sexta-feira, 30 de março de 2018

Feliz Páscoa


Feliz Páscoa

É o que desejo a todos quantos por aqui passarem.
Fiquem bem... que eu vou tentar fazer o mesmo.
Um, dois, três... intervalo com dança!




quinta-feira, 29 de março de 2018

A Palavra a Teresa Martinho Marques


Fotografias de Teresa Martinho Marques

A Palavra a Teresa Martinho Marques

"Têm 11/12 anos, estão no sexto ano... Não, não estão abrangidos pelo projeto de flexibilização e autonomia curricular, mas, sim, trabalham em projeto, não porque uma determinação superior o indique, mas porque sempre integrei saberes na sala de aula (eu e muitos outros) e procurei não servir o mesmo prato a todos... e porque antes das determinações já se reservava um tempo para esse trabalho por decisão da escola no ano passado (mas... lembram-se da área de projeto? Pois... vamos criando coisas, deitando fora, voltando a repeti-las e assim sucessivamente... como se fossem grandes novidades). Quem entrar na aula do 6B vê grupos a trabalhar autonomamente, vê alunos a trabalhar sozinhos (nem sempre os mesmos, que os dias não são iguais), vê alunos a trabalhar a pares, por vezes também trabalho em grande grupo com momentos mais teóricos de explicação (a necessidade é que comanda), percebe que os alunos não estão todos na mesma página, às vezes nem na mesma unidade de trabalho e ontem dois deles (porque concluiram o trabalho mais académico em mãos, a maioria dele trabalhado autonomamente apenas com o meu apoio aqui e ali), estavam a trabalhar no projeto interdisciplinar da turma que é exigente e complexo. Depois de uma investigação sobre o que a OMS indica como hábitos saudáveis de vida (disciplinas de educação física, ciências e português), elaboraram um questionário com variáveis estatísticas criteriosamente escolhidas (matemática e português) que aplicaram a uma amostra (critérios por si definidos para garantir representatividade) da população estatística (toda a escola). De seguida trataram as muitas dezenas de respostas, separadas por intervalos de idade, contabilizaram as frequências absolutas e estão na fase de cálculo das frequências relativas, construção de tabelas no excel e decisão sobre os gráficos a usar (matemática). Primeiro aprenderam a construir gráficos circulares "à mão", convertendo percentagens em ângulos (tudo conceitos do programa de matemática), porque é importante usar as ferramentas digitais sabendo a matemática que se esconde dentro delas (não é magia, alguém soube fazer os algoritmos primeiro)... só depois avançámos para o excel. Primeiro nos telemóveis e tablets e depois no computador. Ontem, na aula, continuou a avançar-se e no final serão tiradas as conclusões e comunicados os resultados à comunidade, com orientações, no final do ano letivo (provavelmente com um vídeo). E, os testes não desapareceram... a avaliação sempre foi e será formativa, os testes têm um papel nela (sem determinarem tudo), porque vida fora existirão momentos em que lhes serão exigidos nervos de aço, calma e avaliações formais... na escola ou na vida. Condições que o têm permitido? A turma tem 20 alunos (não me venham com os estudos a dizer que entre 28 e 20 não há diferença... experimentem e logo vêem) e neste ano de transição ganhámos tempo na disciplina de matemática que perderemos no ano que vem (6 tempos de 50 minutos, o que nos permite trabalhar com calma e profundidade, integrar saberes, recuperar alunos que transitaram com negativa). Não se fazem omoletes sem ovos e a diferença não está nos ciclos mais ou menos repetidos de orientações superiores (em mais de 30 anos já vi de tudo e nenhuma novidade no que se reinventa em cada ciclo político)... A diferença estará sempre nas condições de trabalho, nos programas, na forma como os professores acreditam ou não na importância de um trabalho crescentemente exigente e integrado, ao invés de aderirem a modas acriticamente, ou a cosméticas que nem sempre (quase nunca) atingem a alma da escola nem das práticas. Nunca precisei (assim como muitos professores) de balizas e infinitos papéis para saber o que é o correto. Claro que a diferença também está nas famílias, na sua ética e educação, na sua exigência e acompanhamento, no apoio que nos têm dado exigindo dos seus meninos autonomia, responsabilidade e trabalho, como nós temos feito com esta turma (de quem terei infinitas saudades). Sei que a maioria destes alunos está preparada para enfrentar o terceiro ciclo (a vida?) e o seu caminho nunca lhes foi facilitado, pelo contrário. A exigência apoiada (com condições) é o que os salva, é o que os ajuda a crescer e dilui as diferenças sociais apagando fronteiras injustas. Orgulho de vocês, Miúdos lindos! E de um conselho de turma excelente que, mesmo à margem de qualquer "PPFAC", sabe exatamente o que tem para fazer."

