quinta-feira, 22 de abril de 2021

Dia Mundial da Terra em Dias de Dor

 

S. Leonardo da Galafura - Douro
Fotografia de Artur Matias de Magalhães

Dia Mundial da Terra em Dias de Dor

Em dias de bonança ou de tormenta, a Terra nunca nos falha.

domingo, 18 de abril de 2021

UM RIO DE MEMÓRIAS EM SAUDADE PROFUNDA


UM RIO DE MEMÓRIAS EM SAUDADE PROFUNDA 

Hoje o sol desta Primavera alvoreceu num rio de memórias dolorosas sem o encontro de afectos indispensáveis aos meus dias do mundo.  

É domingo (18/4) neste Abril, e o coração da família e dos amigos, numa Amarante distraída e volúvel, soaram no repique dolente dos sinos na torre da igreja, em toque fúnebre numa fidelidade ancestral à lei da vida, por um dos seus mais comprometidos e singelos naturais. 

A cidade encerrou a existência para os percursos terrenos de meu Pai e na profunda saudade da sua súbita e inesperada partida deixa na família um vazio lancinante de dor eterna numa ansiada espera impossível pela sua chegada a casa, na sua definitiva e inexorável ausência. 

Homem de carácter estruturado numa formação humana modelar, simples e afectuoso nos gestos e modesto nas ambições pessoais, vivia numa dedicação esmerada a toda a família e tinha nos filhos (José Emanuel Queirós e Anabela Magalhaes), genros (Artur Magalhães e Flora Queirós), netas (Joana Magalhães, Cláudia Queirós e Inês Queirós) e bisnetos (Joãozinho e Francisquinho) as suas âncoras a quem todos os dias entregou seus mais puros afectos e dedicados amanhos. 

Nestes dias de indescritível e profundo pesar partilhados em família, fico com uma gratidão profunda ao Ser que, com a minha Mãe, me proporcionou realizar este itinerário de transição na sua própria terra, onde aprendi a não recolher pedras e mágoas, e a semear as harmonias, o amor e a paz, enquanto a nossa interminável viagem decorre com novas chegadas e partidas profundamente tristes, angustiantes e indesejáveis. 

Assim sejamos capazes de nos erguer das águas deste interminável oceano encapelado pela inesperada tempestade e seguir o seu exemplo agregador sem esperar tributos nem retribuições nestas nossas curtas deambulações peregrinas sobre a Terra.

José Emanuel Queirós 

domingo, 28 de março de 2021

Nascimentos no Tâmega em Tempos de Pandemia

Patos do Tâmega - S. Gonçalo - Amarante

Fotografias de Anabela Matias de Magalhães


Nascimentos no Tâmega em Tempos de Pandemia

Tenho-os acompanhado quase desde que nasceram e todos os dias constato que são menos. 

Indiferentes aos dias de pandemia, ainda muito pequeninos e frágeis, os patinhos sobreviventes, alguns, lá se vão aguentando e podem ser observados pelas margens e pelas águas do meu belo rio que, por estes dias, vai manso mas perigoso para patos quase recém nascidos.

domingo, 21 de março de 2021

Quinzena da Protecção Civil


Quinzena da Protecção Civil

O Webinar já aconteceu mas, felizmente, está agora disponível a sua gravação no Youtube.

A Direção–Geral da Educação, no passado dia 9 de Março, realizou em modo remoto o Webinar “Proteção Civil – Uma responsabilidade de todos”, integrado na Quinzena da Protecção Civil (1 a15).

A iniciativa, agora em vídeo à disposição de todos, foi produzida especialmente para a comunidade educativa, nomeadamente, docentes, alunos, técnicos, encarregados de educação e outros intervenientes. A actividade foi realizada com base na temática de um projecto em curso nas escolas do município do Marco de Canaveses e contou com a participação de elementos do Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC), da Escola Secundária do Marco de Canaveses, do Agrupamento de Escolas N.1 do Marco, e o Centro Escolar de Vila Boa do Bispo, do Agrupamento de Escolas de Alpendorada.

Aqui fica para memória futura.

Excelente trabalho e excelentes intervenções! 

sábado, 20 de março de 2021

Pôr-do-Sol em Tempos de Pandemia

 

Pôr-do-Sol em Tempos de Pandemia - Serra da Aboboreira
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Pôr-do-Sol em Tempos de Pandemia

Hoje. Com promessa de novo dia bonito para amanhã.

sexta-feira, 19 de março de 2021

Comunicado: APAGÃO pela Educação Continua!!!


