quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Reciclagem - Rolos de Papel Higiénico - A Importância da Ajuda de Uma Jóia de Luz

Reciclagem de Rolos de Papel Higiénico
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Reciclagem - Rolos de Papel Higiénico - A Importância da Ajuda de Uma jóia de Luz

Por aqui continua a fazer-se a separação dos lixos mas já não se deitam os rolos de papel higiénico, nem os de papel de cozinha, depois de usados, para o contentor azul da reciclagem.
Por aqui, estes rolinhos, depois de dobrados e cortados em tirinhas, e depois de agrafados uns aos outros, também podem ser colados com cola quente, criando belas formas aleatórias, enfeitam a minha árvore de Natal, assim mesmo ao natural, como estes que agora vos apresento nas fotografias acima postadas. As alternativas são infinitas, depois de pintados de vermelho, de dourado, de prateado ou da cor que desejarem poderão também encontrar um belo poiso em qualquer vidro de janela ou porta desta rua, ou de uma outra rua qualquer.
Aqui deixo a dica. Garanto-vos que é um excelente entretenimento para passar uns bons momentos em família. Estes enfeites foram feitos por mim mas contando com a preciosa ajuda da minha Jóia de Luz que adora estas actividades e que adora ajudar, fazer, actuar. Desde pequenino... eheheh... na verdade ainda é pequenino... mas de pequenino se torce o pepino... não é assim?

O Mercado Nazareno e a Quinta da Ribeira - Agradecimentos

Uma Atracção do Mercado Nazareno - Animais da Quinta da Ribeira
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

O Mercado Nazareno  e a Quinta da Ribeira - Agradecimentos

O nosso agradecimento sentido e do coração à colaboração da Quinta da Ribeira - site aqui e facebook aqui - nas pessoas do sr Costa e dona Fátima, não esquecendo o assistente operacional da quinta... e a quinta pode e deve ser visitada para se espantarem com os mais de quinhentos animais que a povoam,  que não só nos cederam os animais que nos acompanharam os dias de 19 a 22, período em que decorreu o Mercado Nazareno, como trataram do seu transporte de ida e de volta e da sua alimentação.
E tudo isso graciosamente. Muito obrigada! Pela nossa parte, Agrupamento de Escolas de Amarante, só poderíamos ter tratado destes bichinhos com o respeito e amor que eles nos merecem. E assim foi.

Os Anónimos - Ainda a Propósito do Meu Post Sobre Amadeo


Anónimos - Ainda a Propósito do Meu Post Sobre Amadeo

Continuo a adorá-los! Aos que a coberto do anonimato achincalham o trabalho dos outros ou que, a coberto desse mesmo anonimato até podem lançar perguntas pertinentes e provocadoras sobre um qualquer assunto.
Foi o caso de um anónimo que hoje, pelas 02:25 da madrugada, hora a que eu até costumo andar pela net mas por circunstâncias diversas não andava, me deixou o seguinte comentário em forma de perguntas e passo a citar:

"n haverá mais amarantinos: pintores e artistas, para seguir? vamos seguir o morto?"

Reagindo à sua provocação, anónimo, faço-lhe notar que cada um de nós segue quem muito bem entender, mortos ou vivos esse é um problema de cada um e que cada um resolverá se assim o entender.
Posto isto passo a explicar-lhe o seguinte: Amadeo é um Gigante, um Monstro da pintura local, da pintura nacional, da pintura mundial. Repare que eu escrevi é, não era. Se a vida física de um génio destes acabou, para mal de nós todos, e dele!, de forma demasiado precoce, a sua obra perdura e, tal como todas as obras de qualidade excepcional, impõe-se a cada ano que passa sobre o seu desaparecimento. Amadeo, na pintura, é o maior vulto local, em termos de arrojo, de criatividade, de percurso, de cortes com o estabelecido, de desfaçatez mesmo ao não ir por onde seria previsível ir, de técnica, de experimentação...
Posto isto, faço-lhe notar que Amadeo, estando morto, está mais vivo do que muita gente que por aí anda mas que está morta em vida, "artistas" incluídos.
E depois, o facto de podermos ir atrás de "um morto", isto para utilizar a sua terminologia, não invalida que possamos ir atrás de outros artistas amarantinos emergentes em áreas tão diversas que por aí estão a surgir.
Só para lhe dar dois exemplos, em duas áreas distintas, e os restantes artistas amarantinos de que eu gosto que me desculpem... eu também sigo o João Pinetree... e também o Gil Peixoto... conhece?

