domingo, 23 de fevereiro de 2020

Descanso/Trabalho

Barca - Serra da Aboboreira - Amarante
Fotografias de Anabela Matias d Magalhães

Descanso/Trabalho

Descansar a mioleira cansando o físico é uma das estratégias de renovação de energias que sigo desde que me lembro. Irrequieta e hiperactiva desde sempre, tenho mesmo de gastar as minhas quase inesgotáveis energias... quando a saúde me permite tê-las quase intactas...
Ainda a recuperar de uma cirurgia, mas já a sentir-me com força nos meus notáveis músculos... eheheh... cerebrais... parti para a Barca para um exercício físico/descanso que não tem fim.
Aqui fica a minha receita:
Primeiro passo - observar a Mãe Natureza em silêncio respeitador que o dia está inundado de sol e há que aproveitar tudo até ao tutano.
Segundo passo - percorrer os campos fazendo agachamentos constantes... estás a ouvir, João Carvalho?... apanhando pedras, galhos de castanheiros e carvalhos, apanhando pinhas que é preciso abrir caminho para a minha Preciosa que tem uma cambota que não me aguenta e precisa de carinho.
Terceiro passo - fazer montes com os materiais apanhados.
Quarto passo - Preciosa, aqui vamos nós...


Selfie com Professoras Dentro

Professoras - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães (em parceria com o papá)

Selfie com Professoras Coloridas Dentro

Quando a ESA, a Escola Básica de Amarante e o Colégio de S. Gonçalo se juntam à conta de três professoras coloridas... isso só pode dar uma belíssima de uma selfie!
Aproveitemos pois o solinho... sim?

sábado, 22 de fevereiro de 2020

"Fuck Art, Let's Eat"

"Fuck Art, Let's Eat" - Museu Amadeo de Sousa-Cardoso
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

"Fuck Art, Let's Eat"

A exposição "Fuck Art, Let's Eat" foi inaugurada hoje e permanecerá no Museu Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, até ao próximo dia 26 de Abril. Tendo como mote o cruzamento entre arte e gastronomia, conta com a contribuição de inúmeros nomes sonantes da arte contemporânea, desafiados por Fernando Santos, galerista conceituado que está na origem do que hoje é a "Rua das Galerias do Porto", ou seja, a rua Miguel Bombarda, e do que ela deve a este amarantino que faz o favor de ser meu amigo desde tenra idade.

Apareçam que vale a pena. Que o diga a ministra da Saúde, Marta Temido!

Para ver o vídeo da inauguração, clique aqui. E se quiser ler a Evasões sobre esta exposição, clique aqui.

Amarantinos - Equilíbrio feat Poeta de Rua


Amarantinos - Equilíbrio feat Poeta de Rua

Miúdos todos, vocês arrasaram! E muito obrigada pela beleza que nos proporcionam!

E pensar que ainda ontem, um deles, atirava pedrinhas contra as janelas deste meu escritório... código para dizer - Anabela, está na hora de irmos ao café!!!




sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Sala de História, Carnaval e Máscaras de Teatro Gregas

Sala de História - Máscaras e Reciclagem
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Sala de História, Carnaval e Máscaras de Teatro Gregas

O desafio foi lançado aos meus alunos do 7.º ano, que o abraçaram de alma e coração e que já andam entusiasmados à conta deste trabalho que deverá ser realizado a partir das folhas de papel que se usam para secar as mãos lá na escolinha... e que são tantas!!!!... todos os dias tantas!!!... promovendo assim a reciclagem, diminuindo o lixo que tem como destino o aterro, integrando também, desta forma, um projecto mais vasto no âmbito da flexibilização.
Sim, faremos máscaras de teatro gregas, numa parceria História/Educação Visual, em pasta de papel para ficarem levezinhas, e que serão usadas, já no próximo ano lectivo, no período do Carnaval, para "decorar" a nossa especialíssima Sala de História da Escola Básica de Amarante. E sim, ficarão penduradas e em movimento constante porque parar é morrer, certo?
Este ano não tivemos tempo e, por isso, tivemos de nos contentar com uns belos de uns bonecos feitos em lã, pelos alunos... só para assinalar a quadra festiva que já anda no ar.
Bom Carnaval a todas e a todos! Bom descanso!

