimentação Equilibrada

Estou convencida que os Ministérios da Saúde e o da Educação vão ter mesmo de agarrar neste touro pelos cornos e fazer dele um desígnio nacional. Porque, sabemos todos isto muito bem, se hoje praticarmos uma alimentação saudável e fizermos exercício físico quanto baste, o que se pode ganhar a jusante em termos de saúde pública e de diminuição dos gastos com a saúde dos portugueses por certo será astronómico.
Sempre me disseram que mais vale prevenir do que remediar... e o que pode ser evitado lá mais para a frente em termos de diabetes, doenças cardiovasculares, doenças oncológicas e afins não é, de todo!, negligenciável... ou, no mínimo! não o devia ser.
O problema começa em casa, certo! Impossível esquecer que um dia, estando eu a leccionar a alimentação, perguntei aos meus alunos o que bebiam às refeições e descobri, chocada, que só eu bebia água, aquela bebida maravilhosa que não engorda e que nos sai das torneiras de nossas casas tendo apenas que as abrir. Todos os miúdos, daquela específica turma, bebiam sumos e colas... num descalabro alimentar total!
Mas o problema prolonga-se também nas escolas, onde os bares, tantos!, continuam a servir bolos variados, lanches e outras porcarias que tais que a miudagem parece adorar e agrava-se, muitíssimo!, sempre que os encarregados de educação autorizam os seus educandos a saírem para fora do recinto escolar para almoçar, aproveitando, a miudagem, para consumir as coisas mais incríveis que se possam imaginar e que não constituem um almoço decente nem neste país, nem em qualquer outro!

Gomas e pizzas à porta da escola. mais que proibir, falta prevenção

Portugal é dos países com mais jovens obesos

Portugal está sentado no "top 5" da obesidade infantil. Como sair daqui?

Portugal é um dos cinco países com mais adolescentes obesos

Sérgio Carvalho (3-1-1969 - 31/3/2011)


Sérgio Carvalho (3-1-1969 - 31/3/2011)

Conheci o Sérgio aqui mesmo em Amarante, em tempos que já lá vão, era ele uma criança e eu pouco mais do que isso, num tempo em que a sua família nuclear passava Verões inteirinhos aqui no burgo, muito nos Poços.
Filho de pai amarantino, um jornalista afamado que deu cartas na imprensa diária e que nasceu nesta mesma rua em que habito, Costa Carvalho de seu nome, Sérgio Carvalho foi um importante criativo que, infelizmente, já não se encontra entre nós.
Mas a sua obra permaneceu para além da sua vida física e é essa mesma obra, parte dela pelo menos, que a partir de hoje se encontra exposta no ISMAI - Estação terminal do Metro do Porto. A inauguração aconteceu hoje pelas 11 horas da manhã e tem, ao que sei, um forte cariz educativo.
Visite-a.

Professores em Luta


Professores em Luta

A FENPROF promoveu hoje um Dia Nacional de Luta de Professores. A data não foi escolhida ao acaso e resultou do facto de hoje se discutir, na Assembleia da República, a petição "Respeitar os docentes, melhorar as suas condições de trabalho e valorizar o seu estatuto de carreira", petição promovida pela FENPROF. É que o tempo passa, a legislatura avança e nada da tutela e do governo olharem para a vida destes profissionais congelados, na sua maioria, há mais de uma década e praticamente impedidos de se aposentarem antes de entrarem verdadeiramente em declínio e desatarem por aí a fazerem asneiras.
Podem contar comigo para acções de luta mais robustas. Ou seja, podem contar comigo para fazer, de novo, greve às avaliações, se preciso for.
Já falei por diversas vezes no envelhecimento que se nota a bom notar na sala de professores. Hoje acrescento que esta luta por uma aposentação digna não devia ser uma luta somente dos professores e sim de toda a sociedade.
Quem quer um professor desgastado, física e psicologicamente, por décadas de trabalho com crianças e adolescentes, para os seus filhos ou netos?
Quem quer uma educadora de infância, que me desculpem os educadores!, desgastada, física e psicologicamente, por décadas de trabalho com bebés e crianças de tenra idade, para os seus filhos ou netos?
Olhem, eu não! E como não quero para os meus, é certo que também não o quero para os filhos ou netos dos outros.
E tenho dito.