E olhe, siga o seu coração... com a certeza de que os mortos nunca estarão fora dele. Pelo contrário, permanecerão em si até ao fim dos seus dias.
Pelo menos no meu permanecem e permanecerão. E esse é o caso de Amadeo. Mais vivo, estando morto do que muitos mortos, estando vivos.

O comentário, anónimo, caiu neste meu post:

Responsabilidade Amarantina - Amadeo


Responsabilidade Amarantina - Amadeo de Souza-Cardoso

Este Excepcional, Genial e Belíssimo Senhor Escorpião integra o património que deve ser responsabilidade primeira amarantina.

Amadeo vai voltar a correr o mundo. Parte de Paris.

Correremos o mundo atrás dele? Faremos um grupo "Todos Atrás do Amadeo de Souza-Cardoso Para Onde Ele Nos Quiser Levar?"
Pela minha parte, garanto-vos, vou com ele para qualquer lado...

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Excelente 2016!

A "Fotógrafa" fotografada - Natal 2014 - Louredo
Fotografia de Jorge castelo Branco muito manipulada por mim...

Excelente 2016

E mais não digo para além do que já disse. E que já foi dito na passagem de 2014 para 2015.

Nota - Cliquem sobre a fotografia para lerem com mais conforto.

Mercado Nazareno - Agrupamento de Escolas de Amarante - Um Balanço Possível

Mercado nazareno em Grande Plano no Porto Canal
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Mercado Nazareno - Agrupamento de Escolas de Amarante - Um Balanço Possível

O desafio para colaboramos, enquanto Agrupamento de Escolas de Amarante, na actividade Amarante Cidade Presépio, chegou-nos tardiamente... Novembro?... pelas mãos do Presidente da Associação Empresarial de Amarante, Luís Miguel Ribeiro, mas a resposta, com alguns receios à mistura de não sermos capazes de erguer uma actividade tão complexa quanto esta em tão pouco tempo, para erguer uma actividade que necessitava de auxiliares educativos, de professores em plenas reuniões de avaliação, de alunos em merecida pausa lectiva, foi um corajoso sim.
E o Mercado Nazareno ergueu-se, contando com uma equipa restrita mas eficaz que planeou, tratou dos cenários, do guarda-roupa, da calendarização das colaborações, que tratou de assegurar a presença dos animais, lindas as cabrinhas e ovelhinhas anãs da Quinta da Ribeira!, que montou todas as bancadas no Claustro de S. Gonçalo, que das decorações do espaço, que tratou de dar o litro e o corpo ao manifesto quantas vezes das 10 às 22, de forma ininterrupta, almoçando em pleno mercado, jantando no mesmo sítio... pelo meio até integrando os Sésamos, o Ricardo Cunha, um grupo de tocadores de violas amarantinas, o Grupo Coral Sem Nome do Agrupamento de Escolas de Amarante... eheheh... que muitos de nós somos pau para toda acolher! e, curioso... ou talvez não! muita desta gente é exactamente a mesma.
E o mercado Nazareno ergueu-se! E cumpriu a sua função. Sem ter números disponíveis arrisco que passaram por este mercado, a funcionar em espaço fechado e interior, milhares de pessoas, entre pais, encarregados de educação, familiares dos alunos envolvidos ou não, professores do agrupamento ou não que nos quiseram apoiar... os alunos de 9º ano angariavam fundos para a viagem de finalistas, os de 5º para uma máquina de lavrar para a horta pedagógica da EB 2/3 de Amarante, estrangeiros espantados que nos questionavam se o Mercado era organização de uma associação local... claro que todas estas visitas ocorreram mais concentradas no Sábado e no Domingo, dias em que bombámos/trabalhámos... de manhã à noite, literalmente.
O balanço possível é de êxito. As pessoas apareceram, percorreram o nosso espaço, elogiaram-nos a iniciativa e o trabalho desenvolvido... elogiaram mesmo muito... e tu sabes que a actividade foi um êxito quando escutas uma miúda a dizer para os seus familiares "Quero ir para esta Escola!"

It`s Raining Again

Chuva em Janelas do Centro Histórico - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

It`s Raining Again

Hoje sirvo-me de uma banda que me acompanhou os dias no início da adolescência... discos de vinil por onde andais vós?!... para musicar este dia deveras chuvoso.
O que vale é que no nosso interior brilha o sol... certo?