Nota - As máscaras de teatro, realizadas em pasta de barro, que abrem o leque de fotografias que ilustram este post, foram produzidas pelos meus alunos de um 7.º ano, em tempos que já lá vão... e sim, um seguiu História... nem sei se ria, se chore...

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Aulas de História - Sala de História - Estratégias Pedagógicas

Recursos Pedagógicos de História - Sala de História
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Aulas de História - Sala de História - Estratégias Pedagógicas

Quem acompanha este blogue desde os seus primórdios, este blogue foi criado algures num dia de Fevereiro de 2006, cedo tomou contacto com o meu trabalho em sala de aula, muito inovador à época, tendo por base um trabalho previamente feito a partir do ano lectivo de 2004/2005, integralmente pensado, concebido e realizado por mim num maravilhoso programa chamado PowerPoint.... daí eu ter sido mesmo "baptizada" com o cognome, de que me orgulho, de Miss PowerPoint.
É claro que estou a falar de um tempo em que trabalhei sem rede, sem modelos previamente observados, ajustando os meus PPT às estratégias que, aula a aula, vou concebendo e utilizando e que vão variando ao longo dos anos porque as vou aperfeiçoando, porque eu sou irrequieta e insatisfeita e trabalhadora como o raio que me parta.
Passados todos estes anos, a base das minhas aulas continua a ser constituída pelas minhas apresentações em PPT, agora descodificadas e partilhadas na minha página de recursos, que já é a segunda e está agora com um template mais apelativo... mas nunca fugindo do preto, do branco, do vermelho, do verde e do azul, as cores que são a imagem de marca de grande parte do meu trabalho que partilho de forma graciosa, descomprometida, desinteressada, entusiasmada mesmo que já não tenho idade para falsos pruridos que, de resto, nunca fizeram o meu género, esperando, em última análise poder ser útil a alguém que neste trabalho veja utilidade.
O texto que a seguir transcrevo tem mais de uma década mas continuo a subscrever cada palavra por mim escrita, lá atrás no tempo:
As apresentações em PowerPoint não são panaceia para coisíssima nenhuma pois não são, nem nunca serão, os recursos/ferramentas, utilizados dentro da sala de aula, que determinam a qualidade dessa mesma aula, mas sim a abordagem desses mesmos recursos/ferramentas. Sei, por experiência própria, que esta ferramenta/recurso, utilizada em contexto de sala de aula, possibilita uma interactividade incrível entre professores e alunos, muito embora esteja espalhada a ideia, errada, de que é uma ferramenta muito estática, o que se deve, por certo, à utilização completamente errada e lamentável, porque apenas lida, que vulgarmente se faz da apresentação em PowerPoint. Sei também, fruto da experiência acumulada, que em Educação não há receitas e que a boa aula é a aula que resulta. E ponto final. E que a sua qualidade/êxito depende da sua preparação, das características do professor e dos seus alunos, da felicidade do professor e dos seus alunos, até do tempo, da chuva que nos entristece ou do sol que nos enche de energia, das condições de saúde, física e mental, do professor e dos seus alunos... 
E eis que chego aqui, ao dia de hoje, a iniciar a Pré-História com duas novas turmas do sétimo ano de escolaridade já que esta disciplina se tornou semestral no agrupamento onde trabalho. E andamos às voltas com um problema velho como o planeta e que é o problema das alterações climáticas e ainda com as adaptações daí decorrentes para toda a fauna e flora e andamos também às voltas com o conceito de economia de recolecção e de caça e do consequente nomadismo.
Aqui chegados jamais lhes dou a lista dos materiais que a Natureza colocava ao dispor desses nossos antepassados, já que não quero neurónios preguiçosos dentro da minha sala de aula, pelo contrário, exijo neurónios plásticos e irrequietos e cada aluno lá foi ao quadro escrever um material existente com utilidade para o Homem.
Rochas... madeiras... fibras... ossos... peles... chifres... dentes... tutano... resina... cera de abelha... penas... marfim... pelos... tripas... conchas... raízes... e eu lá ia tirando exemplares do armário da Sala de História que guarda um espólio muito considerável de recursos que, amiúde, uso nas minhas aulas.
Os alunos estavam espantados.
- É tudo verdadeiro, professora?
- Mas é claro que sim! Por exemplo, os ossos que estão a ver são os ossos de um maravilhoso frango assado que eu comi um dia destes e que guardei e tratei até ficarem limpinhos e poderem integrar o espólio do Centro de Recursos da Sala de História. E o dente... é mesmo um dente de tubarão fossilizado e que tem milhões de anos...e... e...
Ou seja, e resumindo, uma aula de História do século XXI pode ser um mix entre um PPT e a materialização das matérias abordadas nesse PPT... sem esquecer que os meus alunos devem ler, previamente e em voz alta, em casa, no manual, a matéria que vai ser abordada na aula seguinte, sem esquecer também que, posteriormente, os alunos terão de construir, aula a aula, os seus portefólios digitais.
É um facto que uma aula de História pode ser isto. Mas também é um facto que uma aula de História pode não ser nada disto e continuar a ser interessante, certo?


