sexta-feira, 25 de maio de 2018

História em Movimento

Centro de Recursos da Sala de História - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

"História em Movimento"

Muito já escrevi neste blogue, e no blogue História em Movimento, sobre o Projecto História em Movimento, sobre a Sala de História do 3º Ciclo da E. B 2/3 de Amarante e sobre o seu Centro de Recursos nela contido, nascido a partir do ano lectivo de 2009/2010, aquando da minha colocação, finalmente efectiva!, nesta escola.
Na minha vida itinerante por várias escolas aqui da região, como contratada, nunca vi semelhante coisa, nem tão pouco enquanto aluna vi semelhante coisa, nunca li nada sobre Salas de História a conterem Centros de Recursos.
A ideia saiu dos meus irrequietos neurónios que, cansados de me verem arrastar caixas e caixinhas para as escolas, nos últimos anos antes de 2009, pensaram... e se a Sala de História fosse como uma Sala de Ciências, ou uma Sala de Música? E isto só para dar dois exemplos.
Meti pés, cabeça, tronco e membros à obra e arrastei, salvo seja!, quem quis ser arrastado. Confesso que os alunos são sempre os meus melhores aliados mas contei, como não podia deixar de ser com outro aliado de peso que foi a Direcção do meu agora Agrupamento de Escolas de Amarante, para além de professores amigos que, durante todos estes anos, alguns sem mesmo nunca terem sido neste agrupamento, me têm enviado e oferecido recursos com que vou enriquecendo este meu pequeno tesouro, que, em grande medida continua meu e só o deixarei talvez na Escola se vir que há alguém com unhas para prosseguir esta obra.
Isto tudo para dizer que, depois de um ano lectivo deveras penoso para mim, a bem dizer uma professora maneta... raio! e logo da mão direita!, voltei ao activo e, se bem que não ainda em plena forma, a verdade é já sacudi a letargia, os antibióticos e os anti-inflamatórios do lombo e... e...  acção, miúdos e miúdas! que eu estou de volta.
E é assim que estamos a revirar a sala de aula do avesso, centro de recursos incluído!
Revolução, precisa-se! Precisam eles, miúdos e miúdas fartos do sempre igual, do padronizado, do monótono e do expectável... e preciso eu. Apenas para ver se continuamos felizes dentro deste eespaço onde passamos uma grande parte da nossa vida onde os sucessivos ministros não entram. Certo?
Confesso: Gosto disto! E voltarei a este tema proximamente.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

O Projecto Ver para Querer na Imprensa


Ver para Querer
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

O Projecto Ver para Querer na Imprensa 

A Verdade
Ordem dos Nutricionistas apresenta projeto na Escola EB 2,3 de Amarante

JN
Bastonária dos Nutricionistas "absolve" concessionárias das cantinas escolares

Bird Magazine
Bastonária apresenta projeto piloto em escola de Amarante

Viver Saudável
ON apresenta projeto-piloto de intervenção alimentar

Ver para Querer

Ver para Querer - E. B. 2/3 de Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Ver para Querer

Pela E. B. 2/3 de Amarante o trabalho faz-se em várias frentes. Uma delas passa pelo projecto Ver para Querer que, como está escrito no texto que acompanha a peça gravada pela TVI, a Ordem dos Nutricionistas vem desenvolvendo em estreita colaboração com esta escola que também é a minha.
O projecto Ver para Querer visa, em última análise e de forma resumida, que os alunos comam de forma mais saudável, que os alunos aumentem a sua literacia alimentar, que reduzam, se possível!, para o zero o desperdício alimentar. Iniciado no ano lectivo de 2016/2017, prossegue este ano lectivo, porque um projecto desta natureza não se esgota num só ano, mas, pelo contrário, terá de ter continuidade durante os próximos anos, com outros alunos que todos os anos se renovam na escola, saindo os do 9.º ano de escolaridade, entrando os do 5.º ano de escolaridade, num vai-vem constante, num movimento cadenciado que faz lembrar as ondas do mar constantemente em movimento de aproximação e de recuo.
Ontem foi dia de recebermos várias entidades interessadas em conhecer este projeto.
Assim, pela ARS Norte tivemos a honra de receber o seu Presidente, Dr. Pimenta Marinho, do gabinete de Relações Públicas, Antonino Leite e ainda a enfermeira Paula Duarte, vogal do Conselho Diretivo do mesmo organismo; pela Ordem dos Nutricionistas, a sua bastonária Professora Doutora Alexandra Bento, a Dra. Graça Ferro, vogal da direcção, a Dra. Tânia Cordeiro, a Dra. Ana Frias, assessora da Bastonária e ainda Gustavo Machado, da equipa multimédia da referida Ordem.