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Responsabilidade Amarantina


Responsabilidade Amarantina

Sim, hoje deu-me para aqui... porque a responsabilidade amarantina é a responsabilidade que decorre de cada um de nós.

Nota - Roubei este poema a uma amiga facebookiana. Ao que parece este poema está erradamente atribuído a Fernando Pessoa sendo de Fernando Teixeira de Andrade.

Responsabilidade Amarantina - Amadeo


Responsabilidade Amarantina - Amadeo de Souza-Cardoso

Este Excepcional, Genial e Belíssimo Senhor Escorpião integra o património que deve ser responsabilidade primeira amarantina.

Amadeo vai voltar a correr o mundo. Parte de Paris.

Correremos o mundo atrás dele? Faremos um grupo "Todos Atrás do Amadeo de Souza-Cardoso Para Onde Ele Nos Quiser Levar?"
Pela minha parte, garanto-vos, vou com ele para qualquer lado...

Responsabilidade Amarantina

Responsabilidade Amarantina - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Responsabilidade Amarantina

Esta é a responsabilidade que nos deve unir a todos, amarantinos, independentemente da simpatia por credos, partidos políticos, cores faciais ou emotivas, independentemente de filiações clubísticas... independentemente de seja o que for que nos possa distinguir uns dos outros, defendo que cabe a cada amarantino, que possa e queira ter voz, que possa e queira ter influência, que habite o burgo ou que esteja fora dele, que por aqui tenha nascido ou que tenha nascido muito longe deste fundo vale mas que aqui esteja agora radicado, a responsabilidade de exercer a sua influência positiva sobre as vivências de uma colectividade que é constituída pelo somatório de cada um de nós a todos os outros.
E abro aqui um parêntesis para afirmar que é evidente que não estou a falar de gente morta em vida, de gente paralisada pelo medo do passo dado em frente, de gente desistente, de gente derrotada ainda antes da partida e que nem mesmo chega a partir e a descobrir os encantos de uma caminhada que se pratica, quantas vezes! na corda bamba, isoladamente, mas com muitos assistentes à espera da queda espalhafatosa e fatal. Esse é o tipo de gente que não me interessa de todo, que na minha vida privada arrumo em três tempos para canto e que, na minha vida profissional, mato mentalmente numa estratégia de sobrevivência que se tem revelado muito certeira e eficaz porque sim, assim sou capaz de trabalhar até com gente morta.
Posto isto, eis que chego ao meu umbigo, ao meu umbigo amarantino, o Largo de S. Gonçalo e chego às artérias e veias que daí irradiam e chegam mesmo aos capilares, que são, para mim, as quelhas, as tão por mim amadas quelhas e eis que chego à responsabilidade que cada amarantino deve sentir perante o legado que lhe foi servido de bandeja, quer seja em património construído, quer seja em património material, quer seja em património imaterial e que todos nós devemos respeitar. O Mosteiro de S. Gonçalo, com os seus claustros e igreja anexa, é único e irrepetível, assim como é irrepetível a Igreja de Nosso Senhor dos Aflitos, vulgarmente conhecida por Igreja de S. Domingos, assim como é irrepetível a Ponte Velha que une as duas margens do burgo, o Museu Amadeo de Souza-Cardoso, o Museu de Arte Sacra, a Igreja de S. Pedro, a Quelha das Garridas, o Solar dos Magalhães, a casa dos Macedo...  como são irrepetíveis um Amadeo, um Teixeira de Pascoaes, uma Agustina, um Lago Cerqueira, um Acácio Lino, um Eduardo Teixeira Pinto...
Ora então qual é a nossa responsabilidade enquanto amarantinos?
Muito simples, ao mesmo tempo complicado: respeito pelo legado, valorização desse legado, mas também inovação, arrojo, criação de novas dinâmicas construtivas, de novos projectos que se consigam sustentar. E para isso Amarante precisa de todos os que consigam contribuir positivamente para a valorização de um património que é de todos os amarantinos em primeiríssimo lugar, mas também de todos os portugueses e, em última instância, de todos os terráqueos racionais que por este planeta circulam. Património esse que vai para além do que já existe, evidentemente, porque também só assim saberemos honrar o legado, excepcional, que recebemos dos nosso antepassados e do qual usufruímos todos os dias.

