quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Sou Muçulmano, Mas Não Sou...


Muçulmanos - Mesquita de Hassan II - Casablanca
Fotografia de Artur Matias de Magalhães

Sou Muçulmano, Mas Não Sou...

Combatendo estereótipos. Porque umas quantas árvores não fazem uma floresta...





terça-feira, 29 de setembro de 2015

Roger Waters e David Gilmour

Roger Waters e David Gilmour

Ao vivo e a cores! Beleza sem fim...

Eclipse Lunar Amarantino

Eclipse Lunar Amarantino - Sequência
Fotografias de João Duro

Eclipse Lunar Amarantino

Por aqui foi assim... parece... porque eu, com escolinha logo pela manhã, deitei-me cedinho cedinho... lá pela 1:30 da matina e não assisti a esta beleza de eclipse lunar.
Valeu-me o João Duro e as suas maravilhosas fotografias desta lua espampanante, exibicionista, misteriosa e púdica.

Grata, João!

Novas da U. Porto


Novas da U. Porto

Excelente projecto de voluntariado. Porque nem só de praxes ridículas e violentas vivem os alunos universitários...

Estudantes da U. Porto ajudam a combater o insucesso escolar no ensino básico


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

António Costa - Mensagem aos Professores e Educadores

Logo do PS Argentino

António Costa - Mensagem aos Professores e Educadores

Impossível não concordar com a mensagem de tranquilidade de António Costa. De facto, os professores e educadores querem, exigem e merecem, tranquilidade... depois de tantos anos de experimentações atrás de experimentações e mesmo de perseguições mais ou menos ferozes! António Costa afirma que o PS aprendeu a lição e que sabe agora que as reformas não se fazem, não se farão nunca!, sem o apoio dos professores e educadores. Ele até pode ter aprendido, quanto ao PS... não sei não sei...
Posto isto, estou convencida que António Costa continuará a pagar a "guerra" encetada pela antiga ministra da Educação do arrogantíssimo governo de Sócrates. A tal que escancarou as portas todas e abriu todas as auto-estradas ao inquilino seguinte da 5 de Outubro. Que se revelou bem melhor do que a encomenda.
Parece uma sina triste, muito triste, particularmente triste!, esta que nos acompanha há já mais de uma década...



Nota - Vi no Tubes, está tudo no Tubes!, que António Costa também se dirigiu especificamente aos enfermeiros e outras classes profissionais martirizadas nos últimos anos. Tenho a sensação que a estratégia dará poucos frutos e que António Costa queima agora em lume brando numa combustão agoniada. Para quem só precisava fingir-se de morto... é obra!
Se me enganar, dou a mão. E o pé.

Calouste Sarkis Gulbenkian


Calouste Sarkis Gulbenkian

Arménio. Refugiado em Portugal. Felizmente para Portugal.

Imbecilidade

Fotografia sei lá eu de quem...

Imbecilidade

A campanha eleitoral presta-se a isto mesmo, a imbecilidades muitas. Se esta gente ao menos conhecesse a História da Europa... feita de emigrações sem fim...

Só para ter uma ideia, leia "A Europa que gerava emigrantes".

sábado, 26 de setembro de 2015

Hadj - Esmagamento Explicado

Imagens retiradas da Internet
Se tiverem direitos de autor, alguém que me avise, please!

Hadj - Esmagamento Explicado

Cumprir a hadj, peregrinação à cidade santa de Meca, é uma das cinco obrigações de todo o muçulmano. Pelo menos uma vez na vida, a hadj, último pilar do Islão depois da fé, da oração, da caridade e do jejum, este último respeitado durante o mês do Ramadão, deve ser feita por todo o muçulmano que goze de saúde e de meios económicos suficientes para assegurar a sua deslocação à Arábia Saudita, mais concretamente a Meca, vindo dos quatro cantos do mundo. Assim sendo, não é de estranhar que a hadj constitua a maior deslocação de peregrinos existente à face da terra e que, por isso mesmo, pelos números avassaladores de mais de dois milhões de pessoas deslocadas, se torne um perigo potencial. Vai daí, volta e meia, acontecem acidentes de trágicas consequências. Foi o caso deste ano. Depois do acidente da grua, eis que ocorreu um esmagamento que provocou a morte de centenas de fiéis... não contando com os feridos que ultrapassaram o milhar.
Ora, a tragédia foi agora explicada por uma sumidade religiosa saudita: - Foi a vontade de Alá.
E prontos.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

PS - Campanha Eleitoral

PS - Campanha Eleitoral

Por favor, digam-me que a campanha eleitoral está a acabar...