Comunicado: APAGÃO pela Educação Continua!!!

Agora ainda com mais força nas razões, depois de mais trapalhadas nos concursos.  

O Ministro continua entretido a fazer propaganda e atira os problemas para as Escolas e para os Professores.  

Nesta última semana de ensino à distância, continuamos a fazer o Apagão (desligar os nossos computadores 45 minutos por dia). Apelamos a que mais docentes se unam à iniciativa, até ao regresso à escola presencial. O Ministério exemplificou, mais uma vez, na semana passada, nos concursos docentes, a má-fé que tomou como prática genérica e que se manifesta quase sempre na sua ação e principalmente na inação. A definição jurídica de má-fé é “alterar a verdade dos factos ou omitir factos relevantes”. Algo que o Ministro faz todos os dias, entretido com a sua propaganda frenética, em que aquilo que não lhe agrada é sempre imputado à “autonomia das escolas”.  

O apagão não é sobre computadores ou internet paga, mas uma forma poderosa de alertar para outros problemas já que, somos nós, professores, que sustentamos, com os nossos meios pessoais, aquilo que o Estado devia organizar. Relembramos o que nos move e preocupa e de que o Ministro não quer saber e que não negoceia, como é seu dever, com os nossos sindicatos:  

1. Questões de salário e de desrespeito pela carreira legalmente firmada (seja nas progressões, no respeito pelo horário, na imposição de trabalho letivo em tempos não letivos, etc.);  

2. Falta de condições de trabalho, de segurança no contexto da pandemia, a indisciplina e até violência e as más condições de vida, com destaque para a ausência de incentivos e apoios aos professores deslocados, além dos graves problemas de precariedade e instabilidade;  

3. Falta de recursos para os alunos e más condições de trabalho para os assistentes operacionais, que são essenciais à boa qualidade do trabalho docente e ao cuidado dos alunos;  

4. Desrespeito pelo horário de trabalho e excesso de burocracia estupidificante e inútil nas escolas;  

5. Adiamento da idade de aposentação e falta de respostas ao envelhecimento da profissão e à necessidade de a rejuvenescer;  

6. Injustiças e trapalhadas ilegais nos concursos, seja ao nível de quadros de agrupamento, QZP, contratação, norma travão, substituições ou ofertas de escola;  

7. Injustiças e trapalhadas ilegais na avaliação de desempenho, além das quotas, que tornam o processo completamente kafkiano e irracional, e das vagas, que travam a justa e legítima melhoria da condição salarial, que a lei prevê, mas é esbulhada por todo o tipo de batotas e truques;  

No meio destes problemas, o Ministro continua com a atitude de degradar a imagem dos professores, com propaganda de mentiras junto da opinião pública e recusando ofensivamente negociar. O Ministro patentemente não quer saber do longo prazo e é, tão só, um delegado do Ministro das Finanças, mantendo a tática velha culpabilização da profissão sobre tudo o que sejam problemas financeiros no País.  

Balanço das várias semanas de protesto  

O balanço do movimento de protesto, que é independente de qualquer sindicato, é muito positivo, quer pela adesão, quer pelo efeito do debate gerado, até dentro de sindicatos, que se está a provocar. Na semana anterior, as adesões até aumentaram com colegas contratados, que perceberam que a paga da colaboração missionária a salvar o Ministério de que se visse a sua incompetência, foi o concurso de vinculação mais injusto de sempre Face às vilanias e ofensas que os professores sofrem, às mãos de Governos, de um Estado e de uma Sociedade que não valorizam a Educação, o caminho é cada professor mostrar e exigir que se reconheça o valor da sua doação abnegada ao ensino. E uma forma objetiva de mostrar como vale o que damos é a dádiva ser suspensa, uns minutos que seja.  