Professores penduraram bengalas frente a ministério para exigir regime especial de aposentações

Professores penduram bengalas em frente ao Ministério Público como forma de protesto

terça-feira, 16 de maio de 2017

Enigma - As Flores e a Festa Amarantina

Flores Amarantinas - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Fátima Carvalho

Enigma - As Flores e a Festa Amarantina

Este é um enigma que ficará por aqui a pairar nos próximos tempos:

O que é que as flores têm a ver com a Festa Amarantina?

Ai o pessoal irrequieto desta pacata rua... ai... ai...

Problemas Amarantinos - Os Cães - Parte II



Problemas Amarantinos - Os Cães - Parte II

Em consequência da minha postagem anterior, a Ana Silva entrou em contacto comigo via chat do facebook e enviou-me o link para este post saído na BIRD Magazine cujo editor é o Ricardo Pinto, meu aluno em tempos que já lá vão e por diversas vezes já referido neste blogue.
Confesso que a única ajuda que me ocorreu, para a resolução do problema dos cães da Chentuada, foi procurar uma página referente ao Canil/Gatil existente na cidade e solicitar-lhes a sua intervenção. Mas não encontrei nada - existirá? - tendo por isso enviado uma mensagem ao Município de Amarante que tem a tutela deste canil/gatil, inaugurado em 2016.
Entretanto, tomei conhecimento que existe aqui mesmo em Amarante a "Associação Ajuda Animais em Amarante", associação a que pertence a Ana Silva e tomei igualmente conhecimento do fantástico trabalho já desenvolvido por esta associação, nomeadamente com estes cães que se instalaram no Bairro da Chentuada e que são mesmo vadios.
Deixo-vos o contacto desta Associação. Se, como eu, tiverem medo aos cães e a bicharada não for propriamente a vossa praia e gostarem muito dela ao longe, talvez possam prestar outro tipo de ajuda a esta Associação já que, parece-me, toda a ajuda é pouca e é necessária.
Eu tiro o meu chapéu a esta gente dedicada! Obrigada, Ana Silva!
Leiam o post, aqui! E conheçam a história da Cadela da Chentuada.

Problemas Amarantinos - Os Cães

Problemas Amarantinos - São Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Problemas Amarantinos - Os Cães

Este problema concreto, que hoje convosco partilho, e que eu tenho vindo a acompanhar de há uns tempos a esta parte, não parece ter resolução à vista e, pelo contrário, vai-se agravando a cada dia que passa.
Os fundos do prédio fotografado situam-se a caminho da minha escola, ficando mesmo mesmo nas suas imediações, escola para onde me desloco todos os dias a pé. Inicialmente, confesso, fiquei extremamente preocupada pois olhei para o estenderete pensando que algum sem-abrigo tivesse procurado refúgio naqueles fundos protegidos da chuva. Mas, depois de um olhar mais atento, nomeadamente com recurso ao zoom da minha máquina fotográfica, constatei que se tratava de um ninho de cães e de cadelas, não sei se vadios, não sei se pertença de algum morador que, farto de os ter em casa, para ali os despejou, para aqueles fundos, para aquele pátio de um prédio de habitação social, transformando-o, assim, numa espécie de canil a céu aberto, com condições deploráveis para humanos que passam e têm de gramar o espectáculo e para os próprios animais que por ali vão permanecendo.
Entretanto o número de canídeos vai aumentando numa atracção difícil de conter, invadem ruas e passeios, misturando-se, os cães, alguns de porte muito razoável, com a miudagem, muita, que passa para e da escola, o que poderá ser deveras problemático.
Aqui fica o alerta.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Alunos