Praxes - Bovinidade

Queima das Fitas - Anos Oitenta - Século XX
Fotografia sei lá eu de quem...

Praxes - Bovinidade

Detesto praxes. Frequentei UP sem nunca ter sido praxada e, incrível! licenciei-me e tudo sem nunca lhes sentir a falta. Confesso que mesmo aquela coisa da semana da Queima das Fitas... ok!... uma vez ainda vá que não vá! e foi somente para ver como era. E vi. Já à época jorrava álcool a rodos, já existiam percalços muitos e variados, bebedeiras e comas alcoólicos.
Dizem-me que agora é infinitamente pior, com os estudantes, a nata das natas, a elite deste país!,  a dar exemplos grotescos, infames, miseráveis, deprimentes, desconcertantes... de quando em vez, aqui e ali cometendo excessos difíceis de explicar.

Esta notícia que agora partilho parece ser um exemplo de bovinidade, de difícil compreensão. Para mim, claro está!, que tenho esta dificuldade. Mas eu continuo a ser a rapariga da carripana de História, mesmo se de cabelos ao vento!, que integrou um cortejo portuense algures pelos inícios dos anos oitenta e no fim, depois de se ter divertido muito sem pinga de álcool no papo, disse "Ok! Está visto."
E estava. Porque sempre pensei pela minha cabeça e o grupo nunca fez farelo de mim quando eu era a voz discordante.

Nota - Detesto praxes quando as praxes se revestem de anormalidade, humilhação e violência.

PS - Boas Notícias


PS - Boas Notícias

Estamos no bom caminho. Hoje, à chegada de Costa a um comício, o speaker, ou lá quem foi!, gritou "Palhaço" quando era suposto gritar PS. Finalmente estamos no rumo certo relativamente a uma prática ancestral, importante, mas que parecia caída em desuso em Portugal - chamar os bois pelos nomes.
Estamos, pois!, no bom caminho. Agora só falta estender esta prática de honestidade a outros quadrantes políticos para que a bota diga com a perdigota.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Perdas


Perdas

Por aqui, acumulamos perdas familiares. Em Agosto. Em Setembro. Parece que nos últimos anos pouco mais fazemos do que cuidar dos vivos para depois cuidar dos mortos.
E hoje, ao abrir o facebook, deparei-me com uma perda gigantesca para uma Amiga que, estando distante fisicamente, está muito próxima de mim em pensamento.
Hoje, quero-lhe sussurrar ao ouvido este provérbio aborígene que apela à aceitação pacífica do momento em que dobraremos a esquina e deixaremos este mundo, definitivamente, para trás. Mais ou menos contrariados, mais ou menos preparados, de forma súbita ou bem interiorizada, todos dobraremos esta esquina, todos estamos aqui de passagem.
Curiosamente, a última pessoa que da minha família partiu sabia bem isto e aceitava este facto com uma naturalidade desconcertante, falando da sua morte de forma desassombrada, preparando-se para o virar da esquina de forma tranquila, pensada, interiorizada, ajudando até os mais próximos a apaziguarem os sentimentos de perda irreparável, de saudade, de dor, perante a sua partida, neste caso aos 84 anos, depois de uma vida cheia e plena.
Hoje, depois de me deparar com a perda, gigante e inesperada, de Francisco Rosado, desejo que todos os que o rodeavam encontrem alento e conforto neste provérbio aborígene e na sabedoria que ele encerra. Hoje, o meu coração voou para o Sul. Hoje o meu pensamento está com a Em@ e com o seu adorado filho...




quarta-feira, 23 de setembro de 2015

I Feira da Saúde - Amarante


I Feira da Saúde - Amarante

Inscreva-se nas actividades, muitas e variadas, aqui!
Chamo a vossa atenção para a Recolha de Sangue que se realizará na próxima sexta-feira, dia 25 de Setembro, das 16 às 19:30!

Convite - Mário Rita na Galeria Miguel Justino


Convite - Mário Rita na Galeria Miguel Justino

A inauguração da exposição de pintura de Mário Rita ocorrerá já no próximo dia 24 de Setembro, ou seja, amanhã, na Galeria Miguel Justino, em Lisboa.
Pela amostra impressa no convite, a exposição é imperdível.
Boa sorte a ambos, pintor e galerista!

Novas do MEC


Novas do MEC

O MEC a inventar até ao último dia... e continuamos com a experimentação. Ainda agora o Inglês passou a obrigatório no 3º ano e a negativa a esta disciplina juntamente com Português ou Matemática já dará direito a raposa no final do 1º Ciclo?
Ai, Nuno Crato...

