sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Está Aberta a Caixa de Pandora


Está Aberta a Caixa de Pandora

Sim, o ME que não acautele coisa alguma... sim, o ME que não continue a enfrentar o touro pelos cornos e que continue a não acautelar o futuro das Escola Pública Portuguesa.
Na verdade, quando o touro atacar desembestado, já o Tiaguinho não estará ao leme do ME... certo?
Por isso, quem vier a seguir, que feche a porta!
Hoje TIC, amanhã, quiçá, Matemática. A porta da ignomínia está já escancarada.

Professores de Informática: “Chegou o momento em que qualquer um pode leccionar qualquer coisa”

Ministério abre caminho à desqualificação dos docentes, alertam professores e pais

Melhoria da Internet nas escolas é prioridade. Só faltam equipamentos e professores

E ainda, mais uma pérola portuguesa - A Escola a Tempo Inteiro.
  
Escola a tempo inteiro “só com mais professores”, avisam os directores

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

À Atenção dos Professores Com Mais de 60 Anos


À Atenção dos Professores Com Mais de 60 Anos

Continuar a ler tudo aqui. E para continuar a acompanhar.

A Educação, do Século XXI, em Retrocesso


A Educação, do Século XXI, em Retrocesso

Estou convicta que uma das principais razões da melhoria contínua dos resultados dos alunos portugueses se deve à formação adequada e específica, e a cada ano melhorada, dos professores que lhes leccionam as diferentes disciplinas.
Recordo tempos de escola, enquanto aluna, logo após o 25 de Abril, com disciplinas entregues, parecia, ao primeiro cão ou gato que passava às portas de uma escola... por exemplo Matemática, frequentemente entregue a engenheiros que não queriam saber das aprendizagens dos seus alunos para nada, e para quem o ensino era um biscate já que exerciam outras profissões liberais na praça, por exemplo professores de Inglês com habilitação suficiente que, na primeira aula, nos pediam desculpas porque costumavam ficar a leccionar Francês, que lá iam dominando... mas, enfim!, o ministério tinha-lhes trocado as voltas, professores que se encontravam a frequentar a licenciatura em História e que nos davam Geografia ou ainda Ginástica, professores que nos davam aulas e que pouco mais velhos eram do que nós e que começaram a leccionar apenas com o antigo 7.º ano do liceu, actual 11.º ano... tal era o desespero e a falta de professores pelo menos licenciados nas respectivas áreas de leccionação.
Muito caminho percorremos desde então e este percurso amalucado e permitido pelo ME foi-se afinando e nos anos 90 do século passado já era raro contactarmos, sei lá, por exemplo com um professor de História e leccionar Geografia.
Hoje, quase a entrar na segunda década do século XXI, com um ministério da educação que se comporta como um trambolho, que parece talhado para nos roubar, vilipendiar, afligir, angustiar, trapacear, complicar, negligenciar, maltratar e eu sei lá mais o quê, e enquanto enche a boca com a Escola do Século XXI, os Professores do século XXI e mais não sei o quê, tudo muito fofinho e giro, hoje, este mesmo ministério vem-me dizer que eu, Professora de História desde sempre, só porque fiz um dia uma formação em TIC posso leccionar esta disciplina.
Sabeis o que vos digo? Ora porra!
E tudo isto porque esta gente que nos tutela é de uma incompetência à prova de bala e não soube/quis acautelar o que estava mais do que previsto e que é a falta de professores.
Para isto eu só encontro uma palavra - RETROCESSO!
E deixo, pela milésima vez neste blogue, um aviso à tutela - Não acautelem coisa alguma, sim?
Nos próximos dez anos não se reformarão mais de 50% dos professores deste país nem nada!

Nota 1 - No reino da Educação vale tudo desde o tempo daquela ministra que eu não nomeio neste blogue. Imaginem isto na Saúde - Um dermatologista fez formação de 25 horas em cardiologia. Isso faz dele um cardiologista?
Nota 2 - Muitas vezes pergunto-me o que é que eu ando a fazer aqui se nem o ME se dá ao respeito...

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Novas do ME - Reforço de Medidas de Gestão do Corpo Docente

Recortes retirados daqui.