Alunos

São alunos completos. São generosos, aplicados, meigos, suaves, criativos, solidários, interventivos e muito belos.
São "nossos" e alguns integram o Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante.
Que maravilha!

domingo, 14 de maio de 2017

Greve dos Trabalhadores das Cantinas Escolares e Hospitalares

Cantina - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhaes

Greve dos Trabalhadores das Cantinas Escolares e Hospitalares

Será na próxima segunda-feira, dia 15 de Maio. Veremos se será expressiva e se se fará notar.

Trabalhadores das cantinas escolares e de hospitais em greve 2ª feira

Alexandre Curopos


Alexandre Curopos

Um já velho Amigo desta nossa rua e da sua Festa, Amarantina pois claro!, agora num maravilhoso registo de Jazz.
Obrigada, Alexandre Curopos!



13 de Maio de 1917 - Dia de Fiéis Devotos

Imagem retirada daqui

13 de Maio de 1917 - Dia de Fiéis Devotos

O dia de ontem foi atípico neste Portugal à beira mar plantado porque foi um dia de intensa alegria para muitos milhões de portugueses que, unidos por fervorosas crenças, em uníssono dentro dessas crenças, tiveram mais do que motivos para festejar.
Primeiro tivemos por cá o papa Francisco, o papa Chico como lhe chamam muitos dos meus alunos que o conhecem pelo nome e, espero, também um pouco pela obra. E a obra dele é já, no mínimo!, monumental. Só ter a coragem de pegar na vassoura e desatar a vassourar, higienizando, na medida certa, aquele Vaticano coberto de chagas! tem que se lhe diga e requer uma energia e um saber que não está ao alcance de qualquer um.
O seu exemplo é importante para fiéis e para infiéis, para crentes e para não crentes porque é um exemplo enraizado na Humanidade, no decoro, na simplicidade que extravasa, em importância, o cargo que ocupa mas que também radica no cargo que ocupa - pastor máximo dos fiéis que acreditam e que têm fé, católica, neste caso.
Depois tivemos o tetra do Benfica, comemorado a preceito por fiéis de outras crenças, neste caso clubísticas, mas que podem, estas últimas, acumular com as crenças religiosas, quaisquer que elas sejam, porque não se auto-excluem e têm até manifestações de fé cega, de "crença religiosa", que se assemelham. Ontem foi pois o dia do Benfica e dos benfiquistas, comemorado num país já meio em êxtase colectivo e a tender para o irreal.
Finalmente, tivemos, e temos!, o Salvador que, qual Dom Sebastião em dia de nevoeiro!, zarpou pela Europa fora e cavalgou uma onda improvável que haveria de se revelar muito maior do que a gigantesca onda da Nazaré, isto dos nomes é coisa premonitória, não é?, e surfou-a com a delicadeza e a força de quem está seguro do que faz. E o que fez foi tão só arejar e limpar um festival medíocre, deprimente, a cheirar a mofo, decadente em múltiplos aspectos, catapultando-o para a primeira linha dos acontecimentos mundiais. Não foi pouca a obra! E, com isso, contagiou milhões de portugueses, mas não só porque o Mundo é global!, milhões de crentes na música, na cultura, enfim, de gente que só aparentemente tinha abandonado a fé em Portugal mas que ontem se redimiu de muitos pecados e, parece, talvez de todas as descrenças.
Ou seja, e resumindo, ontem foi um dia bom. Muito bom!
Os meus parabéns a quem conseguiu fazer dele um dia memorável... independentemente das crenças, da fé... ou de nada disto.