Negativas a inglês com nega a Português ou Matemática dão "chumbo" no 4.º ano

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Novas da Aylan Kurdi Caravan


Novas da Aylan Kurdi Caravan

Orgulho! Por saber que a primeira ajuda a chegar aos refugiados, de um país que se soube organizar rapidamente e em força, é portuguesa.
Orgulho! Amarante ajudou um bocadinho.

"A caravana portuguesa já chegou ao seu destino! 
Os camiões começam agora a ser descarregados no armazém da Cruz Vermelha Croata, nos arredores de Vinkocvi, uma cidade a cerca de 40 km do campo de Opatovac (na fronteira com a Sérvia) e a 30 km da cidade de Tovarnik, que tem sido um hot spot de passagem de refugiados nas últimas semanas.
Após vários contactos e visitas a diferentes ONG feitos nos últimos dias, e devido ao elevado volume e valor da carga transportada de Portugal (mais de 60 toneladas de roupa, medicamentos, comida, artigos de higiene pessoal e brinquedos), a Cruz Vermelha Croata revelou-se o parceiro mais adequado devido à sua capacidade de assegurar a segurança e boa recepção destes donativos em armazéns próximos de zonas de necessidade. A sua escala, boa organização e capacidade de distribuição foram cruciais nesta decisão."

"A Aylan Kurdi Caravan chegou ao seu destino. A esta hora descarrega-se a primeira palete da ajuda portuguesa. Obrigado!
Armazém da Cruz Vermelha Croata, nos arredores de Vinkocvi, a cerca de 40 km do campo de Opatovac (na fronteira com a Sérvia) e a 30 km da cidade de Tovarnik."

O Ataque das Vespas Europeias na EB 2/3 de Amarante

Vespas - Barca - Serra da Aboboreira - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

O Ataque das Vespas Europeias na EB 2/3 de Amarante

Sei que o ataque das vespas europeias se deu a meio da manhã provocando algum alarido lá pela escolinha. Sei que foram picados alguns alunos, nove no total foram assistidos e dois foram hospitalizados, por precaução. Pelo caminho as europeias ainda picaram uma assistente operacional, que é o mesmo que dizer uma auxiliar.
Sei que GNR, bombeiros, protecção civil e equipas do INEM responderam rapidamente e de forma eficaz e profissional e que o ninho das danadas foi destruído.
Sei também que o meu dia foi totalmente preenchido do primeiro ao último tempo e que as minhas aulas decorreram com toda a normalidade. E que os meus alunos foram recebidos com beijinhos... eheheh... e sim, para aqueles que mostraram preocupação relativamente à minha pessoa, eu estou bem... nem fui picada nem nada.

Nove crianças picadas por vespas em escola de Amarante

Oito alunos e um adulto picados por vespas europeias em escola de Amarante

Vespas europeias picaram alunos e um adulto em Escola de Amarante

Crianças picadas por vespas em Amarante

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Regresso às Aulas - Partilha Pedagógica

Auto-Retrato - Les Eysies de Tayac - França
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Regresso às Aulas - Partilha Pedagógica

O regresso às aulas aconteceu hoje, para a esmagadora maioria dos alunos e professores deste país.
Pela minha escola, professores e alunos terão de se adaptar, ao longo deste ano lectivo, à alteração dos tempos de duração das aulas que, de 90 e 45 semanais, passaram todos a 50 minutos semanais.
Tristeza das tristezas, as minhas aulas de História, que em todos os anos contavam com 135 minutos por semana de aulas, contam agora apenas com 100. Ou seja, escafederam-se 35 minutos todas as santas semanas o que, em 34, a totalidade do ano, dá um rombo de 1190 minutos... para leccionar os mesmíssimos conteúdos, para cumprir as mesmíssimas gigantescas metas de História, definidas pelo MEC.
Entretanto, por aqui o trabalho vai-se reciclando e publicando nas várias páginas que edito. Assim, estão já publicadas as planificações gerais que cobrem todo o 1º período do 7º ano de escolaridade - ver aqui - e também as primeiras apresentações em PowerPoint que utilizarei durante as próximas aulas com os meus novos meninos e meninas do 7º ano de escolaridade - ver aqui.
Resta-me formular um desejo - Que eu consiga espartilhar as minhas aulas sem lhes causar dano de maior!
E, por último, desejo a todos um excelente ano lectivo. Apesar do MEC...

Adeus Verão

Adeus Verão - Cepelos - Amarante
Fotografia de Flora Queirós

Adeus Verão

E olá Outono...