Novas do ME - Reforço de Medidas de Gestão do Corpo Docente

Imaginemos que se trata de medidas para o corpo clínico de um hospital... pois faltam otorrinolaringologistas? No problem! Venham os alergologistas que decerto darão um jeito e acabarão por dar conta deste recado.
Do mesmo modo, faltam os cardiologistas? No problem! Venham os especialistas do órgão mais próximo... sei lá, os pneumologistas!!!! que decerto darão um jeito e acabarão por dar conta deste recado.
O que interessa é tapar buracos, buracos aqui, ali e acolá, nas escolas públicas deste país onde continuam a faltar professores.
Já agora, e se não houver especialistas... sei lá, um internista, quiçá até um estudante do curso de medicina... não é tudo a mesma coisa? Não?!

Nota - Este ME não nos dá descanso! Uma pessoa não pode pousar a cabeça numa almofada... rssssssss... e dá-se conta que voltou aos anos 70/80 do século passado...

Respirar de Novo

Respirar - Praia dos Diamantes - Jökulsárlón
Fotografia de Miguel Matias de Magalhães

Respirar de Novo

Respirar de novo, cumprir de novo aquela coisa automática e básica, que deve ser feita pelo nariz e que é composta de dois movimentos antagónicos, está, para mim, de volta!

Anabela Maria... inspira, expira! Sente o ar a passar, livre, pelas narinas livres de tubagens que também são extensores, livres de pontos interiores retirados cuidadosamente e de moncos sem fim que foram literalmente aspirados.
Por isso, Anabela Maria... inspira, expira! Faz de conta que fizeste isto com toda a normalidade nos últimos oito dias... e volta a inspirar... e a expirar, agora que o teu nariz está quase quase novo.
Salut, sim?

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Quem Tem Amigos Tem Tudo

Doces de S. Gonçalo - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Quem Tem Amigos Tem Tudo

Quando tu encostas ao estaleiro, às boxes ou lá o que calha e faltas ao imperdível S. Gonçalo de Amarante, o que te resta?
Que os quilhõezinhos, os quilhões, os colhõezinhos, os colhões, os coisos, os doces fálicos, as ferramentas do santo que apenas é beato, numa palavra, enfim, que os doces de S. Gonçalo subam a íngreme calçada deste nosso centro histórico e venham ter contigo... sim, ao sofá, ao sofá onde por estes dias te recolhes e tudo isto graças às perninhas da melhor parte de mim - a doce, a boa, a amorosa, a gentil, a generosa, a sorridente... Rosa Maria Fonseca.
Grata, Amiga Minha! E sim, a coisa vai... amanhã já tiro a tubagem.

Nota - O dito cujo chegou aqui meio empandeiretado, não simétrico, enfim, um pouco amassado mesmo... mas o que não lhe beliscou o sabor da massa ou do seu recheio.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Fotografe os Seus Amigos Enquanto Vê Televisão


Fotografe os Seus Amigos de Infância Amarantina Enquanto Vê Televisão

Este, que hoje apanhei, em tempo de recolhimento meu no estaleiro cá de casa, acompanha-me os dias desde a mais tenra idade, na verdade a nossa amizade vem desde os tempos do Estado Novo, desde os tempos de partilha dos bancos da escola... que se prolongou pelos bancos do liceu e pelos bancos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde ambos nos licenciamos em História.
Que orgulho, Ilustre Amarantino! O Presidente da República, hoje, teve a sorte de te poder cumprimentar!

Ites e Septoplastia


Euzinha - Escola Básica de Amarante
Fotografia de Paulo Dias

Ites e Septoplastia

A cada Inverno Amarantino a passar pior, com crises atrás de crises de ites tresloucadas e de repetição, a não cederem completamente a antibióticos superpotentes, lá fui eu para uma inevitabilidade já há muito aconselhada pelo Otorrinolaringologista, chamada septoplastia, ou correcção do septo nasal... mais a limpeza dos meus furados interiores nos arredores do dito cujo.
Até parece que fui intervencionada a ambas as mãos, tal o abandono a que deixei este blogue durante dias a fio... mas não fui. Apenas fui acometida da mais violenta enxaqueca que já experimentei na minha vida... e já tive uma a levar-me ao hospital... no pós-operatório, pela primeira vez com aura, acompanhada do cardápio total das respectivas náuseas, vómitos, intolerância total à luz e aos ruídos mais um nariz e arredores longe de estar em perfeito estado de conservação e restauro.
E pronto. Longe de estar restabelecida, de tubos ainda no interior do nariz... já teclo!
E siga! Mas... as paredes ainda vão ter de esperar... e os alunos também...