Nota - Post retirado daqui.

terça-feira, 27 de março de 2018

História - Programação à Distância

Recortes feitos a partir de vídeo - Museu Nacional da Pré-História
Les Eysies de Tayac - França

História - Programação à Distância

Pensar a minha disciplina para o próximo ano lectivo. Pensar na flexibilização. Pensar em trabalho colaborativo e intersciplinar. Reformular apresentações em PowerPoint. Aprofundar aquilo que já faço. Programar actividades bem mais práticas em que os alunos tenham de meter a mão na massa, literalmente, mergulhando inteiramente nela. Pensar em reformular a minha sala de aula... novas cores, novas mesas, novas cadeiras, equipamentos mais funcionais e versáteis? Computadores para trabalhos em pequenos grupos? Pensar em pedir um financiamento para a minha Sala de História apoiada no trabalho já desenvolvido na E. B. 2/3 de Amarante e em parte expresso no Projecto História em Movimento. Aprofundar parcerias já estabelecidas há muito, nomeadamente com o Museu Amadeo de Souza-Cardoso... e o mais que se há-e ver... assim tenho ocupado os meus dias, entre reuniões e mais reuniões.
Está quase...

Nota - O biface que ilustra este post é uma obra de arte incrível e vale, por si só, uma deslocação ao Museu da Pré-História de Les Eysies de Tayac.

segunda-feira, 26 de março de 2018

História em Quadrinhos


História em Quadradinhos

A ideia foi maravilhosa mas, infelizmente, tanto quanto sei, não teve continuidade. De qualquer modo temos estes maravilhosos mapas mentais realizados por uma aluna brasileira que, confesso, já me deixaram por aqui com a cabeça a fervilhar!

Estudante de SP cria versão em quadrinhos de episódios históricos

Blogue História em Quadradinhos

domingo, 25 de março de 2018

Projecto História em Movimento - Página Wix


Projecto História em Movimento - Página Wix

A nova página do Projecto História em Movimento, projecto este que existe desde o ano lectivo de 2010/2011, está quase pronta faltando apenas afinar aqui e ali alguma coisa que surja, faltando apenas complementar com mais álbuns de fotografias das muitas actividades que foram sendo proporcionadas aos meus alunos ao longo de quase uma década de actividade docente na E. B. 2/3 de Amarante.
Aqui a deixo para todos quantos tiverem curiosidade em consultá-la. Confesso que estas páginas Wix, de trabalho muito fácil e muito intuitivo, são verdadeiramente viciantes...

Portefólios Digitais


Portefólios Digitais

A propósito dos portefólios digitais, dou a palavra à Professora Ana Baptista, Coordenadora dos Projectos no Agrupamento de Escolas de Amarante, subscrevendo todas as suas palavras.