A Crise dos Refugiados Sírios Explicada em Seis Minutos

Créditos fotográficos - UNICEF

A Crise dos Refugiados Sírios Explicada em Seis Minutos

Partilho a visão sucinta desta crise. E, confesso, prefiro estar do lado dos que correm o risco em acolher refugiados do que do lado dos que fecham as portas e erguem muros fingindo não ver que eles existem.
E se fôssemos nós? Quereríamos encontrar muros e portas fechadas?
Entretanto, convém não esquecer que nós, europeus, habitamos o exacto continente que espalhou gente a torto e a direito pelo mundo. A bem, ou mesmo a mal... veja-se o caso das populações indígenas americanas, remetidas para canto, ainda hoje. Ou seja, agora não será diferente. Os novos fluxos acontecerão e não haverá muro, muralha, rio, mar ou oceano que trave o Homem nesta demanda pela Vida. Ou mesmo nesta demanda "apenas" por uma vida melhor.
E, se recuarmos ainda mais no tempo, chegámos ao continente africano, o berço de toda a humanidade donde todos nós somos originários e do qual saímos, em condições infinitamente mais difíceis e penosas, sem telemóveis nem iPads... vejam só! rumo ao completo desconhecido. E povoámos todos os continentes existentes na Terra, sem excepção. E se hoje pudéssemos ver o filme desse êxodo... por certo soltaríamos exclamações de "Como foi isto possível?!" "Quantas privações!" "Quanta dor!" "Quantas dificuldades!" "Quantas mortes!"... e, no entanto, este foi um êxodo de
êxito. E cada um de nós é a prova desse empreendimento bem sucedido.
Porque, independentemente da cor, da altura, da cultura, da religião... todos pertencemos à ordem dos Primatas, família dos Hominídeos, ao genial género Homo, à genialíssima espécie sapiens sapiens.
E saberemos sair desta crise. Como saímos de outras antes desta.



domingo, 20 de setembro de 2015

FMI e Banca Mundial - A Fabricar Miséria Pelo Mundo


FMI e Banca Mundial - A Fabricar Miséria Pelo Mundo

Um exemplo: O Gana, um país prometedor nos anos 80 e agora alimentador das redes de migrantes económicos.
Uma excelente reportagem realizada por uma equipa francesa. Para quem domina o francês.

Fêmeas - Moda

Cena de Cabeleireiro - Neolítico -  Akakus - Líbia
Fotografia de Artur Matias de Magalhães

Fêmeas - Moda

Os vídeos que hoje partilho dizem-nos respeito, ou seja, dizem respeito às fêmeas... mas serão, por certo!, do agrado de muitos machos.
O primeiro dá-nos uma panorâmica da evolução do padrão de beleza corporal feminina ao longo dos tempos. Pois também esta moda corporal foi variando muito e se hoje está em desuso por aqui aquela do "Gordura é formosura!" a verdade é que este padrão de beleza, digamos "cobertinho", subsiste em muitas culturas existentes no nosso planeta que abominam mulheres magras. Pois, é a moda, senhores! E a moda é cultural.
Cultural é também o segundo vídeo que dá-nos uma visão muito precisa do que foi a evolução da moda feminina nos últimos cem anos.
Apreciem!



sábado, 19 de setembro de 2015

Solidariedade - Grécia

Solidariedade - Grécia

A sociedade civil a movimentar-se por todos os lados e em todos os lados. Aqui, na Grécia, um país fustigado pelas dificuldades económicas e financeiras.
E?! Algum dia a solidariedade e o respeito pelas condições difíceis do outro estiveram dependentes destas condições?

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A Palavra a Uma Professora Síria

A Palavra a Uma Professora Síria

Lúcida. Serena. Mãe de Alma.

Orgulho



Orgulho

Orgulho, é o que sinto, em integrar esta rede de gente não acomodada, que mete as mãos na massa e faz acontecer alguma coisa de belo! Desculpem, mas sinto muito orgulho mesmo! Inscrevemos Amarante neste mapa solidário que não olha a credos, cores, origens... afinal, todos habitamos esta casa comum... a bela Terra... não é assim?

Obrigada, voluntários amarantinos, por nos fazerem acreditar que é sempre possível fazer melhor! E foram tantos(as)!