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

Amarante Iluminada

Amarante Iluminada - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de João Filipe Sardoeira

Amarante Iluminada

A iluminação usada este ano, na época festiva que está quase a findar, foi/é feliz. Se por aqui nos insurgimos quando a iluminação em época de Natal mais parecia coisa de Carnaval de tão apimbalhada que estava, convém, este ano, mais uma vez, registar que a dita iluminação está equilibrada e sóbria e não interfere com este magnífico centro urbano que deve ser preservado para os vindouros tal e qual nos foi legado, assim mesmo, com estes contrafortes altaneiros... que a cidade sempre se aninhou aos pés do Tâmega mas sem nunca rastejar.

Grata pela maravilhosa fotografia, João Filipe Sardoeira!

domingo, 5 de janeiro de 2020

A Novela do Amianto em Portugal


A Novela do Amianto em Portugal

Faz de conta que a Assembleia da República não é uma vergonha. Faz de conta que o governo central não é outra vergonha. Faz de conta que os políticos portugueses não são também uma vergonha.
Vai daí, a Assembleia da República recomenda em 2017, volta a recomendar o mesmo em 2019... e depois?
E depois... nada! So what?! Sim, e daí?!

Recortes retirados daqui.

Amianto - Decreto-Lei n.º 266/2007 de 24 de Julho

Amianto até no Pavilhão Central!

Amianto - Decreto-Lei n.º 266/2007 de 24 de Julho 

"A Directiva n.º 2003/18/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Março, alterou a Directiva n.º 83/477/CEE, do Conselho, de 19 de Setembro, relativa à protecção sanitária dos trabalhadores contra os riscos de exposição ao amianto durante o trabalho.