"Existem inúmeros benefícios que os alunos obterão ao incorporarem os portfólios na sua aprendizagem: 

1.ª Ajudam-nos a assumir a responsabilidade pela sua aprendizagem;
2.º Fornecem aos alunos um local através do qual eles podem apresentar evidências concretas do seu trabalho;
3.º Podem ser usados como uma ferramenta para autoavaliação, autorreflexão e desenvolvimento pessoal.
4.º Ajudam os alunos a concentrarem-se no processo de aprendizagem e não no produto final.
5.º Promovem uma aprendizagem mais profunda à medida que eles se envolvem ativamente no processo de aprendizagem;
6.º Permitem desenvolver habilidades metacognitivas (práticas reflexivas) nos alunos;
7.º São um método de autodescoberta e construção de confiança;
8.º Ajudam os alunos a desenvolver identidades pessoais;
9.ª Ajudam os alunos a identificar os seus pontos fortes e fracos e a planear melhorias futuras;
10.º Convidam ao feedback de professores e à contribuição dos colegas;
11.º Ajudam os alunos a desenvolver capacidades de escrita.
12.º Desenvolvem a criatividade e competências digitais."

sábado, 24 de março de 2018

Portefólios Digitais


Portefólios Digitais - História

O Portefólio de História sempre foi, e continua a ser, uma construção pessoal e personalizada de cada um dos meus alunos... pelo menos de todos os que cumprem com as minhas directrizes transmitidas logo no início do ano lectivo.
Antigamente eram físicos, de realização manual, manuscritos e assim tiveram existência até ao ano passado. Este ano, impulsionada pelo facto dos alunos carregarem demasiado peso nas mochilas e pelo facto de estar lesionada da minha mão direita com umas tenossinovites mais do que chatas e peçonhentas, metemos todos pés ao caminho, eu e eles, e inauguramos portefólios digitais que permitem incorporar coisas tão maravilhosas como prezis, vídeos, esquemas, árvores genealógicas, pequenas biografias, fotografias, todas elas com identificação da fonte, pesquisas sobre este ou aquele assunto considerados pelas autoras como mais interessantes ou pertinentes, páginas Wix, folhetos construídos na aplicação Canva... e o mais que se verá e que será realizado durante o 3.º período.
Claro que nem todos os portefólios digitais revelam o trabalho monumental dos dois que convosco hoje partilho... mas sempre foi assim, sempre existiu um número muito residual de alunos que teimou em não fazer nada de nada, ou quase nada de nada... sendo que a esmagadora maioria dos meus alunos sempre se preocupou em apresentar portefólios minimamente asseados e trabalhados.
Convém referir que estes portefólios digitais não teriam sido possíveis de realizar sem a preciosa colaboração da disciplina de TIC e da professora que a lecciona no meu agrupamento, a Professora Ana Osório, que foi orientando os nossos alunos para as produções de folhetos trabalhados no Canva e que versaram uma personalidade, à escolha, do Renascimento, de prezis, alguns fabulosos, que se subordinaram à temática da Expansão Portuguesa... resultando tudo isto de um trabalho colaborativo e interdisciplinar entre duas mulheres, professoras, que falam a mesma linguagem profissional, não remando uma para a frente e outra para trás... ou uma para a esquerda e outra para a direita.
Os portefólios que hoje vos apresento são brutais! Brutais em esforço, dedicação, alegria no trabalho, asseio, superação, interesse, criatividade, resiliência, organização. Revelam gente focada, madura, com uma capacidade de trabalho incrível, com muito gosto e empenho na vida escolar. Ainda precisarão de uma ou outra correcção, que será feita a seu tempo, mas nada de muito relevante atendendo a que estamos a falar de gente com 13 anos.
Deixo-vos com um primeiro exemplar, da L, que pode ser visto se clicarem aqui.
E, de seguida, dou a palavra à R., dona deste portefólio.
Ai se todos os nossos alunos assim valorizassem a Escola e tudo o que ela lhes pode dar!