A Palavra a Pedro Bacelar de Vasconcelos


A Palavra a Pedro Bacelar de Vasconcelos

Refugiados

Contam-se por muitas centenas de milhares os portugueses que atravessaram ilegalmente as fronteiras da Europa, desde o princípio dos anos sessenta até abril de 1974. Uns fugiam da fome e da miséria a que não se resignavam. Outros recusavam uma guerra injusta onde não queriam matar ou morrer absurdamente. Todos partiam em busca da liberdade e da esperança que a tirania lhes negava. Não foi assim há tanto tempo: estamos vivos e bem lembrados! É por isso com profunda consternação que vemos as notícias dos muros que se erguem e das fronteiras que se fecharam por essa Europa fora, com o único intuito de impedir a passagem daquelas crianças, homens e mulheres que desesperadamente tentam escapar à guerra, à fome, à opressão.
A decisão da Hungria - um estado membro da União Europeia - de qualificar como criminosos os refugiados que atravessem as suas fronteiras, constitui uma violação inadmissível dos mais elementares direitos humanos que não podia ficar impune. A passividade dos governos europeus, incapazes de lançar uma ação concertada para enfrentar esta emergência humanitária que a cada dia se agrava e multiplica o número de vítimas, foi já objeto de veemente denúncia pelo Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados. António Guterres manifestou a esperança de que a solidariedade dos povos e a força dos movimentos cívicos que não aceitam tornar-se meros espetadores desta tragédia possam quebrar a indiferença cúmplice dos governantes europeus.
A queda do Muro de Berlim é o marco histórico do fim de toda uma era. Por isso é particularmente estranho que a Alemanha tenha acordado tão tarde e mal, para enfrentar um problema que lhe é familiar e de cuja solução resultou a reunificação das duas Alemanhas, circunstância que justamente permitiu à atual primeira-ministra - uma alemã do "Leste" - aceder às funções que agora desempenha. O encerramento provisório das fronteiras alemãs traduz-se numa perigosa cedência à desavergonhada atitude dos seus vizinhos da República Checa e da Hungria que exploram até à náusea os sentimentos xenófobos e semeiam a desconfiança e o medo entre os seus povos. Todos os constrangimentos hipocritamente invocados pelos governos para colocar entraves à livre circulação de pessoas - tal como a infiltração de terroristas, a insegurança das populações ou as legítimas motivações económicas atribuídas aos imigrantes - alimentam, nas circunstâncias presentes, os preconceitos mais arcaicos e ampliam as oportunidades da propaganda reacionária dos movimentos antidemocráticos da extrema-direita que tentam por todos os meios aliciar a opinião pública para arrancar novas concessões aos seus representantes eleitos.
Não se entende que os mesmos governantes que, recentemente, quase conseguiram expulsar a Grécia da União - a pretexto das dificuldades de negociação da dívida soberana - não tenham sancionado, em tempo, o governo da Hungria, apesar de condenado por múltiplos atropelos à liberdade e à democracia no próprio Parlamento Europeu. O resultado está à vista. Enquanto a Grécia, a Itália, a Turquia, o Líbano ou a Jordânia acolhem multidões de fugitivos exaustos, em condições cada vez mais precárias, na Europa perpetua-se a discussão sobre a fórmula exata da distribuição dos expatriados pelo território de cada país!
Não tem desculpa nem perdão o criminoso impasse a que se acomodaram as autoridades europeias. Entretanto, os cadáveres de homens, mulheres e crianças acumulam-se no fundo do Mediterrâneo... há muitos anos. Fogem da violência e da guerra que as políticas insensatas do Ocidente promoveram na Palestina, no Iraque ou na Síria. Fogem para não morrer sob o fogo das armas que os traficantes do Ocidente e do Oriente continuam a vender.

No JN.

Shame On You Orbán!

Shame on You Orbán!

Esta é uma manifestação de húngaros realizada em Budapeste. E é uma manifestação de vergonha pelo tratamento que tem sido dado aos refugiados, por ordem de Viktor Orbán, primeiro ministro húngaro e líder do partido de extrema direita Fidesz - União Cívica Húngara.

E agora dou a palavra a António Guterres... para que a memória não se perca e para que a moral da história não se perca também: hoje são eles a precisar... e amanhã, seremos nós?

“Há 59 anos tivemos a primeira grande crise de refugiados europeia depois da II Guerra Mundial, foi a crise húngara de 1956. Nessa altura, 200 mil húngaros foram para a Áustria (180 mil) e Jugoslávia. Na altura não havia (o acordo de livre circulação de) Schengen. Mas as fronteiras foram abertas, e da Áustria foi possível lançar um programa de relocalização, tendo 140 mil húngaros sido levados para outros países europeus e o realojamento teve lugar em menos de três meses”

Ouviste, Orbán? Podes avivar a memória aqui.

E há 20 anos eram os croatas... ver aqui a resposta da população a esta crise de refugiados...