O Largo de S. Gonçalo, e toda a sua envolvente, é o meu umbigo. E é também o meu Norte.

Hoje foi dia de recarregar baterias. Por vezes recarrego-as assim. Apenas pelo preço de um belíssimo café curto, tomado no meu umbigo, banhado e aquecido pelo sol. Até ao tutano.

Nota - Este meu discurso está presente neste blogue, de forma ora mais explícita ora mais implícita, desde que o abri, no já longínquo ano de 2007.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Maestro Vitorino d` Almeida - Concertos - Amarante


Maestro Vitorino d` Almeida - Concertos - Amarante

Uma relação que se estreita através da associação Camerata das Artes com o apoio do Munícípio de Amarante.
A entrada é livre. Aproveitem para escutar o Maestro. Garanto-vos que darão o vosso tempo por muito bem empregue!

Nota - Com os meus agradecimentos ao Delfim Carvalho.

Sala de Professores - Juventude, Precisa-se!

Sala de Professores que Já Não Existe - ESA - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Sala de Professores - Juventude, Precisa-se!

É certo. Já aqui falei inúmeras vezes sobre este problema, grave, que, acredito, se faz sentir em todas as salas de professores do país. A que eu frequento não é excepção e é raro, nos dias que correm, olhar em redor e ver professores abaixo dos 35 anos, arriscaria até a afirmação do ser raro ver professores abaixo dos 40 anos. O que é um drama. Porque a passagem de testemunho suave e natural, que já foi habitual um dia, não está a ser feita numa escala compatível com o que seria desejável e normal, porque há um fosso, um hiato criado artificialmente pelo poder político que travou as saídas de professores o mais das vezes esgotados, muitas vezes demasiado exaustos e impediu o mais possível as entradas de sangue novo, gente com o sangue na guelra, disposta a agitar as instituições e tirá-las, se possível, de alguma letargia existente que se acentuará, por certo, à medida que todo um corpo docente envelhece.
Há gente no activo que acumula bem mais do que 40 anos de serviço... parece-vos justo?
E sendo que nós somos a frente que liga passado ao futuro, sendo que nós somos a profissão com mais responsabilidade relativamente à passagem de testemunho do que já é passado mas também ao despoletar da inovação, ao estimulo da criatividade, do movimento constante em direcção ao futuro, parece-vos decente que se mantenha um corpo docente que enferma do mal do envelhecimento físico... e, quantas vezes!, do envelhecimento mental?
Eu garanto-vos, pretendo sair a tempo de largar a Escola com dignidade. Agora, será isto possível? Os legisladores deixarão?

Precisa-se de juventude nas salas de professores

domingo, 27 de dezembro de 2015

Galeria Miguel Justino - JAC

 JAC - All Begins With a Dream - Acrílico sobre Papel - 70 x 100 cm - 2014
JAC - Dessine-Moi un Rêve - Acrílico sobre Papel - 70 x 100 cm - 2014
Fotografias surripiadas aqui

Galeria Miguel Justino - JAC 

Uma parceria feliz. Muito feliz.

Festa Amarantina - Canal 180


Festa Amarantina - Canal 180

Quando a Festa Amarantina se cruza com o Canal 180... isso merecia pelo menos um registo fotográfico, não?
Pois... não há. Não há registo, bem entendido, porque cruzamento... olá se já há!

sábado, 26 de dezembro de 2015

João Pinheiro e Amigos - Feliz Natal


João Pinheiro e Amigos - Feliz Natal

Adoro este(s) miúdo(s)... e o Canal do Youtube do João.

Parabéns pelo teu trabalho, João Pinheiro!

Eu Seguro

Jóia de Luz e Avó Morcega - Natal 2014
Fotografia de Jorge Castelo Branco muiiiito manipulada por moi-même

Eu Seguro

Desde que nasceu... eu seguro...

Família

Family/família/a lot/ resmas - Natal 2015
Fotografia de Jorge Castelo Branco mas muiiiiiiito alterada por moi-même

Família

Os M. M. cruzaram-se algures lá atrás no tempo com os J. A. e deu nisto: "family/família/a lot/resmas" como diz a minha querida Mel...
E não, não estamos todos... falta a Jóia de Luz e família, a Diva e família, os cruzados com os F. e os que permaneceram na Catalunha... e os que deram origem a isto tudo e permanecem nos nossos corações.
Tchim tchim! Honras à Vida! Que seja bem gozada, enquanto dura.