O amianto é uma fibra mineral cujas propriedades de isolamento térmico, incombustibilidade, resistência e facilidade em ser tecida bem como o seu baixo custo justificaram a sua utilização nos diversos sectores de actividade, nomeadamente na construção e protecção dos edifícios, em sistemas de aquecimento, na protecção dos navios contra o fogo ou o calor, em placas, telhas e ladrilhos, no reforço do revestimento de estradas e materiais plásticos, em juntas, calços de travões e vestuário de protecção contra o calor.
O amianto constitui um importante factor de mortalidade relacionada com o trabalho e um dos principais desafios para a saúde pública ao nível mundial, cujos efeitos surgem na maioria dos casos vários anos depois das situações de exposição.
A partir de 1960 foram divulgados estudos que estabeleceram a relação causal entre a exposição ao amianto e o cancro do pulmão, demonstrando que a sua frequência é 10 vezes superior em trabalhadores expostos ao amianto durante 20 anos ou mais do que na população em geral. Atribuíram-se características cancerígenas a apenas algumas variedades de amianto, designadamente a crocidolite e a amosite, responsáveis pelo aparecimento de mesotelioma da pleura, deixando de fora o crisótilo ou amianto branco. Admitia-se que os efeitos do crisótilo eram rapidamente eliminados pelo organismo, não provocando doenças com períodos de latência elevados como o cancro do pulmão ou mesotelioma, o que justificou durante alguns anos o uso controlado do amianto.
A Directiva n.º 83/477/CEE, sobre a protecção sanitária dos trabalhadores contra os riscos ligados à exposição ao amianto no trabalho, e a Convenção n.º 162 da Organização Internacional do Trabalho, sobre a segurança na utilização do amianto, adoptadas nessa época, contribuíram para reduzir a exposição de trabalhadores ao amianto.
Investigações posteriores concluíram que todas as fibras de amianto são cancerígenas, qualquer que seja o seu tipo ou origem geológica. O Programa sobre Segurança das Substâncias Químicas, da Organização Mundial de Saúde, concluiu que a exposição ao crisótilo envolve riscos acrescidos de asbestose, de cancro do pulmão e de mesotelioma, bem como que não se conhecem valores limite de exposição abaixo dos quais não haja riscos cancerígenos.
A Directiva n.º 2003/18/CE tem em consideração a proibição da colocação no mercado e da utilização de produtos de amianto ou de produtos que contenham amianto adicionado intencionalmente. As principais alterações respeitam ao âmbito de aplicação, que passa a abranger os transportes marítimo e aéreo, à definição mais precisa do conceito de amianto com referência à classificação mineralógica e ao registo do Chemical Abstract Service (CAS), à limitação e proibição das actividades que implicam exposição ao amianto, designadamente a extracção do mesmo, o fabrico e a transformação de produtos de amianto ou que contenham amianto deliberadamente acrescentado, ao reforço das medidas de prevenção e protecção, à redução do valor limite de exposição, à metodologia da recolha de amostras e da contagem das fibras para a medição do teor do amianto no ar, à formação específica dos trabalhadores expostos ao amianto e ao reconhecimento de competências das empresas que intervenham nos trabalhos de remoção e demolição.
A avaliação dos riscos, a adopção de medidas destinadas a prevenir ou controlar os riscos, a informação, formação e consulta dos trabalhadores, o acompanhamento regular dos riscos e das medidas de controlo e a vigilância adequada da saúde, com obrigatoriedade de o exame de admissão ser sempre realizado antes do início da exposição, são muito importantes na prevenção dos riscos de exposição ao amianto. Todos estes factores são regulados no presente decreto-lei.
A transposição da Directiva n.º 2003/18/CE implica a alteração substancial dos diplomas que regulam a exposição ao amianto durante o trabalho, o que justifica a revogação dos mesmos e a sua substituição pelo presente decreto-lei.
O projecto correspondente ao presente decreto-lei foi publicado, para apreciação pública, na separata do Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 7, de 5 de Setembro de 2006, com alterações. Os pareceres emitidos por organizações representativas de trabalhadores e de empregadores, bem como por especialistas, foram devidamente ponderados, tendo sido alteradas algumas disposições do projecto.  Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas.
Foi ainda ouvida a Associação Nacional de Municípios Portugueses.

Assim:

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Artigo 1.º  Objecto e âmbito

1 - O presente decreto-lei transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2003/18/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Março, que altera a Directiva n.º 83/477/CEE, do Conselho, de 19 de Setembro, relativa à protecção sanitária dos trabalhadores contra os riscos de exposição ao amianto durante o trabalho.

2 - O presente decreto-lei é aplicável em todas as actividades em que os trabalhadores estão ou podem estar expostos a poeiras do amianto ou de materiais que contenham amianto, nomeadamente:  a) Demolição de construções em que existe amianto ou materiais que contenham amianto;
b) Desmontagem de máquinas ou ferramentas em que existe amianto ou materiais que contenham amianto;
c) Remoção do amianto ou de materiais que contenham amianto de instalações, estruturas, edifícios ou equipamentos, bem como aeronaves, material circulante ferroviário, navios ou veículos;
d) Manutenção e reparação de materiais que contenham amianto existentes em instalações, estruturas, edifícios ou equipamentos, bem como em aeronaves, carruagens de comboios, navios ou veículos;
e) Transporte, tratamento e eliminação de resíduos que contenham amianto;
f) Aterros autorizados para resíduos de amianto.

3 - O presente decreto-lei é aplicável nos sectores privado, cooperativo e social, na administração pública central, regional e local, institutos públicos e demais pessoas colectivas de direito público, bem como a trabalhadores independentes que desenvolvam actividades referidas no número anterior."
(...)