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Mais Uma Vergonha - Professores


Mais Uma Vergonha - Professores

Continuarão a faltar professores nas escolas portuguesas, aliás, prevejo até que a cada ano mais... mas, e o que interessa isso aos políticos que sistematicamente desrespeitam os professores e as suas famílias? Nada! Pois se nem são os seus filhos que ficarão sem aulas!!!

Para memória futura aqui ficam as votações da ignomínia:

A favor - E, PCP; PAN e Verdes
Abstenção - PSD e Iniciativa Liberal
Contra - PS

Parlamento chumba 30 dias de Segurança Social para professores com horários incompletos

E tiro o meu chapéu ao Ricardo Pereira e a todos quantos não desistem de lutar. Obrigada pelo vosso exemplo.

Prendinhas - Quem Tem Amigos Tem Tudo

Trabalhos em Crochet - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Prendinhas - Quem Tem Amigos Tem Tudo

E eis que os trabalhos em crochet, novos, velhos, brancos ou de múltiplas cores, vão chegando daqui e dali. São trabalhos que nunca foram usados, são trabalhos já a denotarem uso mais ou menos intenso e nós aproveitamos tudo, conscientes da importância da máxima "Nada se perde, tudo se transforma!".
Grata a todas as mãos maravilhosas que produzem estas belezas e que as partilham!
O céu, crochetado, é o limite!

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Histórias da História

Trabalho - Escola Básica de Amarante - S. Gonçalo
Fotografias de Artur e Anabela Matias de Magalhães

Histórias da História

A história que agora vos relato é muito curtinha mas muito significativa para mim, orgulhosa professora de História. Passou-se durante esta semana que agora finda, no final da aula dois deste segundo semestre, com novas turmas.

- Professora, eu antes não gostava nada de História mas agora já gosto!

Excelente, Aluno Meu! É isso mesmo! Devemos escancarar janelas e portas. As da História também.

A Jóia de Luz e a "Marca"

A Marca/Tralha - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

A Jóia de Luz e a "Marca"

A conversa que hoje vos relato, sobre a "Marca" Amarante, acontecida entre mãe e filho dentro de um carro em movimento em plena alameda Teixeira de Pascoaes, foi espontânea e saiu de uma criança de 6 anos.

Filho: - Ui!!! Isto ainda está aqui?
Mãe: - É verdade. Ainda vai estar muito tempo!
Filho: - Podiam arranjar alguém para demolir isto. É mesmo horrível!!!

Ah ah ah! Até tu, Jóia de Luz!!! Mas nem te pareceram os teus adorados legos?!