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Aylan Kurdi Caravan - Amarante

Contribuição Amarantina- S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Joana Magalhães

Aylan Kurdi Caravan - Amarante

É com enorme gosto que informo os meus leitores que, durante esta operação relâmpago de recolha de bens diversos para os refugiados, juntamos mais de cento e trinta caixotes repletos de bens de primeira necessidade para bebés, crianças, adolescentes, homens e mulheres. Assim, seguirão para a Hungria, para a Sérvia ou para a Croácia, calças, camisolas básicas, camisolas quentinhas de lã, casacos curtos e compridos, impermeáveis, calçado variado, luvas, cachecóis, roupa interior, chapéus de chuva, artigos de higiene como pastas e escovas dos dentes, sabonetes, pensos higiénicos, produtos alimentares para bebé como papas diversas, brinquedos diversos... e até caixotes, sem os quais o embalamento teria ficado comprometido... e o mais que se conseguiu juntar em apenas dois dias e meio de recolha. A resposta foi fantástica ao nível de ofertas solidárias mas também ao nível de trabalho desinteressado e voluntário. E, confesso, participar nesta campanha, chamada Aylan Kurdi Caravan, deixou-nos a todos um bocadinho mais bonitos por dentro e por fora... muito visível nos nossos rostos cansados mas agora ainda mais humanos.
O sorriso de cada um de nós está agora aberto de orelha a orelha. Fizemos o que tínhamos de fazer. Foi imperativo. E a carga foi carregada, ocupando meia carrinha de transporte.
Obrigada a todos! Estaremos sempre prontos para outra campanha semelhante!
Amarante soube dizer presente. E sim, há muita gente viva e generosa por aqui...

"Os bens vão chegar a quem mais precisa."Doaçõesdos portugueses a caminho dos refugiados na Croácia

Nota - Pedimos desculpa a todos quantos nos seus carros e pacientemente aguardaram que a carga fosse carregada para a carrinha e estivesse em condições de seguir viagem até à capital.

Aylan Kurdi Caravan

Generosidade Voluntária - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias sei lá eu de quem...

Aylan Kurdi Caravan

A campanha amarantina de angariação de contribuições que irão integrar a Aylan Kurdi Caravan, que teve o seu início apenas na segunda-feira de manhã, saldou-se por um enorme êxito a muitos níveis.
De referir que, para além da informação passada boca a boca, as redes sociais desempenharam, sem dúvida!, o papel principal na divulgação desta iniciativa que se saldou na loucura que podem verificar por algumas fotografias avulsas que foram sendo tiradas durante os trabalhos de separação e de embalagem dos produtos doados.
Durante os dois dias de duração desta campanha solidária com os refugiados, apareceu muita gente com caixotes e sacos cheios de roupa de criança, mulher e homem, de calçado, brinquedos, artigos de higiene diversos, alimentos variados...
Durante estes dois dias apareceu igualmente muita gente para ajudar a separar os artigos por idades e por géneros e ainda para ajudar no embalamento de todos os itens seleccionados e na sua etiquetagem para posterior orientação/identificação.

E foi assim que, após dois dias de portas abertas das 10 às 20... ontem até as 24 horas!, e após trabalhos muitos que envolveram muitas pessoas, chegamos à última fotografia... que talvez não dê a verdadeira noção do volume envolvido já que as embalagens, na sua maioria caixotes, estão em várias filas até à parede e serão em número muito perto de cem. E isto em apenas dois dias de porta aberta.

Agradecemos a todas e a todos a generosa e rápida resposta. A situação é muito grave lá mais para o leste desta Europa mais unida do ponto de vista formal do que prático. A situação é muito grave na fronteira da Sérvia com a Hungria... aquele país da UE governado pela extrema direita no poder e que faz questão de o demonstrar/relembrar todos os dias com atitudes não compagináveis com os Direitos Humanos mais básicos.
A resolução deste gravíssimo problema não será fácil. E pela amostra de hoje... muito vamos ainda ter de sofrer ao vermos aquelas crianças nos braços de suas mães, nos braços de seus pais, aqueles olhares de pânico... de horror...
Estaremos atentos. E tentaremos ajudar no que for possível...

E, parafraseando a Susana Dias: "Quando num dos próximos dias os nossos donativos chegarem ás mãos dos refugiados, algures na Hungria, não serão apenas peças de vestuário, calçado, produtos de higiene, brinquedos ou alimentos. Serão vestígios simbólicos do nosso humanismo."