Isso tem sido o Apagão, que, esta semana, continua com 45 minutos diários: mostrar aos políticos e à sociedade que são os professores que, em tempo de pandemia, na verdade, sustentam o sistema de ensino para que se mantenha a funcionar, como manteve. Mas não foi a propaganda intensa e permanente que deu esse resultado. Foi o trabalho mal compensado e desvalorizado dos Professores.

terça-feira, 16 de março de 2021

Reabertura de Escolas - Um Alerta


Reabertura de Escolas - Um Alerta 

Abrir as escolas com um Rt de 0,98 “ é mais do que imprudência, é quase procurar problemas sérios”


Encruzilhada Profissional Metafórica

Encruzilhada Profissional Metafórica - Serra da Aboboreira
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Encruzilhada Profissional Metafórica

Durante a nossa vida, há sempre vários diferentes caminhos possíveis que podemos escolher, que podemos optar e por onde podemos virar e calcorrear a direito sem mesmo olhar para trás e isto tanto é válido a nível pessoal como a nível profissional, se é que isto não está tudo ligado e se é que tudo não faz parte de um todo que somos, afinal, cada um de nós, no somatório da sua parte física e intelectual.

Não me dou com uma série de comportamentos que considero indignos e, confesso, tenho muita dificuldade em digeri-los e, na tentativa de o fazer, por vezes ainda tento, vomito-os violentamente o que, quase aos 60 anos, me acarreta amargura suplementar desde a boca até ao estômago. 

Sinto-me numa encruzilhada. E nunca a vontade de dizer não à indignidade foi tanta. E continuo a pensar na Vida. Já há várias decisões tomadas. Mas a principal a tomar... confesso, ainda balanço à conta dos Alunos Meus.  

segunda-feira, 15 de março de 2021

"Pimpões" e "Jóia de Luz"

"Pimpões" - Serra da Aboboreira - Amarante

Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Apresentação - "Pimpões" e Jóia de Luz

Para mim e para a minha Jóia de Luz serão para sempre os nossos "pimpões", muito embora o não sejam e sejam outra coisa qualquer.

São dois casais de peixes que espero que procriem muito e que foram baptizados de rajada pelo meu neto - o laranja mais pequeno, chama-se Fogo, o amarelo dourado, chama-se Ouro, o cinza escuro, chama-se Sombra e o laranja maior, chama-se Chama.

Já por lá habitam também pequeninas salamandras e a água está à espera que apareçam as rãs que fizeram parte integrante da minha infância.

sábado, 13 de março de 2021

ComRegras - Fim


ComRegras - Fim

Foi com grande tristeza, mas não com espanto absoluto, que recebi a notícia em primeira mão - O Alexandre Henriques ia fechar o ComRegras.

Habituei-me a vê-lo sempre por lá, diariamente e, mesmo se ultimamente não o acompanhei muito assiduamente, também eu um pouco saturada com muita coisa que se passa e com muita coisa que não se passa neste país e principalmente no mundo da Educação, a verdade é que o ComRegras existia e era um dos principais blogues de Educação deste país, um espaço de reflexão, de partilha e de troca de opiniões, interventivo, reflexo do seu dono que tão generosamente partilhou o seu espaço dando voz a alunos, funcionários das escolas, professores vários e que até partilhou comigo a administração desse seu espaço, não o esqueço, a desconhecida que ele nunca viu fisicamente mas que a dada altura possuiu a chave da sua casa virtual porque ele lha entregou, confiando-lha plenamente.

Tenho a agradecer-lhe muito. Até o ter-me convidado para colaborar no seu espaço o que fiz durante algum tempo. Mas hoje quero agradecer-lhe específica e publicamente o ter sido o pai da ideia da ILC, uma das iniciativas de professores das quais eu mais me orgulho de ter feito parte integrante. 

Até sempre, Alexandre Henriques. Que espero seja um até breve, quiçá em um outro espaço. Até lá, se e quando te apetecer escrever sobre Educação, já sabes, a minha casa é a tua casa.

Um Agradecimento aos Professores com Origem na Federação Portuguesa de Futebol

 




Um Agradecimento aos Professores com Origem na Federação Portuguesa de Futebol

Eu nunca me cansarei de agradecer aos Professores que foram meus umm dia, com a consciência, plena, que, sem eles, eu hoje não seria o que sou.

Obrigada, Professores Meus!


quinta-feira, 11 de março de 2021

Reabertura de Creches, Pré-Escolar e 1.º Ciclo

 


Reabertura de Creches, Pré-Escolar e 1.º Ciclo

A confirmação, e para entrar em vigor a partir da próxima segunda-feira, acaba de ser feita pelo primeiro-ministro.