Para continuar a ler, clique aqui.

sábado, 4 de janeiro de 2020

Amianto - Escola Básica de Amarante

Retirada do Amianto - Escola Básica de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Amianto - Escola Básica de Amarante

Quanto ao pavilhão 1 da Escola Básica de Amarante, temos o problema das placas de fibrocimento resolvido - estão todas retiradas e devidamente acondicionadas.
Agora só falta retirar as ditas placas do miolo do pavilhão central, dos pavilhões 2, 3, 4 e 5, do pavilhão de desporto e ainda do armazém da entrada.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

Ainda as Obras de Remoção do Amianto na Escola Básica de Amarante

Obras - Retirada do Amianto na Escola Básica de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Ainda as Obras de Remoção do Amianto na Escola Básica de Amarante

Estaremos atentos ao decorrer das obras que parecem estar a ser realizadas cumprindo as normas de segurança previstas para a retirada de placas de fibrocimento que contêm amianto.
Mas hoje, ao fim do dia, as obras estavam neste pé com as placas por remover na sua totalidade  do Pavilhão 1 e as já removidas devidamente acondicionadas e fechadas dentro de plástico negro.

As perguntas que se impõem, neste momento, são:

1 - Estarão as obras terminadas na próxima segunda-feira?
2 - Estarão asseguradas análises à qualidade do ar nas imediações da escola que atestem condições de segurança para miúdos e graúdos... e que deverão ser publicitadas/afixadas para sossego de funcionários, docentes e alunos? - que por aquele espaço se movimentarão, previsivelmente, a partir do próximo dia 6 de Janeiro.

Nota - Amanhã acompanharei os trabalhos... ou não, caso eles sejam inexistentes...


Amianto - Escola Básica de Amarante

Obras - Retirada do Amianto - Escola Básica de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Amianto - Escola Básica de Amarante

Tal como previsto, as obras foram iniciadas pelo pavilhão 1 e, neste momento em que escrevo, os trabalhadores, devidamente protegidos, retiram as enormescas placas de fibrocimento que cobrem por inteiro o referido pavilhão. Pelo meio substituem também as caixilharias velhinhas e os vidros simples que ainda mantemos por toda a escola e que não se compadecem com as exigências térmicas e de segurança dos dias que correm.
A autarquia, já que o governo central só parece ter dinheiro, nosso, para o que lhe interessa - por exemplo para continuar a acudir a uma banca mais do que falida - substituiu-se ao mesmo, e bem, no sentido de retirar esta vergonha, sim, senhor presidente da Assembleia da República, esta Vergonha! que nos cobre a cabeça todos os dias das nossas vidas de trabalhadores e de estudantes.
Agora, coloco apenas duas questões:

1 - Já parou de chover faz tempo... por que razão encostaram a retirada das placas de fibrocimento ao fim-de-semana que antecede o retorno de toda uma comunidade - o que acontecerá já na próxima segunda-feira - às aulas?
2 - Mantêm um programa que exclui a retirada das placas de fibrocimento que ainda existem no pavilhão central - e que só a reportagem da TVI denunciou -, nos anexos do armazém da entrada e no pavilhão de desporto... ou vão, finalmente!, transformar a Escola Básica de Amarante numa Escola Livre de Amianto?

Aguardo as cenas dos próximos capítulos.

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Votos de Excelente 2020


Votos de Excelente 2020

Que continuemos a trepar paredes... sim?

Rabanadas

Rabanadas - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Rabanadas

Corte o cacete do dia anterior às fatias grossas e ponha-as de molho em leite, adoçado com um pouco de açúcar e acabado de ferver (também pode ser chá), até ficarem bem macias.
Passe-as por ovo de um lado e do outro, cuidadosamente, com o auxílio de uma espátula, e leve-as a fritar, de um lado e do outro, em óleo bem quente.
Retire-as, coloque-as em papel absorvente para eliminar algumas calorias... eheheh... e polvilhe-as, ainda quentes, com uma mistura de açúcar e canela em pó.

Et bon appetit!

Amigas e Amizade

Amigas e Amizade - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de várias autorias... eheheh

Amigas e Amizade

De sempre. Para sempre. Na riqueza e na pobreza. Na saúde e na doença. Até que a morte nos separe.