Nota - Queria aqui deixar um último registo - Portugal tem todo o futuro do mundo quando uma campanha desta natureza consegue juntar Professores e Alunos... tantos!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Solidariedade - CalAid

Calais - França / CalAid - London - UK
Fotografia surripiada aqui

Solidariedade - CalAid

A sociedade civil, agastada com o que está a acontecer em várias frentes europeias, mete mãos à obra e actua não esperando pelas decisões da UE. Por aqui trata-se de ajudar uma frente menos falada nos últimos dias - Calais, em França - onde existe "A Selva".
Confesso que gosto desta gente que se move...



Nota - Mais notícias sobre os refugiados aqui.

Quelha Amarantina - Prendinha

Quelha Amarantina - Livro do Hotel Casa da Calçada
Fotografia de Marco Carneiro

Quelha Amarantina

É certo, toda a gente que me conhece sabe que eu gosto de quelhas. Vai daí, hoje,dia de chuva a rodos, recebi uma prendinha muito bela - uma quelha amarantina, florida que nem sei e a lembrar o Verão.
Thanks, Marco Carneiro!

Aylan Kurdi Caravan

Solidariedade Amarantina - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Aylan Kurdi Caravan

Já estamos de portas abertas, na porta 30 da antiga Rua da Cadeia, em Amarante, a meio caminho entre a igreja de S. Pedro e a igreja da Misericórdia. E as contribuições já começaram a chegar.
Voltamos a esclarecer as pessoas que por estes dias têm estado a manifestar a sua preocupação com os indigentes, sem-abrigo, necessitados e carenciados portugueses que podem, se assim o desejarem, depositar as suas contribuições neste mesmo endereço, com a ressalva que se trata de ajuda especificamente dirigida a portugueses. Garantimos que será tudo entregue às instituições locais com essa ressalva.

Obrigada!


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Desafio - Solidariedade


Desafio - Solidariedade 

A sociedade portuguesa encontra-se notoriamente dividida entre aqueles que querem ajudar a acolher os refugiados e aqueles que o não querem fazer. Pelo meio haverá ainda sub-grupos, uns mais radicais que outros, uns mais suaves que outros.
Basta passearmos nas redes sociais para ler coisas como "é reactivar os campos de concentração" e outras pérolas que tais. Basta escutarmos as opiniões das pessoas, de viva voz para percebermos que este é um dos assuntos mais polémicos da actualidade.
Confesso que não sou assaltada por dúvidas. Perante uma catástrofe destas dimensões, o meu único impulso é ajudar... e já foi assim em catástrofes anteriores, ou mesmo sem ser em situação de catástrofe pois procuro ter uma atitude que eu apelido de decente. E é só isto. É por isso que eu sou doadora de sangue, porque penso, seriamente, que a vida é um toma lá, dá cá, uma troca, uma partilha constante e que hoje ajudo eu, porque posso, assim, assado, frito ou cozido, amanhã, quiçá!, serei eu a ajudada.
Por estes dias tenho lido o que muitos portugueses têm escrito sobre os sem-abrigo e os necessitados portugueses, gente que se insurge porque, alguns garantem-no!, os portugueses deixarão de ser ajudados pelo facto de estarem empenhados na ajuda aos refugiados. Não é verdade. As instituições que estão no terreno continuarão no terreno e os seus voluntários continuarão a fazer o que sempre fizeram na assistência, por exemplo aos sem-abrigo portugueses que passaram, de súbito, a ser bandeira de arremesso nesta questão, uns desgraçados contra outros desgraçados, miséria contra miséria, como se a nossa miséria fosse mais importante que a miséria deles... e não o é. No mínimo há sempre dois olhares... nem sempre conciliáveis, fora todas as outras variantes...
Assim, e como os indigentes, sem-abrigo e necessitados nacionais estão nas bocas de tantos, comprometo-me aqui, publicamente, a fazer chegar toda a ajuda que me confiarem a estes mesmos necessitados portugueses. Por exemplo, e nem é preciso recorrer à embalagem solidária dos CTT, aos voluntários que existem aqui por Amarante e que prestam uma ajuda preciosa a quem dela necessita.

Assim, poderão depositar as vossas contribuições na Rua Dr Miguel Pinto Martins, número 30, S. Gonçalo, Amarante, durante todo o dia de amanhã, terça-feira das 10 às 20 horas... com um jeitinho até poderão fazê-lo pela noite dentro e quarta-feira procuraremos assegurar o mesmo horário. Se avisar que a sua contribuição deverá ser encaminhada especificamente para os necessitados portugueses, assim será feito.