Reabertura de Creches, Pré-Escolar e 1.º Ciclo


Reabertura de Creches, Pré-Escolar e 1.º Ciclo

A notícia está a ser difundida como certa e já para entrar em vigor a partir da próxima segunda-feira.

Aguardemos a confirmação última que pertencerá ao primeiro-ministro.




segunda-feira, 8 de março de 2021

Dia Internacional da Mulher

 

Maria Helena - Avenida João Franco - Régua
Fotografia sei lá eu de quem...
 
Dia Internacional da Mulher

Hoje recupero um texto escrito em dia 8 de Março de 2013 e que continua a ser actual.
"Pequenina, aparência frágil, modesta, solidária, persistente, afectuosa, atenta, educada, sensível, determinada, generosa, perfeccionista, organizada, disciplinada, carinhosa, discreta, paciente, silenciosa. Assim é a minha mãe.
(...) Sobrevive na minha memória. Sobrevive em mim."

Hoje, neste dia simbólico que nos homenageia a todas, presto homenagem a esta mulher, que, por acaso, ou talvez não, foi e é a minha mãe.
A minha mãe foi a primeira mulher, na minha história familiar de um e de outro lado, a ser independente economicamente do seu homem, o meu pai. Aliás, o conhecimento deles adveio exactamente deste facto - a minha mãe abandonou a sua terra natal, a Régua, para vir trabalhar para a bela Amarante que ela adoptou plenamente como sua.
Foi um passo de gigante dado no espaço de uma geração. As minhas avós, materna e paterna, "limitaram-se" a ser esposas, mães, donas de casa, tal como era habitual à época, papéis estes muito castradores e que já não satisfaziam estas mulheres que se lhes seguiram, mais ambiciosas, mais senhoras do seu nariz, mais zelosas da sua independência económica... que traz as outras independências por arrasto.
Amo esta luta. E assumo-me, por completo, dela herdeira. Sim, herdeira da minha mãe...
E tenho plena consciência que a luta está bem longe de acabar... e que faz-se todos os dias, sem tréguas, todos os dias das nossas vidas...
E, mamã, a tua filha continua lutadora e revolucionária.


sábado, 6 de março de 2021

O Amolador

O Amolador - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

O Amolador

Não tenho qualquer dúvida em afirmar que é uma das profissões em vias de extinção, haverá até quem a julgue já extinta, mas a verdade é que os amoladores já tiveram os seus tempos áureos em tempos que já lá vão. 

Povoaram a infância de muitos de nós por cidades, vilas e aldeias deste Portugal profundo, como foi o meu caso, nascida e criada em Vila Princesa do Tâmega, aí pelos anos inícios dos anos sessenta. 

Depois os amoladores foram rareando... rareando... rareando, a cada ano mais.

Mas, na minha rua, volta e meia, lá passa ele, é sempre o mesmo, com o seu característico som da gaita de beiços, de tubos... sei lá eu como se chama... e que me faz saltar, literalmente, da cadeira e correr para a varanda para o fotografar e filmar, desta vez em filme muito rápido. 

Já me deu cabo de uma boa meia dúzia de facas mas lá que é um  amolador encantado, lá isso é! Mesmo se de máscara pendurada nos queixos.

quinta-feira, 4 de março de 2021

"Why Opening Windows Is a Key to Reopening Schools"

 


"Why Opening Windows Is a Key to Reopening Schools"

Aconselho vivamente a observação e a leitura atenta sobre a importância da ventilação dentro das salas de aula. Não é o primeiro estudo que partilho neste sentido mas parece que há, dentro das escolas, quem ainda não tenha compreendido nada de nada.

O artigo é do The New York Times mas saiu em revista científica séria. 

quarta-feira, 3 de março de 2021

E Já que Estamos em Maré de Webinares... Quinzena da Proteção Civil «Protecção Civil – Uma Responsabilidade de Todos» (DGE).


E Já que Estamos em Maré de Webinares... Quinzena da Proteção Civil «Protecção Civil – Uma Responsabilidade de Todos» (DGE)

"A Direcção-Geral da Educação (DGE) vai levar a efeito iniciativa congénere, no próximo dia 9 de Março, entre as 10h30 e as 12h00, subordinada ao tema «Protecção Civil – Uma Responsabilidade de Todos», integrada na Quinzena da Proteção Civil – 1 A 15 de março de 2021 | cidadania (mec.pt),  «Protecção Civil – Uma Responsabilidade de Todos para Todos», na qual está programada a participação do SMPC do Marco de Canaveses para apresentação pública do projecto «Cidadania: Educação para os Riscos e Autoprotecção», em curso neste concelho. 