É claro que faltam aqui umas quantas... nada de ciúmes... sim?

sábado, 28 de dezembro de 2019

Festa Amarantina - A Internacionalização

Recorte retirado daqui

Festa Amarantina - A Internacionalização

Caríssimos leitores, marquem desde já nas vossas agendas a data da próxima Festa Amarantina e façam como estes brasileiros que vão marcar as suas passagens para Portugal a tempo de aterrarem em plena folia no Largo de S. Pedro! E venham à mais original festa organizada por moradores desta rua que é nossa e a que se juntam, na organização desorganizada, os vizinhos próximos e os vizinhos dos vizinhos até mais afastados. Esta é a única Festa Amarantina que se faz sem verbas e que dá muitas cartas aqui pelo burgo. Há até quem diga que é a melhor festa aqui da terrinha...

domingo, 22 de dezembro de 2019

Feliz Natal

Natal - Presépio e Iluminações - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Feliz Natal 

E agora é tempo de recolhimento familiar. Votos de Feliz Natal na companhia de quem mais amam é o que desejo para familiares, amigos, alunos, conhecidos, desconhecidos... enfim, para todos quantos por aqui passarem. 

Um pensamento muito especial para todos aqueles que, já não estando por aqui fisicamente, permanecem em nós até ao fim dos nossos dias. 

sábado, 21 de dezembro de 2019

Prémios de Mérito - 2018/2019 - Agrupamento de Escolas de Amarante

Prémios de Mérito - 2018/2019 - Agrupamento de Escolas de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Prémios de Mérito - 2018/2019 - Agrupamento de Escolas de Amarante

Ontem, pela primeira vez desde que há entrega de prémios de mérito na Escola Pública, nomeadamente na minha, falhei os beijos e os abraços, as emoções à flor da pele, as palavras sussurradas aos ouvidos, as palavras assumidas em alta voz, os desejos mais uma vez orgulhosamente expressados... com aqueles que foram Meus Alunos um dia, e que o serão para sempre, e que, por excelentes motivos, se destacaram durante um percurso composto por três anos que os apanha/ou a vivenciarem, felizmente pela primeira e última vez, uma adolescência quantas vezes difícil de gerir.
O desafio é grande para nós, não é mais pequeno para eles, e é feito de todo um percurso em que se somam palavras ternas, ralhetes, matérias muitas, desafios lançados "para o ar", enigmas e interrogações disparadas volta sim, volta sim, tristezas raras ou mesmo inexistentes, sorrisos muitos, muitas gargalhadas também... que a "Nossa Sala de Aulas" é, no geral, uma Sala de Aulas Feliz.
Ontem, pela primeira vez desde que há entrega de prémios de mérito na Escola Pública, nomeadamente na minha, falhei fisicamente este importante momento da vida deles mas isto não quer dizer que não tenha estado com eles... mesmo se de longe. Ontem estive lá, no cimo de uma duna gigantesca, acompanhando-lhes de longe a subida, que está a ser linda e segura, a uma ainda mais incrível, alta e espampanante duna chamada "secundário".

E voem, Alunos, seguros da vossa força, seguros da vossa voz, voem... com uma certeza:
- Nós, vossos orgulhosos Professores, estaremos sempre por aqui, se de nós precisarem um dia... enquanto por aqui permanecermos, claro!

Por último, recupero um post antigo, mas que se mantém absolutamente actual, escrito neste mesmo blogue, a propósito de outras/os como vós