Caminhada - 40 anos

Caminhada - 40 anos - Matosinhos
Fotografia de Jorge Castelo Branco manipulada por mim...

Caminhada - 40 anos

Eu podia dizer que este par caminha lado a lado há 40 anos... mas estaria, em parte, a desviar-me da verdade literal. Correcto, correcto, correcto é que este par caminha lado a lado, ou um à frente e outro atrás, nem sempre pela mesma ordem e andando a velocidades muito distintas, nem sempre na mesma direcção e por vezes até caminha só um enquanto o outro goza o descanso do guerreiro... ou da guerreira... ou do escorpião... ou do escorpião azul...
E é só isto. Relativamente fácil de ser feito... ou não será?

Lógico Ser (Nuvem)


Lógico Ser (Nuvem)

Hoje partilho um sobrinho adorado. E ao partilhá-lo, partilho também um projecto que é dele e de mais uns quantos amigos que eu não poderei nomear por ignorância.
Prometo informar-me. Por agora, muitos parabéns pelo trabalho desenvolvido até aqui!

Lógico ser. Nuvem.
Quem me dera ser... nuvem.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Dia de Natal

Amarante Iluminada - S. Gonçalo
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Dia de Natal

E aqui estamos nós, de regresso ao nosso umbigo, depois de banhos de imersão, familiares, deveras saborosos e calorosos...

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Presépio

Presépio - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Presépio

Este é, com algumas alterações e alguns acrescentos, o presépio que povoou a minha infância. Agora povoa a infância da minha Jóia de Luz enriquecido que foi/está com uns gansos e porquinhos que ficam aqui que nem ginjas e que são à prova de bala.
Mas a Jóia de Luz, que ajudou a colocar musgo, figuras e neve, respeita o presépio e não mexe em nadinha...
Feliz Natal! Votos de excelente mergulho na família...

Novas da Jóia de Luz

Comboio de Natal - Arquinho - Amarante
Fotografia de Flora Queirós Manipulada por Mim

Novas da Jóia de Luz

Dever cumprido, Avó Morcega! Até que enfim que conseguimos andar no comboiinho!
O que tu fazes por mim... tú tú... tú tú...

Feliz Natal!

Amarante Cidade Presépio - Infantário "O Miúdo" - S. Gonçalo 
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Feliz Natal!

E agora é tempo de recolhimento familiar.
Votos de Feliz Natal na companhia de quem mais amam é o que desejo para familiares, amigos, alunos, conhecidos, desconhecidos... enfim, a todos quantos por aqui passarem.
Um pensamento muito especial para todos aqueles que, já cá não estando fisicamente, permanecem em nós até ao fim dos nossos dias...

Fiquem bem!

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Benvinda

Benvinda e Mãe - Mercado Nazareno - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Benvinda

Os professores que deixam a sua marca nas escolas por onde passam serão sempre as "Benvindas" espalhadas por tantas escolas deste país "tão pequenino". E que simultaneamente marcam os seus alunos, para sempre, com tamanho exemplo de esforço, entrega, partilha  generosidade.
Obrigada, Benvinda. Pelo exemplo.

Quando escrevi estas palavras, no já longínquo ano de 2007, encontrava-me a leccionar na Escola Secundária de Amarante e a Benvinda ainda estava no activo na EB 2/3 de Amarante. Entretanto passaram oito anos e a Benvinda já não calcorreia a escolinha diariamente, aposentou-se, e está agora a gozar o seu merecido descanso de um stress docente cada vez mais avassalador. Mas a Benvinda não se divorciou desta Escola a que deu o litro anos e anos a fio. A Benvinda está sempre connosco, a trabalhar forte e feio para que todas as saídas do Agrupamento para o exterior sejam saídas dignas, para que sempre que recebemos os encarregados de educação em dias de entrega dos Diplomas de Mérito lá na EB 2/3 de Amarante o façamos com alegria e brio.
A Benvinda, que sempre foi uma Força da Natureza, é agora também uma indispensável Fadinha da Escola.
Hoje volto a 2007 e escrevo:
Obrigada, Benvinda. Pelo exemplo.

Nota - Espero que a Benvinda me perdoe o atrevimento da partilha de duas forças da Natureza, a progenitora a caminho dos cem anos...
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.