De acordo com solicitação da DGE antecipadamente agradecemos a divulgação, no sentido de possibilitar a inscrição dos interessados no evento."

(...)

"No dia 9 de março, entre as 10:30h e as 12:00h, será realizado em modo remoto o Webinar “Proteção Civil – Uma responsabilidade de todos”, destinado à comunidade educativa, respetivamente, docentes, alunos, técnicos, encarregados de educação e outros intervenientes, com a participação de elementos do Serviço Municipal de Proteção Civil da Câmara do Marco de Canaveses; Escola Secundária do Marco de Canaveses do Agrupamento de Escolas N.1 do Marco e o Centro Escolar de Vila Boa do Bispo do Agrupamento de Escolas de Alpendorada.  

Para assistir ao webinar é necessário inscrever-se, até ao dia 8 de março, em: https://area.dge.mec.pt/wprotecaocivil/"

domingo, 28 de fevereiro de 2021

4 Milhões de "Leitores"


4 Milhões de "Leitores" 

Agradeço a todos os meus leitores que de quando em vez ou frequentemente passam por aqui e têm a paciência de lerem o que eu escrevo. E agradeço com o que me acompanha desde sempre - o meu sorriso.

Sem freios e sem censuras, tudo o que por aqui é escrito é escrito por mim, salvo as excepções devidamente assinaladas, e tudo é editado por mim, salvo uma ou outra raríssima excepção em que, por razões de saúde, tive de pedir a ajuda do meu cara-metade.

Na verdade, na verdade, este contador é somente o segundo. O primeiro, o dos tempos áureos de luta ao rubro contra aquela que eu não nomeio neste blogue, perdi-o para sempre, irrecuperável, engolindo-me uns quantos milhões de visualizações...

Grata a todas e a todos! Deixo-vos com um excepcional duo, formado por dois maravilhosos irmãos, chamado unicamente Billie Eilish... o nome dela.

Parabéns, Irmão!

Álvaro de Queiroz
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Parabéns, Irmão! 

Hoje, em dia de aniversário dele, retomo um texto antigo que já lhe dediquei em anterior aniversário.
Mas inovo na ilustração e escolho o nosso bisavô paterno, em miúdo, Álvaro de Queiroz, nascido a 17 de Junho de 1880. Igualzinhio ao meu irmão na sua idade e, que raio, a fazer-me lembrar o Chico/Xico.
A vida renova-se.

Muito nos une. Muito nos separa. É ligeiramente mais velho do que eu... mas eu garanto-vos que me esforço todos os dias para seguir na sua peugada, seguindo-lhe os passos fortes e determinados de pessoa que pensa pela sua cabeça... mesmo se às vezes vou a pouca/muita distância. É o meu único irmão e hoje está de parabéns. 
 Tchim! Tchim! 
Honras à Vida! 
No que depender de nós, que seja excelentemente vivida enquanto por cá andarmos... sim?

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

ACD com Acreditação e Certificação - Webinar «Protecção civil e Educação para uma Cultura de Segurança na Comunidade – O Papel da Formação Contínua de Docentes e Não Docentes»

 


ACD com Acreditação e Certificação - Webinar «Protecção civil e Educação para uma Cultura de Segurança na Comunidade – O Papel da Formação contínua de Docentes e Não Docentes»

Aqui vos deixo o link para inscrição e divulgação do webinar «Protecção civil e Educação para uma Cultura de Segurança na Comunidade – O Papel da Formação contínua de Docentes e Não Docentes», organizado pelo SMPC do Marco de Canaveses e o CFAE MarcoCinfães:  

https://www.cfaemarco-cinfaes.net/seminario-protecao-civil-e-educacao-para-uma-cultura-de-seguranca-na-comunidade-o-papel-da-formacao-continua-de-docentes-e-nao-docentes/

Muita atenção - as inscrições terminam hoje (26/02) e o evento é uma ACD com acreditação e certificação e aberto a todos os docentes deste país.