"Sempre gostei de História pois fascina-me saber "coisas" sobre os nossos antepassados: como e onde viveram, como evoluíram... Para mim, a escola é uma segunda casa, pois é aqui que passo grande parte do meu tempo. A escola dá-me instrumentos que vão servir para me orientar no futuro, para poder tirar um curso, ser uma pessoa educada, culta e também para me ajudar a viver em sociedade, respeitando sempre os outros.
O meu grande desejo neste momento é passar de ano, quero fazer tudo o que tenho vindo a fazer, ser uma boa aluna para não desiludir os meus pais e professores, mas para isso tenho de me esforçar muito. Tenho dois sonhos que gostaria de realizar logo que possa: ser pediatra e viajar para a Ásia Oriental e China, admiro a sua cultura e os seus costumes, considero-os muito interessantes."

quinta-feira, 22 de março de 2018

Exaurida

Óculo - Praia de Nouakchott - Mauritânia
Fotografia de Artur Matias de Magalhães

Exaurida

Sou eu, por estes dias. Estou eu, por estes dias de trabalho louco à solta pela escola. Tão louco tão louco que nem tem sido possível escrever, seja o que for, neste blogue. Tenho 56 anos, 7 turmas de História abrangendo os três níveis que constituem o 3.º ciclo, uma direcção de turma que me acrescenta a toda a hora trabalho desnecessário, cento e muitos portefólios que foi preciso avaliar na plataforma moodle, cento e muitos testes que foi preciso corrigir multiplicados por dois, atribuição de níveis para decidir, reuniões aqui e ali a complicarem estas últimas semanas, níveis para lançar na plataforma da escolinha, actas para alinhavar... ufa ufa que eu já não tenho idade para isto.
E no meio de tudo isto penso nos meus colegas que, com dez, onze, quinze, vinte e ainda mais turmas não devem ter tempo nem para se coçar.
Asseguro-vos que não aguentaremos este ritmo por muito mais tempo.
Exaurida estou. Exaurida sou... sou eu, por estes dias...

terça-feira, 20 de março de 2018

Prezi - Expansão Portuguesa


Prezi - Expansão Portuguesa

O trabalho que hoje partilho, sobre a Expansão Portuguesa, foi realizado por uma aluna do 8.º ano de escolaridade, que explorou, durante o 1.º período, uma das muitas aplicações que se podem usar em Educação e que fazem, frequentemente, as delícias dos mais novos... e dos mais velhos também.
O Prezi foi realizado no âmbito das disciplinas de História e de TIC já que este ano resolvemos, eu e a Professora Ana Osório, fazer esta parceria que se tem revelado, confesso, deveras produtiva. Nem todos os alunos gostam destes desafios digitais, é certo, mas também é certo que, sem esta destreza adquirida nas TIC, eles terão bem mais dificuldade em singrar num futuro que já está aí.
Devo referir que este Prezi está dentro de um portefólio digital, construído no Adobe Spark e que é uma autêntica caixinha de surpresas feita de resumos de aulas, de esquemas, de vídeos, de panfletos, de links para aqui e para acolá. Que monumental trabalho... assertivo, revelador de uma excelente capacidade de planificação, de uma excelente estruturação e organização, realizado, sem dúvida, com carinho, brio, asseio e bom gosto.

Obrigada pela tua generosidade, Aluna Minha! E parabéns pelo excelente Prezi!

sexta-feira, 16 de março de 2018

Se o ME não ceder até junho os professores não darão notas


Se o ME não ceder até junho os professores não darão notas

Hoje subscrevo, por inteiro, a postagem do Alexandre Henriques, do blogue ComRegras. Porque, para grandes males, grandes remédios! 