Nota - De fora ficaram, propositadamente, Fátima e os pastorinhos e os milagres a eles associados.

sábado, 13 de maio de 2017

Amarante - Um Exercício de Cidadania Responsável Decorrente da Falta Dela

Exercício de Cidadania Responsável - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães 

Amarante - Um Exercício de Cidadania Responsável Decorrente da Falta Dela

É certo que há inúmeras pessoas que não primam pelo asseio quando circulam pelo espaço público e/ou quando aí estacionam, aí permanecendo, por alguns minutos ou mesmo por algumas horas e vai daí toca de exibirem comportamentos que, presumo, não manterão num espaço privado e muito menos manterão num espaço seu.
É o caso do lixo atirado de forma displicente para o chão, que se encontra por todo o lado, se prestarmos um mínimo de atenção, no centro histórico de Amarante. Não é preciso um dia de muito vento, não é preciso sequer um dia de especial ocupação da cidade em termos de visitas de gente de fora, pois este problema nasce e permanece connosco, ano após ano, sendo também dos habitantes da cidade e das gentes que dela usufruem no seu dia-a-dia.
Se o problema da porcaria espalhada pelo chão tem início na falta de asseio demonstrada pelos transeuntes, é certo que também há um défice de interesse na manutenção da limpeza do espaço público por parte do poder local que, muito embora vire de cor de quando em vez, parece fadado ao arrastar de uma falta de cuidado que já parece crónica na cidade.
Já assisti a esta cena, que hoje fotografei, inúmeras vezes. Aliás, eu própria, irritada por abrir a porta de casa e deparar-me com o esterco chão, já peguei inúmeras vezes na vassoura e varri o espaço público pensando que estou a fazer um trabalho para o qual não fui mandatada e muito menos fui paga. Pelo contrário, penso que quando descontamos taxas, taxinhas e taxonas será também para a manutenção de um espaço público limpo e asseado... ou não será?
Hoje fotografei a limpeza desta Rua da Cadeia que é nossa. Duas miúdas, por certo igualmente cansadas por verem o lixo, imperturbável e imóvel ali à frente dos seus olhos!, de vassouras em punho, varreram, literalmente, a calceta de uma das ruas mais emblemáticas de Amarante... mas nem por isso das mais cuidadas. A calceta até teve projecto do afamado arquitecto portuense Fernando Távora e tudo... mas... e a manutenção da coisa xpto?

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Dois Milhões


Dois Milhões

E pronto. Este blogue ultrapassou a meta dos dois milhões de visitas desde maio de 2010. Não sendo muito se comparado com outros blogues nacionais, para mim já é mais do que algum dia pensei ter.
Agradeço a todos e a cada um dos meus leitores por continuarem aí, desse lado! E desse lado estão, por esta ordem, portugueses, americanos, franceses, brasileiros, russos, alemães, suíços, chineses, ucranianos, ingleses... e eu sei lá mais que nacionalidades que neste mundo global tudo é possível!
E isto é bonito! É a Internet que une... tal como uma ponte... margens diferenciadas, margens opostas, fomentando aproximações improváveis.
Continuemos, pois!

Feira dos Doces Conventuais


Feira dos Doces Conventuais

Vai na XII edição e continua a ser imperdível.
Podem visitá-la hoje, amanhã e depois. E não se deixem intimidar pela chuva. A feira é a mais doce de Amarante e arredores!

Festa Amarantina - The Jondoes


Festa Amarantina - The Jondoes

A Festa Amarantina aproxima-se a passos largos e contará com a presença de novos nomes que pululam na música portuguesa como o dos The Jondoes que misturam o rock com uma pitada de punk de que gosto particularmente.
Sejam bem-vindos, The Jondoes, a esta terra que também é vossa!
Não é, Rodrigo Castelo Branco?

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Flexibilização Curricular

Imagem retirada daqui

Flexibilização Curricular

Arranca no próximo ano lectivo como projecto-piloto, ao que parece em 140 escolas públicas e privadas, umas escolhidas pela tutela, outras que se ofereceram como voluntárias, depois do primeiro-ministro e do presidente da república terem travado uma reforma alargada à totalidade das escolas do país.
Nós, os restantes professores que não integram qualquer uma destas 190 escolas, teremos que aguardar para ver.
E veremos. Estaremos atentos à operacionalização de mais esta mudança que se segue a outras mudanças anteriores de sentido oposto.