A inscrição resulta do preenchimento de um simples formulário. Tenham atenção que aparecem uma série de escolas da zona de Resende, Cinfães, Marco... mas há sempre a opção "Outros", no fim, para colocarem a escola a que pertencem... sei lá... até do Reino dos Algarves, caso o tema vos interesse.

Confesso-vos que para mim é deveras interessante.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Imbróglios da Semestralidade - A Palavra a António Duarte


Imbróglios da Semestralidade - A Palavra a António Duarte

…há por aí “escolas” a exigirem que os senhores professores que leccionam disciplinas semestrais divulguem, agora, junto dos encarregados de educação, por escrito, propostas de níveis das disciplinas que agora terminam, não ratificadas pelos respectivos conselhos de turma para posteriormente, lá para Junho previsivelmente, divulgarem as notas finais já ratificadas… e que podem muito bem não ser coincidentes?!!!

Digam-me que não, sim?

Digam-me que isto não está a acontecer…

Anabela Magalhães alerta para uma situação delicada que a aplicação à letra dos normativos sobre avaliação, conjugada com uma organização curricular feita cada vez mais ao sabor das “autonomias de escola” – ou do arbítrio de quem localmente as vai reinventado – está a criar: a divulgação, aos encarregados de educação, de propostas de avaliação não ratificadas pelo conselho de turma.  As regras de avaliação em vigor para as disciplinas semestrais sempre previram esta situação: os alunos que concluem a disciplina a meio do ano são avaliados em conselhos de turma reunidos para o efeito; contudo, as notas ficam “suspensas”, sendo apenas atribuídas no terceiro período, quando é feita a avaliação final nas restantes disciplinas. E nada impede o conselho de turma de alterar a nota anteriormente atribuída se tiver motivos para isso.  O problema é que a Portaria n.º 223-A/2018, depois de confirmar os procedimentos já referidos, determina também o seguinte, no seu artigo 22.º:  6 – Na organização de funcionamento de disciplinas diversa da anual não pode resultar uma diminuição do reporte aos alunos e encarregados de educação sobre a avaliação das aprendizagens, devendo ser garantida, pelo menos, uma vez durante o período adotado e, no final do mesmo, uma apreciação sobre a evolução das aprendizagens, incluindo as áreas a melhorar ou a consolidar, sempre que aplicável, a incluir na ficha de registo de avaliação.  A interpretação, em algumas escolas, é que a avaliação quantitativa feita no final do semestre deve ser dada a conhecer ao encarregado de educação. Uma leitura que me parece redutora e abusiva: o que a lei sugere é uma apreciação qualitativa sobre o desempenho do aluno, não a atribuição de um nível ou classificação.  Claro que, na prática, é mais fácil dizer aos pais a nota que os filhos tiveram e que é o que verdadeiramente lhes interessa, do que elaborar sínteses descritivas das aprendizagens dos alunos. E a questão tenderá a colocar-se com maior frequência à medida que as escolas, encorajadas pelo ME, forem adoptando a semestralidade num número crescente de disciplinas.  O imbróglio, a juntar a muitos que a burocracia ministerial vai inventando, como se as escolas não tivessem já suficientes problemas sérios a resolver, provavelmente só tem uma solução lógica: se o objectivo é insistir na semestralidade, então generalize-se a todas as escolas o regime de avaliação também semestral, que neste momento existe apenas naquelas em que vigoram os chamados Planos de Inovação.  Ponham a bota a rimar com a perdigota…

O problema é que a Portaria n.º 223-A/2018, depois de confirmar os procedimentos já referidos, determina também o seguinte, no seu artigo 22.º:  

6 – Na organização de funcionamento de disciplinas diversa da anual não pode resultar uma diminuição do reporte aos alunos e encarregados de educação sobre a avaliação das aprendizagens, devendo ser garantida, pelo menos, uma vez durante o período adotado e, no final do mesmo, uma apreciação sobre a evolução das aprendizagens, incluindo as áreas a melhorar ou a consolidar, sempre que aplicável, a incluir na ficha de registo de avaliação.  

A interpretação, em algumas escolas, é que a avaliação quantitativa feita no final do semestre deve ser dada a conhecer ao encarregado de educação. Uma leitura que me parece redutora e abusiva: o que a lei sugere é uma apreciação qualitativa sobre o desempenho do aluno, não a atribuição de um nível ou classificação.  