"Terminou hoje a greve dos professores. Alguns dirão que foi um sucesso, outros dirão que foi assim assim (números dos sindicatos apontam para 70% e 75%). Julgo que foi a greve possível pela altura em que foi marcada, os professores estão cheios de trabalho e muitos a realizar avaliações que não podem ser adiadas. É claro que há sempre quem vá trabalhar e faça greve ao mesmo tempo, só que são muito poucos os que fazem um gesto tão altruísta.
E agora? O que fazemos???
Tirando a iniciativa que o ComRegras está a preparar, e que se calhar só virá a luz do dia no início do 3º período (há várias variantes que atrasam o processo), os sindicatos já avisaram que será feita uma grande manifestação. Espero efetivamente que sim, o Ministério da Educação e o Governo só cedem se os professores mostrarem o seu descontentamento em quantidade suficiente para chamar a atenção da comunicação social. Este Governo, bem como todos os outros, preocupam-se acima de tudo com a sua imagem, com os efeitos nefastos que qualquer luta mediática pode trazer. Eles sabem que os professores têm muito peso social e que podem causar estragos irrecuperáveis nas próximas legislativas. É por isso determinante que coloquemos as nossas diferenças de parte e nos juntemos às iniciativas sindicais, mesmo que discordemos da forma e do tom. Para o bem e para o mal, são eles os nossos representantes…
Posto isto, apresento publicamente a minha proposta e espero sinceramente, que os dirigentes sindicais a tomem em consideração, não por ser minha, mas por ser a opção de muitos professores e que foi visível na sondagem realizada pelo ComRegras.
Digam ao Ministério da Educação que, se não houver uma cedência efetiva das suas pretensões até antes do final do presente ano letivo, os professores não lançarão as classificações, pois será convocada uma greve às reuniões de avaliação que perdurará até ao final de julho, ou seja, até os professores entrarem de férias.
Vantagens:
A questão dos serviços mínimos não será colocada pois bastará um professor para adiar a reunião.
Os professores podem organizar-se, não sobrecarregando o mesmo ou compensando financeiramente quem adere à greve.
Financeiramente os professores praticamente não são afetados.
Os professores que optam por estar no mesmo barco mas nunca remam… não terão alternativa e terão de comparecer nas reuniões até que a situação fique resolvida, passando pelo desconforto de olhar olhos nos olhos quem se sacrifica por todos, inclusive por quem não rema…
Haveria tempo suficiente para alimentar a ideia, “plantando” nos professores essa estratégia, aumentando a pressão aos poucos sobre o Ministério da Educação, responsabilizando-o indiretamente por não conseguir chegar a um acordo que evite um descalabro no final do ano.
A transição dos alunos não se realiza, encravando todo o ano seguinte.
Os exames não podem ser realizados, pois não se sabe quais os alunos que estão admitidos a exame.
E os alunos?
Se os alunos, e já agora os pais, querem uma Educação melhor, devem entender que professores motivados são melhores professores e que professores dedicados são melhores professores. Convém lembrar que os jovens não querem ser professores, que o corpo docente está envelhecido e a carreira de professor já não tem o encanto de outros tempos… Além disso, a dedicação e motivação estão claramente comprometidas, pois os professores estão fartos de serem manipulados, desrespeitados e ainda por cima estão a assistir, mais uma vez, à utilização de argumentos falaciosos para manipular a opinião pública.
Estamos em Luta! Continuaremos em Luta!"
Alexandre Henriques

Luta - Greve Hoje... Amanhã Logo Se Vê


Luta - Greve Hoje... Amanhã Logo Se Vê

Da luta não me retiro. Exijo o que é meu. Chega de penalizações durante quase uma década. Não admito somar a estas penalizações mais penalizações ainda, e para todo o sempre!, durante os anos que tiver de vida.
A cumprir um dia de greve em dia sem componente lectiva, mas afogada em testes para corrigir e, portanto, a trabalhar para os alunos, asseguro-vos que assim, assado, frito ou mesmo cozido, da luta não me retiro!
Por isso, a luta continua... e é já a seguir.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Stephen Hawking

Imagem recolhida na Net

Stephen Hawking

Hoje perdemos um dos melhores de nós.

A Depressão Gisela

Efeitos da Gisela - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

A Depressão Gisela

Passou forte aqui por Amarante e deixou um rasto de árvores quebradas e arrancadas.
No nosso espaço escolar e imediações, também tivemos as nossas aventuras por volta das 12 horas, felizmente sem danos de maior a não ser árvores ou partes delas irremediavelmente perdidas. As rajadas de vento, por aqui, foram mesmo fortes e assustaram.
Há que ressalvar a pronta intervenção da Protecção Civil que fez, quase de imediato, um excelente trabalho.

 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.