Ok, há quem lhe chame "A Marca"... eu, confesso, chamo-lhe apenas "A Tralha". No meio do jardim da alameda, aumenta o ruído, a confusão, perturba a visão e a emoção Amarantina. E sim, concordo contigo, meu adorado neto, a coisa é mesmo horrível!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Tirar Macacos do Nariz

Euzinha - Escola Básica de Amarante
Fotografia de Paulo Dias

Tirar Macacos do Nariz

Confesso que tirar macacos do nariz, em público ou em privado, nunca fez parte de praia minha... bom, pensando melhor... talvez em miúda tenha praticado esta espécie de desporto que noto transgeracional... mas a verdade é que não guardo memória de tal facto.
Acontece que, por estes dias de pós-intervenção cirúrgica, que consistiu numa septoplastia, numa turbinoplastia... numa cirurgia endo nasal... tenho dias marcados e reservados na minha agenda muito privada e que se destinam... pois, a tirar macacos do nariz!
Se me tivessem dito isto há uns anos... era bem capaz de responder "Isso! Vou ali e já venho!"... agora, é verdade que aos 8, aos 15, aos 30, aos 60 dias... passados sobre a intervenção cirúrgica ao meu querido nariz... eheheh... lá vou eu ao otorrino/operador fazer uma limpeza que não consiste em mais nada do que tirar toda a macacada que ainda anda para aqui perdida e que ainda não me permite respirar na perfeição
A limpeza, que parece da Páscoa!, consiste, tanto quanto percebi, na introdução de um produto para descolar/desgrudar macacos, produto que por lá permanece por breves momentos e depois vai variando, podendo consistir numa aspiração xpto a todos os recantos internos da coisa.
Enfim, confesso que não é a coisa mais sexy de se ver... e de se sentir muito menos!... mas é o procedimento habitual na caminhada por um futuro que quero livre dos antibióticos, anti-inflamatórios... e o mais que me tem calhado na rifa nos últimos Senhores Invernos!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Sérgio Godinho - Para os meus Alunos


Sérgio Godinho - Para os meus Alunos

Hoje partilho o genial Sérgio Godinho com todos os meus leitores e dedico estes dois temas "Grão da Mesma Mó" e "Liberdade" a todos os meus Alunos - aos passados, aos presentes e aos futuros.
Sem mais. Só com a profundidade e a genialidade de um Sérgio Godinho que é capaz, sempre, de apurar mais e mais com a idade.
É caso para dizer que continuo a amar este rapaz...



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

Prendinhas de Mulherio

 Crochet - S. Gonçalo - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Prendinhas - Mulheres da Rua

As prendinhas chegam-nos daqui, dali e de acolá! São redondas, quadradas, rectangulares... são até peixes!!!... são coloridas, totalmente brancas ou acastanhadas e, todas juntas, farão um trabalho, sempre crochetado, por certo espectacular.
Porque as mulheres da rua são imaginativas, crentes, irrequietas, trabalhadoras, resilientes, criadoras... sempre sempre às voltas com as reciclagens porque sabem bem que tudo se aproveita, que nada se perde e tudo se transforma... sim?
De geração em geração, o céu, crochetado, é o limite!

Semestralidade - Amanhã - Apresentações


Amanhã - Apresentações

Amanhã, logo pela amanhã, estranharei não ter aulas com os meus queridos alunos da minha direcção de turma e logo de seguida estranharei não ter aulas com os meus queridos alunos do ensino articulado de dança, mas, saber que as criaturas estarão nas salas ao lado da minha, espero que entusiasmados às voltas com a Geografia, contribuirá para entranhar esta semestralidade que continua a efectivar-se, e bem, entre nós.
Amanhã, consequentemente, será dia de apresentações dirigidas aos alunos de duas turmas do 7.º ano de escolaridade.
Começarei as aulas com a minha apresentação, em PowerPoint claro está que eu sou a miss dele!, e depois será a vez dos alunos reflectirem e alinhavarem as deles, registos que, sem dados demasiado pessoais - como direcções e fotografias deles esparramados para a foto - deverão ser o mais originais possível e deverão constar nos seus portefólios digitais.
E sim, durante esta semana também andaremos às voltas com a app AdobeSpark e falaremos da importância das dunas nas nossas vidas, dunas que "apenas" são metáforas para os sucessivos  desafios que compõem cada uma das nossas efémeras existências.
Por isso, adeus Alunos... olá Alunos!
E aí vamos nós!
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.