Claro que, na prática, é mais fácil dizer aos pais a nota que os filhos tiveram e que é o que verdadeiramente lhes interessa, do que elaborar sínteses descritivas das aprendizagens dos alunos. E a questão tenderá a colocar-se com maior frequência à medida que as escolas, encorajadas pelo ME, forem adoptando a semestralidade num número crescente de disciplinas.  

O imbróglio, a juntar a muitos que a burocracia ministerial vai inventando, como se as escolas não tivessem já suficientes problemas sérios a resolver, provavelmente só tem uma solução lógica: se o objectivo é insistir na semestralidade, então generalize-se a todas as escolas o regime de avaliação também semestral, que neste momento existe apenas naquelas em que vigoram os chamados Planos de Inovação.  

Ponham a bota a rimar com a perdigota…

António Duarte

Nota Minha - A semestralidade de ano e de disciplinas não é inovação deste ano lectivo. Inovação mesmo mesmo é a interpretação criativa que alguns fizeram de uma portaria que até nem tem que enganar.



quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

A Carta Aberta "Prioridade à Escola" e Dois Pecados Originais


A Carta Aberta "Prioridade à Escola" e Dois Pecados Originais

Li tudo atentamente e até concordo com muito do que lá está escrito e foi subscrito por tanta individualidade importante neste/deste país.

Mas não ficaria bem comigo própria ao não alertar para dois pecados originais presentes nos pressupostos elencados no documento com os números 2 e 3. 

Vamos ao ponto dois e ao primeiro pecado capital que reza assim:

"Nas escolas são aplicados rígidos protocolos sanitários, que garantem o uso correto dos dispositivos de segurança individuais durante grande parte do dia e que evitam a formação de agrupamentos nesses espaços (ao contrário do que acontecia nas famílias, por exemplo). A aprendizagem dos gestos de proteção na escola promove a aplicação de medidas preventivas na comunidade e é bem conhecido o papel relevante das crianças nesse processo de disseminação às famílias de atitudes promotoras de saúde."

Não, senhores subscritores, a maioria das escolas não consegue aplicar rígidos protocolos sanitários a começar pela impossibilidade de fazer cumprir o tão propagandeado e determinante distanciamento social de, vá lá, 2 metros, no mínimo.

Como cumprir o que é básico, segundo a DGS, se nem as turmas diminuiram de tamanho nem as salas de aula cresceram?!

E vamos ao ponto três e só à primeira afirmação associada ao segundo pecado capital:

"Durante o primeiro período, as medidas sanitárias nas escolas impediriam numerosos casos e clusters (só houve 800 turmas que tiveram que fechar em todo o país neste período)." (...)

Não, senhores subscritores, o que foi feito na maioria das escolas deste país durante o primeiro período  foi: 

  • não testar
  • não isolar contactos, mas  nem os colados aos casos declaradamente positivos
  • enfim, foi deixar o SARS-CoV em roda livre na comunidade, passeando-se pela calada do dia e da noite porque o que não se detecta não existe, certo?
Assim e em síntese, como estamos perto da Páscoa podem cumprir a penitência sugerida no gif. Em alternativa podem fustigar-se com um bom molho de urtigas.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Debate - "Quando as Escolas Fecharam" - Hoje pelas 21 horas


Debate - "Quando as Escolas Fecharam" - Hoje pelas 21 horas

Sei que o debate correu lindamente e que vou gostar de escutar qualquer um dos três. Sei também que muito gostaria de me ter juntado a este maravilhoso painel, todos à distância claro está, não fora ter-me dado mesmo um brutal ataque de nervos... 

Acompanhe clicando aqui.

"Quais são os prós e os contras do fecho das escolas durante o confinamento? E que respostas e desafios enfrentam os professores no ensino a distância? Um debate com Paulo Guinote, autor do livro «Quando as Escolas Fecharam» e os professores José Morgado e Paulo Prudêncio. A moderação é da jornalista Catarina Carvalho."

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Aviso à Navegação - Portaria n.º 223-A/2018


Aviso à Navegação - Portaria n.º 223-A/2018 

Sim, eu sei, é chato ler portarias. 

Mas, já agora, há por aí "escolas" a exigirem que os senhores professores que leccionam disciplinas semestrais divulguem, agora, junto dos encarregados de educação, por escrito, propostas de níveis das disciplinas que agora terminam, não ratificadas pelos respectivos conselhos de turma para posteriormente, lá para Junho previsivelmente, divulgarem as notas finais já ratificadas... e que podem muito bem não ser coincidentes?!!!