Dos trabalhos fez parte uma breve Visita à Escola, mais concretamente ao pavilhão 4 que está a ser intervencionado por diversos professores e pelos seus alunos, é absolutamente imprescindível que os alunos estejam implicados na melhoria de um espaço que é deles, e ainda ao pavilhão central, com especial enfoque na cantina e no bar da nossa escola e que igualmente estão a ser intervencionados, mas neste caso no âmbito deste projecto. Seguiu-se uma reunião com os Órgãos de Gestão da Escola e com a Equipa do Projecto Ver para Querer em que foram apresentados os resultados da intervenção já realizada. Encerramos, como não podia deixar de ser, com um almoço na nossa School Canteen. Ontem a ementa foi constituída por frango assado com batatas alouradas e feijão verde, várias saladas à escolha, sopa de legumes e fruta da época, enfim, o costume, ementa igual a todas as escolas aqui do Norte em que a empresa ganhadora da concessão opera.

Pais, acreditem, come-se bem, diria até muito bem, na cantina da E. B. 2/3 de Amarante.
Perguntem à senhora Bastonária da Ordem das Nutricionistas! Perguntem ao senhor Presidente da ARS Norte!

Nota - Sim, é verdade, para enorme alarido entre os mais pequenos, ontem foi dia de abrirmos as portas da nossa comunidade escolar aos órgãos de comunicação social.
Aqui vos deixo um exemplo:

TVI

"Até Que Ponto Vale a Pena?"


"Até Que Ponto Vale a Pena?"

Hoje dou a palavra ao meu querido colega Paulo Guinote. Certeira. Limpa e cristalina sobre o que se passa há muitos anos na sala de professores.

"Defender os direitos de quem aparece para o cafézinho das 10 ou o cigarrito do meio dia? Que se queixa e tem imensas opiniões, mas intervenção nula na resolução de problemas concretos? De quem ocupa cargos para se sentir bem, mas não para se responsabilizar pelo que falha?"

E eu acrescentaria - Defender os direitos de quem mente com quantos dentes tem na boca só para ficar bem na fotografia da comunidade educativa ou mesmo para te despachar? De quem é tão egoísta tão egoísta que é incapaz de ver para além do seu próprio umbigo e pensar que nós somos um colectivo e não um particular?

E continua o Paulo Guinote e eu faço minhas as suas sábias palavras porque muito embora ele esteja a Sul e eu esteja aqui, bem plantada neste meu Norte, as nossas realidades tocam-se de tal maneira que até impressiona.

"Sim, há dias em que se duvida do esforço colocado em animar uma iniciativa para que todos possam recuperar uma carreira. Incluindo quem espera que os outros façam, que os outros resolvam, que os outros saibam e expliquem. Há quem o mereça, mas há quem nem por isso.
Mas, pelo menos, recuperando os quase dez anos de serviço, pode ser que algumas pessoas possam ir à sua vida, com um mínimo de dignidade material. E deixem de ocupar espaço, atrapalhar, fazer parte do problema, abster-se de intervir deixando tudo a quem ainda acha que há serviços mínimos de funcionamento (mesmo que seja para ouvir bocas).
Sim, há dias em que apetece descrever o quotidiano real, contra as reservas sempre colocadas em relação a esse tipo de diário. Mas, de petizada descontrolada por completo desnorte parental, e que por isso acha que tudo pode fazer, a malta com pós-graduação em conversa de esplanada ou doutoramento em chá e bolachinhas, há dias em que apetece mesmo fazer o retrato de certas criaturas que, se não se mexem, ao menos não atrapalhem."

É isso, gente, pelo menos não atrapalhem! E, por favor, podem crer que, se esta iniciativa tiver êxito, o tempo de serviço não é todo para mim e para os outros cavaleiros e cavaleiras promotores desta ILC. Eu, eles e muitos outros, a quem já se juntou inclusivamente uma encarregada de educação de um (ex)aluno meu que tem lutado pela ILC como muitos milhares de professores não o fazem, estamos mesmo a pensar num colectivo de uma classe, esquisito, é verdade!, que tem no seu seio verdadeiros mortos-vivos... ou será que são vivos-mortos? (E agora estou a pensar muiiiiiiiito para além da ILC... talvez um dia, mais tarde, por certo, conte aqui umas histórias deprimentes que não são nada de encantar.
Ok?

Nota - Adoro ler o Guinote porque conhecendo-o há muitos anos e nem sempre concordando com o que ele pensa e escreve sei-o honestíssimo na sua escrita. No quintal dele, não contem com fretes.

domingo, 20 de maio de 2018

Manif - 19 de Maio de 2018


Manif - 19 de Maio de 2018 - Lisboa
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães

Manif - 19 de Maio de 2018

Desde o tempo daquela ministra da educação, cujo nome eu não nomeio neste blogue por motivos sanitários, que fui praticamente a todas as acções de luta decretadas por sindicatos, movimentos de professores - Bom rever-te ontem, Ilídio Trindade! - grupos de professores "amarelos" lutando pela defesa do par pedagógico de EVT, vigílias pela noite fora pela mesma causa, lutas contra a PACC com idas para a DREN e para o Parlamento e eu sei lá mais o quê. Nestas lutas incluem-se, como não podia deixar de ser, as manifestações.
Não sei se a manifestação de professores de ontem se situa na terceira maior em número de manifestantes ou se ocupará a quarta posição no ranking das maiores em que participei em toda a minha vida mas, uma coisa é certa, a manifestação de ontem foi gigantesca atendendo a que já não somos 120 mil professores, atendendo a que o corpo docente está incomparavelmente mais velho do que há dez anos atrás, atendendo às "novelas" tristes que parecem interessar a cada vez mais pessoas, professores incluídos, alienando-as do que é realmente importante para si próprios e para o colectivo e que é a defesa dos seus direitos, tão durantente connseguidos, com unhas e dentes.
Posto isto, asseguro-vos que a manifestação de ontem foi uma das maiores em que participei em toda a minha vida.
Agora, sinto orgulho por ter participado em mais esta jornada de luta que, para mim, se faz nestas ocasiões e em todas as outras, quer seja saindo à rua pelo meu pé, quer seja saindo à rua pelo meu teclado.
A luta continua. Assina a ILC. Aqui.

A ILC, na Imprensa, em Dia de Manifestação de Professores

Assine a ILC aqui.

A ILC, na Imprensa, em Dia de Manifestação de Professores

A caca da Plataforma da Assembleia da República, onde se assina a ILC, voltou a estar on depois de estar off mais de 24 horas seguidas. 
Os parlamentares portugueses devem estar a corar de vergonha. 
Assina a ILC: https://participacao.parlamento.pt/register

Expresso, ontem.

"Não têm sido só os sindicatos a tentar convencer o Governo que todo o tempo de serviço que os professores prestaram durante os anos em que as carreiras estiveram congeladas deve ser contado, tal como está a ser feito para as carreiras gerais da Administração Pública. No final do mês passado, um conjunto de docentes decidiu redigir um projeto de lei nesse sentido e iniciou um processo de recolha de assinaturas, de forma a que o assunto seja obrigatoriamente discutido e votado na Assembleia da República. Até agora, conseguiram que quase 12 mil (11.780 ao final do dia de ontem) entrassem na plataforma eletrónica do Parlamento e assinassem. Faltam quase 9 mil para o objetivo seja atingido, pelo menos em parte.  A pretensão dos oito promotores desta Iniciativa Legislativa de Cidadãos é que os 9 anos, 4 meses e dois dias congelados (entre 2005 e 2007 e entre 2011 e 2017) sejam tidos em conta para efeitos de progressão na carreira e atualização salarial e que essa reposição aconteça já em 2019. Tem sido essa a reivindicação dos sindicatos, mas estes aceitam que a reposição seja feita de forma gradual, até 2023." (...)

Quase 12 mil assinaturas para levar contagem do tempo de serviço dos professores ao Parlamento

Hoje é dia de manifestação de professores, no próximo mês podem regressar as greves

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Manif - 19 de Maio


Manif - 19 de Maio

Amanhã lá estaremos, mais uma vez, na capital da república que já conheceu melhores dias, a exigir repeito pelos docentes. E a pensar que até ao final do ano lectivo muito, de positivo, terá ainda de acontecer.
Quanto ao mais, continuo a apelar à assinatura da ILC. Aqui. Passados nem 20 dias sobre o início desta iniciativa, contabilizamos, agora, 11807.
Atingiremos as 20 mil antes do prazo regulamentar.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

A ILC e a Ana Paula Doutel


A ILC e a Ana Paula Doutel

Quem a vê a vestir a camisola da ILC com unhas e dentes dirá "Só pode ser Professora!"
Pois não é. Mas, não o sendo, já fez mais apelos e postagens sobre a ILC do que muitos professores todos juntos e não, não estou a falar daqueles que não têm conhecimento de que decorre uma recolha de assinaturas de uma Iniciativa Legislativa de Cidadãos que visa somente exigir que se respeite o óbvio: o tempo de serviço de 9 anos, 4 meses e 2 dias é para ser contado na sua totalidade e não admitimos nem menos um segundo.
São dela os cartazes, são dela as frases de apelo a que todos se juntem a esta justíssima luta que só poderá resultar se juntarmos 20 mil assinaturas. Tal como já disse, ela não é professora porque é "apenas" uma das "minhas" mães, que exerce uma profissão não docente.
Tiro-lhe o meu chapéu! Publicamente.

O tempo psssa segundo a segundo...
Eu já assinei a I.L.C.! Eles também! Tu és o próximo!
Não te esqueças! 

Juntemo-nos nesta causa e ajudemos os professores, pois estaremos a ajudar a Comunidade Educativa.
Link aqui 

Boa Noite 🌛
Professores, pais, avós, filhos, netos 
Hoje à noite não se esqueçam de assinar a I.L.C. (é fácil ♤ rápido ♡ simples!)
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.