Ministério  quer 140 escolas a testar reforma curricular

Santo Sepulcro

Largo Hiper Mega Medonho - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Santo Sepulcro

Passado um ano sobre a obra horrenda e anticonstitucional, segundo a minha opinião, volto aqui, ao Largo Hiper Mega Medonho para relembrar que houve um tempo em que o poder político em Amarante não se vergou tão escandalosa e ostensivamente ao poder religioso. 
Relembro igualmente que um Estado laico é o melhor garante da liberdade religiosa consagrada como um dos direitos fundamentais do Homem e que todos os políticos que ocupam, momentaneamente, convém não esquecer!, funções nesse mesmo Estado devem ter presente este princípio consagrado na Constituição da República Portuguesa. Claro, os tempos que vivemos parecem saídos de outros tempos mais obscuros em que todas as promiscuidades entre igreja católica e Estado eram permitidas e bem-vindas porque a todos interessavam. 
Estamos já a viver uma promiscuidade crescente entre poder religioso e político ao nível do poder local e central? 
Nitidamente, sim. É só ler os sinais, descer esta minha rua, abrir um qualquer jornal, ver um qualquer noticiário. E isso é preocupante. Muito preocupante.
E vamos ao post, que tem precisamente um ano e que é da autoria de José Emanuel Queirós.
SANTO SEPULCRO
Vai a santa obra sepulcral em aproximação ao seu termo, deixando na estreiteza do largo o lastro de uma estética confessional empedernida, sem que deixem de assaltar as consciências cronistas e "escrivões" que dão a nota e o timbre ao pensamento oficial.
A partidocracia tem essa tendência mediocratizante de haver sempre quem levante as guardas e defenda as serventias, tangendo em grupo as ferradas manadas assistentes em que se estribam e legitimam hostilidades com as cabeças relutantes.
De pedras e acintos anda o mundo cheio de gente farta e compromissada, exultante das gangas e das lavagens plasmadas nos bujardados granitos do ataúde que recobre a eira em devotos formatos.
Dos anjos tocheiros do templo desaparecidos em passos silenciosos, ficam na memória os ornatos alados perdidos para a conveniência de escutados silêncios e omissões.
A moral exaltante do senso de quem o faz para quem o não tem ergue-se silenciosa no compasso defunto em que a cidade tropeça na placidez da sombra ascencionada a lugares de culto.
Mais equívoca e anacrónica não poderia ficar a renovação da praceta, nem São Pedro precisava dessa enormidade flaviense, nem o cingido lugar no casco da velha urbe carecia de tamanha carestia decorativa.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Eduardo Teixeira Pinto



Eduardo Teixeira Pinto

Hoje repesco um post escrito em 10 de Maio de 2015, faz hoje precisamente dois anos e que, passado todo este tempo, verifico que se mantém actual, para o bem e para o mal. A ideia da criação do Museu Eduardo Teixeira Pinto começa a germinar a partir de 2010 e as primeiras demarches no sentido da criação do Museu Eduardo Teixeira Pinto datam do final do mandato autárquico anterior. Passados cerca de quatro anos sobre as mesmas, e já com outro poder autárquico legitimado pela população do concelho de Amarante, verifica-se que o desejo de ver criado, em Amarante, o Museu Eduardo Teixeira Pinto, ainda está por cumprir. Para desgosto de muitos, para desgosto de todos quantos apreciam o legado de Eduardo e que gostariam de o ver completamente reconhecido localmente.
Mas pode ser que esteja para breve... sim?