Digam-me que não, sim?

Digam-me que isto não está a acontecer...

Artigo 22.º  (Os sublinhados são meus.)

Avaliação sumativa  

1 - A avaliação sumativa consubstancia um juízo global sobre as aprendizagens desenvolvidas pelos alunos.  

2 - A avaliação sumativa traduz a necessidade de, no final de cada período letivo, informar alunos e encarregados de educação sobre o estado de desenvolvimento das aprendizagens.  

3 - Esta modalidade de avaliação traduz ainda a tomada de decisão sobre o percurso escolar do aluno.  

4 - A coordenação do processo de tomada de decisão relativa à avaliação sumativa, garantindo a sua natureza globalizante e o respeito pelos critérios de avaliação referidos no artigo 18.º, compete:  

a) No 1.º ciclo, ao professor titular de turma;  

b) Nos 2.º e 3.º ciclos, ao diretor de turma.  

5 - A avaliação sumativa de disciplinas com organização de funcionamento diversa da anual processa-se do seguinte modo:  

a) Para a atribuição das classificações, o conselho de turma reúne no final do período de organização adotado;  

b) A classificação atribuída no final do período adotado fica registada em ata e está sujeita a aprovação do conselho de turma de avaliação no final do ano letivo.  

6 - Na organização de funcionamento de disciplinas diversa da anual não pode resultar uma diminuição do reporte aos alunos e encarregados de educação sobre a avaliação das aprendizagens, devendo ser garantida, pelo menos, uma vez durante o período adotado e, no final do mesmo, uma apreciação sobre a evolução das aprendizagens, incluindo as áreas a melhorar ou a consolidar, sempre que aplicável, a incluir na ficha de registo de avaliação.

A Luta Continua - Dá Um Apagão ao Brandão


A Luta Continua - Dá Um Apagão ao Brandão

A luta continua. Durante esta semana o apagão será de 30 minutos por dia que podem ser efectivados em tempo contínuo ou divididos entre 15 minutos de manhã e mais 15 à tarde.
O governo tem de respeitar os professores.

sábado, 20 de fevereiro de 2021

Franz Ferdinand e Tears for Fears- Metáforas


Franz Ferdinand e Tears for Fears- Metáforas


Overdose. Voltar a dançar.




Vacinas - Como Disse?!


Vacinas - Como Disse?!

E os "casos" com as vacinas sucedem-se. 

E eu só vos queria dizer que o meu pai, 84 anos já bem cumpridos, ainda não foi vacinado. 

Nem com restos, nem com sobras.

Diretor de Escola de Cinfães vacinado contra a Covid-19 sem se conhecer critérios para o efeito

E o Filinto, pá?!

A Palavra Luís SottoMaior Braga

 


A Palavra  Luís SottoMaior Braga 

Permita-me que lhe dê um conselho, leitor meu! 

Ponha o som no máximo para assegurar que não perde uma palavra dita pelo Luís Braga. 

Acompanhe com o máximo de atenção tudo o que ele diz nesta brevíssima entrevista. A mensagem é clara, límpida, rãpida, inequívoca e transparente,

Escute tudo clicando aqui.

#UmApagãoPelaEducação; #EstamosOffPelaEducação; #DarUmApagãoAoBrandão; #PorUmaEducaçãoSemBrandão; #PorUmaEscolaMelhor; #PorUmaEducaçãoMelhor; #desconfinadosàforça; #porumaeducaçãosembrandão; #porumaescolamelhor; #teletrabalho


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Dia D - APAGÃO PELA EDUCAÇÃO


Dia D - APAGÃO PELA EDUCAÇÃO


É já amanhã. 
No dia 18 de Fevereiro de 2021 pelas 9h15 desligue o seu computador ao Brandão, pela Educação.

"Por nós, pelos alunos e pelo país. 18 de fevereiro, às 9h15, apaga pela educação. E nos dias seguintes, repete o gesto. A quem aderir ao protesto, pedimos que - o sinalize no seu perfil de FB (temos um logo para o perfil dos aderentes), - comente os nossos posts, - nos envie uma mensagem para apagaoaobrandao@gmail.com ou - use as hashtag relacionadas com o apelo.

 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.