A noite de ontem foi de entrega do Prémio de Mérito aos Melhores Alunos do Agrupamento de Escolas de Amarante.
O tema é polémico. Mesmo entre nós, Professores, o tema está longe de ser consensual dividindo-se as opiniões entre aqueles que defendem a sua extinção, achando que quem se distingue já se distingue pelo nível alcançado, e aqueles que defendem a sua manutenção como reconhecimento/estímulo à prossecução de um esforço que tem de ser continuado.
Eu, confesso, partilho da segunda visão, esclarecendo que desde que a atribuição do Prémio de Mérito não tenha apenas em conta os resultados escolares puros e duros, isto para precaver e salvaguardar possíveis atropelos e baixarias, isto para ser meiga no português aplicado!, relativamente a outros que poderiam ser encarados apenas como rivais a derreter ou a abater.
A luta pelo alcance do melhor resultado possível deve ser apenas travada no interior de nós mesmos, é uma luta que deve ser nossa e que não nos deve afastar do respeito pelo outro e que não nos deve afastar da solidariedade, tão ausente, tantas e tantas vezes!, das nossas sociedades actuais.
Assim, desde que a atribuição de um Prémio de Excelência ou de Mérito tenha em conta, para além do nível cognitivo alcançado, as atitudes demonstradas ao longo de todo um ciclo de escolaridade, eu acho bem que se distingam estes alunos que não nos fazem perder tempo em contexto de sala de aula, que mantêm uma postura exemplar, que encaram o seu papel a sério, que querem aprender, que querem saber mais e mais, que trabalham forte e feio, muitas vezes indo além do solicitado pelos seus professores, que frequentam a Escola dando o seu melhor, que são cumpridores, que são disciplinados, criativos, solidários e que, enfim, procuram a excelência. E afirmo mais - felizmente, ainda os há na Escola Pública. Felizmente ainda temos excelentes alunos que continuam a escolher permanecer na Escola Pública.
Que a Escola Pública se una para os aplaudir uma vez, ao fim de todo um ciclo de trabalho esforçado e continuado, não me parece nada descabido.
Eu aplaudo-os. Tenho-os, por vezes, dentro da minha sala de aula. Nesta noite de entrega de Prémios de Mérito, aplaudo-os com toda a força e vigor. E agradeço-lhes por existirem. Porque a minha vida seria infinitamente mais pobre sem eles. Ok, sem todos os outros também... mas hoje falamos destes, por uma noite falamos destes... e isto não me parece demasiado.


domingo, 15 de dezembro de 2019

A Palavra à Não Professora Suzana Garcia


A Palavra à Não Professora Suzana Garcia

Também sobre o intolerável ME face à violência nas escolas, nomeadamente sobre professores e funcionários.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Violência nas Escolas - Sexta às 9


Violência nas Escolas - Sexta às 9

A não perder.

E vou-me deitar a adivinhar o conteúdo explanado pelo senhor secretário de estado João Costa:
Sim, a realidade existe... mas é residual, mas, mesmo assim, a tutela está preocupada, a tutela está a acompanhar e a monitorizar o problema, também presta todo o apoio necessário aos agredidos, quer sejam alunos, funcionários ou professores, prestam apoio psicológico e jurídico, o senhor secretário de estado até lhes telefona pessoalmente... conclusão minha... agora... nós é que somos uns ingratos, uns mal agradecidos, uns insensíveis porque não damos conta de nada de nada!

Vergonha - Assembleia da República

Recorte retirado daqui.

Vergonha - Assembleia da República

Depois queixem-se do populismo!

Vergonha é este ps a bater palmas ao vergonhoso comportamento da figura cimeira da Assembleia da República.
E vergonha é também isto:
Assembleia da República pagou 1,3 milhões de euros em abonos de deslocação 
Valor é relativo ao total de 2018, o que dá uma média de 6156 euros por cada um dos 213 deputados, segundo o JN.
Vergonha é isto!
Deputados "ganham seis mil euros para ir a casa" e não têm que apresentar faturas das viagens? (COM VÍDEO)
Vergonha é isto!
Tribunal de Contas não conseguiu comprovar viagens de deputados no valor de 3,1 milhões

E vergonha é também isto! E sim, a bota não diz com a perdigota!

E isto!

E isto!


Depois... depois queixem-se do populismo!

E sim, a palavra vergonha vai ficar como uma das palavras do ano que está quase a findar.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

E Voltando ao Amianto na Escola Básica de Amarante


E Voltando ao Amianto na Escola Básica de Amarante

Em meados de Abril de 2014, por alturas da interrupção lectiva da Páscoa, todo o corpo docente da Escola Básica de Amarante realizou as reuniões de avaliação do final do 2.º período nas instalações da Escola Básica de S. Gonçalo. O motivo foi importante e, segundo nos informaram à época, deveu-se à retirada da totalidade das placas de fibrocimento das coberturas das instalações do Pavilhão Central da Escola Básica de Amarante. E, desde aí, todos nós pensávamos que o dito pavilhão era o único livre desta bela porcaria em toda a nossa Escola.
Ora, foi preciso esperar pela reportagem da TVI para, tal como eles afirmam para o caso do Pavilhão de Desporto, descobrir que na nossa escola há pelo menos dois gatos escondidos com o rabo de fora pois temos a acrescentar a esta lista o dito Pavilhão Central.
É verdade, prestei falsas declarações, sem o saber, ao repórter da TVI, mas também é verdade que foram precisas as filmagens de drone para eu comprovar que, afinal!, também no pavilhão central ainda existem as proscritas placas de fibrocimento originais e que contêm, portanto, amianto.