"Hoje dou a palavra à filha deste enorme fotógrafo amarantino, Verónica Teixeira Pinto, presidente da Associação para a Criação do Museu Eduardo Teixeira Pinto, incansável batalhadora, cara primeira desta Associação e que tem vindo a desempenhar um papel a cada dia mais relevante na divulgação da obra de seu pai.
Sim, este é o tempo de criar um Prémio de Fotografia ligado a este fotógrafo de génio... e sim, este é o tempo de caminharmos para a inauguração de um Museu de Fotografia Eduardo Teixeira Pinto.
Amarante agradece. Os Amarantinos dentro dela também!

Hoje, repito-me:

Eduardo Teixeira Pinto fotografou a história de Amarante e dos seus arredores, fotografou as suas paisagens e as suas gentes como ninguém mais o fez.
Cabe-nos a nós, amarantinos, seus herdeiros, vencermos esta interioridade difícil e levarmos o mais longe que pudermos o seu nome, a sua obra."

Refugiados - O Naufrágio das Crianças - 11 de Outubro de 2013 - Do Intolerável


Refugiados - O Naufrágio das Crianças - 11 de Outubro de 2013 - Do Intolerável

11 de Outubro de 2013. Fixem este dia porque este foi o dia em que a Itália deixou morrer, por afogamento, 60 crianças e 268 adultos.
Fixem este dia porque este foi o dia em que não podia ter acontecido o que aconteceu. E o que aconteceu é intolerável. E isto é válido para ontem, para hoje e para amanhã.
Para onde caminhamos nós? Até onde aprofundaremos a desumanização?
E se fosse um multimilionário em dificuldade num veleiro em pleno mar Mediterrâneo? Esta história terminaria assim?
Porca miséria! Porca miséria de gente que recusa a compaixão e a ajuda ao outro seu semelhante, em dificuldades, a lutar pela vida!

"Estamos a morrer!"

E Acabar Com a Pobreza?


E Acabar Com a Pobreza?

Ou seja, toda a responsabilidade continua a ser atirada para a escola e isto não é inocente.
E para os políticos, responsáveis por um país extremamente desigual em termos de distribuição de riqueza, não vai nada nada nada?
E trabalharem, a montante do problema, para acabar com a pobreza em Portugal?
Pode ser?

"A origem socioeeconómica dos alunos continua a determinar, em grande medida, o sucesso escolar. As desigualdades de partida, que a escola não está a conseguir reverter, veem-se na pauta: Os mais pobres são os que mais chumbam. Em todas as disciplinas do 2º ciclo, a taxa de reprovação dos estudantes mais carenciados é, pelo menos, o dobro da dos colegas que não precisam de apoio económico.
(...)
Parece assim ser inegável que, em Portugal, o sistema educativo terá de continuar a trabalhar para que a escola pública cumpra o seu papel nivelador de oportunidades entre alunos oriundos de diferentes estratos socioeconómicos, conclui o documento"

Pode ler a notícia na íntegra clicando no link que se segue:

Alunos pobres chumbam duas a três vezes mais

terça-feira, 9 de maio de 2017

Lila


Lila

Hoje partilho um maravilhoso "short film" que é igualmente amável, belo, delicioso e que me foi enviado por um grande amigo, amarantino dos sete costados.
Obrigada, Costa Carvalho!

"LILA" from Carlos Lascano on Vimeo.

Erva Amarantina

Erva Amarantina no Centro Histórico de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Erva Amarantina

Nasce por todos os lados, de geração espontânea, irrompendo mesmo por entre as pedrinhas da calçada, ou da calceta, como preferirem, e encontra terreno livre para crescer e crescer e voltar a crescer... talvez aspirando tornar-se capim alto em pleno centro histórico de Amarante. É daninha, é certo, e parece que também é danada... para a brincadeira, claro está!
Se não há gente que a corte, pelo menos não se arranja uma cabrinha, ovelhinha... eu sei lá! que faça este trabalho de manutenção na cidade?
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.