De qualquer modo, queria frisar que uma ajuda não é impeditiva da outra e que não se trata de uma subtracção, antes pelo contrário, é apenas uma soma. E quando somamos solidariedade entre os povos isso só nos pode deixar com um sentimento de utilidade pela nosso vida que é, francamente, reconfortante.
Agradecida desde já a todos quantos queiram contribuir para cá, para lá, para branco, amarelo, vermelho ou negro, ou mesmo miscigenado!, para católico, protestante, muçulmano, judeu, hindu... crente em qualquer crença ou não crente, para adepto do FCP ou do Sporting ou o que for, para gordos e magros e assim assim, para deficientes e gente "perfeitinha", para simpáticos e asquerosos... e o mais que agora não me apetece escrever.
Tenho dito.

Nota - A imagem que acompanha este post mostra as necessidades mais prementes sentidas na linha da frente pelos voluntários das organizações que, no terreno, apoiam esta gente que, maioritariamente, foge de países dilacerados pela guerra.
Se quiserem ajudar os necessitados portugueses até podem incluir refeições cozinhadas. Valeu?

Orgulho - Solidariedade

Solidariedade - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Orgulho - Solidariedade

Hoje, logo que a cheguei a casa vinda de reuniões na Escola, deparei-me com a primeira contribuição que a este espaço chegou. E quem assim tão generosamente contribuiu interpretou com clareza as necessidades dos refugiados: Kispos, casacos, camisolas, roupa leve, quente e confortável, brinquedos pequenos e leves, calçado quentinho para bebés e crianças.

Está dado o primeiro passo. A sua ajuda é urgente. Até quarta-feira aceitaremos todas as contribuições que serão levadas ao Porto na próxima quinta-feira e que integrarão a ajuda que será levada até à Hungria pela Aylan Kurdi Caravan.
Anexo outro pedido de material que faz muita falta aos refugiados: cachecóis, luvas, sacos-cama, colchões de campismo, mochilas, cobertores e mantas quentes.
Ainda hoje publicarei o horário em que a Porta 30 estará aberta para receber as vossas contribuições. Quem me conhece, quem conhece a Susana Dias ou a Elsa Cerqueira pode sempre entrar em contacto connosco para combinarmos a recolha das vossas dádivas.
Agradecemos desde já a vossa generosidade.

Veja reportagem aqui, ao minuto 23.

domingo, 13 de setembro de 2015

Aylan Kurdi Caravan - Pedido Urgente - Apoio aos Refugiados


Aylan Kurdi Caravan - Pedido Urgente - Apoio aos Refugiados

Profundamente incomodadas com o drama dos refugiados e com tudo o que se está a passar em particular na Hungria, resolvemos actuar desde já e não ficar à espera da ajuda futura que poderemos dar como voluntárias inscritas na PAR - Plataforma de Apoio aos Refugiados.
A Aylan Kurdi Caravan vai partir na próxima sexta-feira para a linha da frente onde é necessário, para homem, mulher e criança/bebé:

Roupa impermeável e quente
Casacos, camisolas, calças,
Roupa interior, meias quentes
Sapatos confortáveis
Sapatilhas
Mantas e cobertores
Sacos-cama...

Artigos de higiene pessoal,
Fraldas de bebé
Brinquedos pequenos e leves que não necessitem de leitura

Comida não perecível e que não necessite de ser cozinhada

e o mais que se lembrar que possa ser útil a quem deixou tudo para trás.

Assim, vamos abrir um ponto de recolha aqui em Amarante, na rua Dr Pinto Martins, antiga Rua da cadeia, na Porta 30, a meio caminho entre a Igreja de S. Pedro e a igreja da Misericórdia e comprometemo-nos, nesta primeira fase, a entregar os produtos recolhidos no Porto, na loja A Vida Portuguesa, de Catarina Portas.
Se quiser colaborar, agradecemos desde já. Podem começar a recolher os produtos em vossa casa, junto dos vossos amigos e depois entregarem na porta 30 em horas e dias a combinar. Daremos novas.
Notem: é urgente. Não deixem para a última hora, por favor.

A Palavra a Uma Enorme Mulher - Fatou Diome

A Palavra a Uma Enorme Mulher - Fatou Diome

Tiro-lhe o meu chapéu. Fatou Diome colocou os pontos nos is na questão da crise dos refugiados.
Não perca a ocasião de escutar as suas justas palavras.



Professores - A Luta Continua


Professores - A Luta Continua

A luta por um país e um mundo mais decente também passa pela luta dos professores. Porque as regras aplicadas aos concursos de professores são indecentes colocando uns contra os outros. Sim, eu sei, a curto prazo é uma táctica que dá os seus frutos... mas, e a mais longo prazo? Que danos provocará ainda num grupo profissional já tão martirizado pelos conflitos e divisões?
Por Évora, no próximo dia 15.
Ver e aderir aqui ao evento criado no facebook.
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.