Moral da história - nem sempre podemos acreditar nas informações veiculadas.

Mas... e agora? - pergunto eu... estará este pedaço de cobertura, só visível do ar, para remoção na empreitada de obras que um dia destes se iniciará e que é da responsabilidade da Câmara Municipal de Amarante?


Plataforma "Há Amianto na Escola" já recebeu 90 denúncias. Lisboa, Setúbal e Braga com maior número de queixas

Visitas de Estudo - 9.º A e 9.º D - Museu Amadeo de Souza-Cardoso

    
Visitas de Estudo - Museu Amadeo de Souza-Cardoso
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Visitas de Estudo - 9.º A e 9.º D - Museu Amadeo de Souza-Cardoso

É um ritual que cumpro religiosamente - aluno que passe pela minha sala de aulas, no 9.º ano de escolaridade, só não visitará o "nosso" museu se acontecer qualquer coisa de estapafúrdio... a eles... ou a mim. Costumo é servir-lhes este nosso famoso conterrâneo de sobremesa, depois de falarmos em sala de aula do contexto da época vivida por Amadeo, de todas as vanguardas artísticas e de todos os ismos surgidos nos inícios do século XX, coisa que, este ano, não me foi possível cumprir. Assim sendo, tivemos um Amadeo de aperitivo para o que chegará não tarda nada, e que será abordado numa das próximas aulas de História que serão dedicadas, em exclusivo, à História da Arte propriamente dita.
Com efeito, escrevi eu um dia "a matéria de 9.º ano pede encarecidamente que calcorreemos esta calçada amarantina, para baixo e para cima, porque nada melhor do que ver as vanguardas artísticas do início do século XX no sítio onde elas estão guardadas, percorridas que foram, muitas delas, pelo nosso nome maior da pintura portuguesa, o nosso querido Amadeo. Amadeo percorreu diversos ismos, depois de se ter dedicado à caricatura, e foi futurista, cubista, abstraccionista, fauvista... acima de tudo foi ele próprio e por isso triunfou, tal como ele queria, sem soçobrar!
Sempre que lecciono nono ano, não falho a organização de visitas de estudo ao Museu Amadeo de Souza-Cardoso, visita que integra o Plano Anual de Actividades do Agrupamento de Escolas de Amarante. De facto, o modernismo do início do século XX faz parte integrante da matéria leccionada neste último ano do 3.º ciclo de escolaridade e, ademais, o museu está apenas à distância de uns passos a pé pelo centro histórico de Amarante, tão belo e pitoresco, e está apenas à distância de um levantamento de rabo da cadeira da sala de aula... isto para quem gosta de dar aulas sentado, o que não é, manifestamente, o meu caso. Já aqui referi a estranheza e a tristeza que sinto sempre que tenho turmas de 9.º ano que à pergunta "Quem nunca visitou o Museu Amadeo de Souza-Cardoso?" respondem com muitos deditos no ar pertencentes a gente em formação acelerada, que não sabe se o interior do museu é branco ou é preto e que não faz a mais pequena ideia da riqueza e importância do seu recheio."

Ontem e hoje vim especialmente feliz. Ontem e hoje não houve dedos no ar. Ontem e hoje o Professor Antero de Alda esteve entre nós, recordado pelos alunos que também foram seus um dia e que não esqueceram a visita que fizeram a este espaço no já longínquo sétimo ano de escolaridade...

Ontem foi dia de visita para o meu 9.º D e hoje acompanhei o meu 9.º A. Ontem, os meus alunos foram conduzidos e acompanhados pelo dr. Daniel Ribeiro e hoje pela dr. Teresa Paiva.
Em todas as visitas encontro a mesma simpatia de sempre, o mesmo caloroso acolhimento, o mesmo exemplar profissionalismo.

Por fim, aqui vos deixo um documentário sobre Amadeo. Voltaremos a ele não tarda nada!



 Nota - Post inicialmente escrito para o blogue História em Movimento.
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.